Acesso rápido

Os 7 pecados capitais do Inbound Marketing

por Eduardo Fonseca Sexta-feira, 17 de maio de 2019   Tempo de leitura: 6 minutos

Inbound Marketing é um conjunto de estratégias muito utilizadas pelos profissionais de marketing, com o objetivo de agregar valor à marca. Essa ferramenta busca atrair e converter clientes com conteúdo relevante por meio de blogs, podcasts, e-books, newsletters, whitepapers, entre outros. Ou seja, você atrai seus públicos pela mensagem que passa.

Segundo dados da iMedia Connection, portal dedicado aos profissionais de marketing, 60% dos consumidores apresentam visão mais positiva sobre uma marca depois de consumir conteúdo da mesma. Ou seja, tais dados nos mostram que o inbound tem surtido bons resultados. Porém, é imprescindível que ele seja feito de maneira correta, caso contrário, o efeito pode ser muito negativo. Dessa maneira, é preciso entender, principalmente, quais são os piores erros quando falamos em Inbound Marketing. Confira!

1. Inbound Marketing não se resume a presença nas redes sociais

A presença nas redes sociais funciona como um meio complementar, não como um processo substituto. Se alguém contou a você que criar uma página no Facebook é fazer Inbound, saiba que você foi enganado. Claro que o Facebook, para ficarmos no exemplo da principal rede social da atualidade, é uma ferramenta poderosa. Mas isso não significa que será sempre a melhor opção para todos os tipos de negócio. Há casos, por exemplo, que o LinkedIn, que é uma mídia social mais focada no âmbito profissional, pode trazer resultados muito melhores.

2. Pensar que Inbound Marketing é o mesmo que SEO

SEO é uma parte integrante da estratégia de Inbound Marketing, mas não resume toda essa metodologia. Seu site ou blog pode estar bem otimizado, com o uso de palavras-chave de cauda longa, mas se o seu conteúdo não for relevante e apenas estiver repetindo esses termos sem uma contextualização, saiba que isso poderá prejudicar a imagem de sua empresa, sendo ela classificada como praticante de SEO black hat, e perdendo o interesse de seu cliente ao deparar-se com um conteúdo pobre e que não agregou valor a ele.

3. Parar de prospectar clientes

O Inbound Marketing não deve ser visto como única forma para atrair clientes para o seu negócio. Ele ajuda muito, mas não deve substituir ações comerciais e precisa ser complementado também por ações de comunicação e marketing tradicional – gerando uma estratégia de marketing convergente.

4. Entender o Inbound Marketing como mais um “entregável”

Na pauta de trabalho de algumas equipes pode constar, por exemplo, “criar cartaz para promoção do PDV” e “criar peça de Inbound Marketing”. Esse é um grande erro. Ainda há empresas que entendem o Inbound como um “entregável” e não como uma metodologia de trabalho. Essa metodologia deve perpassar todas as ações de marketing digital da empresa, fazendo parte de sua essência e não apenas de uma peça de divulgação.

5. Não investir corretamente

Toda empresa busca minimizar custos e maximizar o lucro, mas para atingir o resultado esperado com um projeto de Inbound Marketing, é necessário certo investimento em recursos seja ele qual for. O ponto principal nesse caso é entender o que faz sentido para o negócio e, aí sim fazer esse investimento. Por exemplo, não adianta oferecer milhares de e-books para um público que tem pouco tempo para uma leitura mais densa. Nesse caso, é mais assertivo um blog onde as informações são distribuídas de forma mais sucinta.

6. Publicar conteúdo genérico e não relevante

O chamado “tiro de canhão”, no jargão jornalístico, não vale para o Inbound Marketing. Para ter eficácia, é preciso levar até o cliente conteúdo que seja útil e relevante para cada tipo de persona. Assim, se você está enviando e-mail marketing com conteúdo genérico e sem segmentação, que não ajuda a resolver as dores de seu cliente, você não está fazendo Inbound Marketing.

7. Acreditar que Inbound Marketing é apenas mais um modismo

É fato que, no mundo do marketing, novidades surgem diariamente e muitas delas desaparecem com a mesma velocidade com que nasceram. Se você acha que o Inbound Marketing é um exemplo disso e fez alguns blog posts, criou uma página no Facebook e lançou um e-book só para não ficar “fora da moda”, saiba que não é o caso.

Em linhas gerais, o Inbound veio para ficar. Ele é uma evolução de uma visão que já está presente no mercado há muito tempo: tornar sua empresa visível e fácil de encontrar, gerar autoridade a ela, oferecer valor ao cliente, encantá-lo e ajudá-lo em seu processo de compra, fidelizando-o. Se você consultar os primeiros manuais de marketing, já verá lá indicações desse pensamento. O que o Inbound fez foi atualizá-lo e torná-lo aderente ao novo perfil do consumidor e às demandas atuais de mercado.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.