O status do same day delivery no e-commerce brasileiro

por Douglas Carvalho Sexta-feira, 25 de janeiro de 2019   Tempo de leitura: 8 minutos

Consumidores online são exigentes. Muito. Eles querem (exigem) bom sortimento, navegabilidade amigável, preço baixo, diversas opções de pagamento e entregas cada vez mais rápidas.

É neste cenário em que se acirra a briga, pela preferência do consumidor,  entre os varejistas online. As estratégias adotadas passam por diversas ações, sendo a logística uma das mais desafiadoras em qualquer cenário.

Entregas confiáveis, antes de rápidas, já são um grande fator de posicionamento de um e-commerce, que consegue oferecer acompanhando ponta a ponta do processamento e entrega do pedido. Mas não o suficiente.

Em grandes centros consumidores, receber sua compra à distância em curto prazo, obtendo de fato conveniência maior do que uma ida a loja física, já não é mais necessariamente um diferencial competitivo. Ainda que exista enorme espaço para adoção das entregas expressas por diversos varejistas os consumidores já passam a enxergar a existência dessa opção como algo esperando de qualquer loja online.

Qual, de fato, então o status do same day delivery no cenário brasileiro? E o que podemos esperar dos próximos movimentos para satisfazer consumidores cada vez mais exigentes?

Same day delivery na prática

Ainda que uma forma de ganhar o consumidor num cenário de ampla competição, o same day delivery é caminho que exige alta performance operacional, parceiros alinhados e um posicionamento estratégico no mercado.

A oferta de uma entrega no mesmo dia da compra online, assume que o estoque está perto do consumidor, de forma que o tempo entre a aprovação do pagamento do pedido e a entrega possa ser completado dentro das horas restantes do dia. Isso por si assume que o same day delivery é uma estratégia a ser adotada, em centros consumidores de mais elevada concentração, já que são onde os centros de distribuição costumam ser posicionados para otimizar a malha logística.

Varejistas que possuam lojas físicas distribuídas por diversas cidades podem ampliar seu alcance transformando esses pontos em centros de distribuição avançados, inclusive, eventualmente, oferecendo esses serviços a vendedores de seus marketplaces.

Além das questões estruturais, os sistemas do varejista devem estar prontos para saber identificar, desde o carrinho de compra, a viabilidade de execução da entrega no mesmo dia, levando em consideração horários de corte para entrada dos pedidos, condições do inventário e planejamento da malha logística. A transparência e informação ao comprador são fundamentais em todas as etapas.

Com adequado planejamento operacional em prática, as vantagens são bastante claras para o varejista. De acordo com a recente pesquisa 2018 Global Consumer Insights Survey da PWC, realizada com mais de 22 mil consumidores online em 27 territórios ao redor do globo, 88% dos compradores online estão dispostos a pagar mais por uma entrega no mesmo dia (ou mais rápida que a regular). Esse é um dado ainda mais valioso quando sabemos que o custo do frete e tempo de entrega, estão entre os fatores mais determinantes para abandono de carrinho no check-out.

Ainda que a oferta de entregas same day delivery seja algo a ser considerado pelos lojistas, o cumprimento da promessa de entrega é ainda mais importante. De acordo com a pesquisa Webshoppers em sua versão 37 (avaliação do ano 2017), os itens que geraram maior insatisfação nos compradores em marketplaces foram Opções de frete (16%), Entregas no Prazo (14%) e Acompanhamento do Pedido (13%), mostrando ainda o quão sensível é o gap entre promessa e entrega.

Um dado mais detalhado e focado no same day delivery é a pesquisa realizada na Shoptalk, uma das maiores conferências focadas em e-commerce e varejo no mundo. Nesta foram constatados os gaps entre a promessa e a entrega de same day delivery por categorias de produtos e mesmo num mercado mais maduro como o norte-americano, o desafio fica claro nos exemplos abaixo:

  • Mercearia/Mercado: 64% pediram same-day, 19% receberam same-day
  • Produtos de Saúde: 46% pediram same-day, 4% receberam same-day
  • Snacks especiais: 42% pediram same-day, 7% receberam same-day
  • Bebidas alcóolicas: 41% pediram same-day, 5% receberam same-day
  • Produtos para casa: 28% pediram same-day, 5% receberam same-day
    e mais…

Quem está entregando no Brasil

Com o amadurecimento tanto dos varejistas quanto dos players logísticos que servem o mercado de entregas expressas, alguns bons cases já estão em prática em nosso mercado – ainda que de forma limitada – demonstrando a força e capacidade de superação de desafios do e-commerce nacional.

Com uso de tecnologia e o poder de plataforma (conexão entre serviços e demandas), startups como Loggi, Courri, Rappi, Eu Entrego e outras, estão trabalhando em conjunto com varejistas dos mais diversos, criando cases que se comprovam ao ajudar a atingir melhores resultados em conversão e fidelização.

Para citar alguns desses exemplos, listo abaixo:

Amaro:

A loja online de moda e artigos femininos é reconhecida por sua alta eficiência e opções de entrega. Em parceria com players como Loggi e Courri (antiga Courrieros), a loja oferece desde frete grátis em prazo normal, até entrega em 2:30hrs na modalidade Super Express dentro da capital paulista.

Em 2017, a Amaro realizou uma campanha de entrega Express com frete grátis, em parceria com a Loggi, durante a quarta-feira que antecedia o Natal. Os resultados foram expressivos, com aumento de 48% na taxa de conversão comparado ao mesmo dia da semana anterior e 2,7 vezes mais vendas em relação às médias das quartas-feiras daquele ano.

Nespresso:

A Nespresso oferece entrega no mesmo dia da compra nas principais regiões das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Basta realizar compras até as 12:00hrs para não ficar sem as capsulas do café de cada dia.

Netshoes:

A Netshoes – que administra além da flagship, as lojas Zattini, Shoestock e Free Lace – vem readequando seus Centros de Distribuição para reduzir os prazos de entrega das marcas.

Durante a Black Friday de 2018, a Zattini realizou uma entrega em uma hora e sete minutos, em exemplo máximo do uso do poder da entrega expressa para conversão da venda.

Evolução da entrega super expressa

As entregas no mesmo dia ainda estão muito restritas no Brasil. Basicamente, algumas operações, localizadas especialmente na Grande São Paulo, conseguem prover entregas em horário estendido dentro do mesmo dia da compra. Algumas outras já conseguem expandir para outros grandes centros como Rio de Janeiro, mas ainda também de forma muito limitada.

Com a constante queda das barreiras entre on e off, promovida pela maturação das operações omnichannel, veremos os centros de distribuição das grandes varejistas, espalhados em território nacional, assim como suas lojas físicas, atuando como postos avançados de entrega. Com isso, a capilaridade do same day delivery tende a se expandir para novas regiões, criando diferenciais competitivos àqueles players que explorarem este caminho. A Via Varejo já começou a testar este modelo via as vendas da Casas Bahia.

O avanço nas entregas super expressas também deve ser influenciado por mais competição. E de peso.

A Amazon anunciou neste começo de 2019 o início de sua operação com estoque próprio, além do Marketplace, num grande centro de distribuição de 40 mil m2 na cidade de Cajamar/SP. O CD é estrategicamente localizado para servir rapidamente a Grande São Paulo e também está perto de outros grandes centros do Estado de São Paulo, como Campinas.

É de se antever que um dos grandes pilares da estratégia global da Amazon, o Prime que já oferece mais de 100 milhões de itens em entregas super-rápidas e flexíveis, venha a finalmente desembarcar no Brasil de forma robusta.

Esse tipo de movimento tende a também acelerar a resposta das outras grandes varejistas, erguendo a barra da qualidade e velocidade na entrega.

Movimentos como da Magazine Luiza na aquisição da plataforma logística Logbee e nos avanços da vertical Mercado Envios do Mercado Livre, mostram o tom da briga que já está em jogo.

Os players logísticos que fazem tudo isso ocorrer também tem se movimentado. A Loggi recebeu em 2018 R$ 400 milhões para expandir sua rede e capacidade de entregas, focando especialmente no e-commerce, o qual já cobre cerca de 70% do potencial mercado consumidor.

Os clientes sempre desejarão preços baixos, vasta seleção de produtos e entrega rápida. Essa já famosa declaração de Jeff Bezos vai continuar dando o tom da competição e das estratégias para ganhar a preferência do consumidor no varejo online.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.