Acesso rápido

O passo-a-passo de um projeto de e-commerce consistente

por Mayko Franceschi Sexta-feira, 22 de julho de 2011

Quando vão construir seu negócio virtual, muitas pessoas contratam uma empresa especializada em desenvolvimento de loja virtual (especializada… hum…). Pode ser a melhor empresa do mundo. Todavia, não basta ter um bom sistema.

Quando você vai abrir o seu negócio, o que você faz? (pelo menos espero que você faça isso, por favor!) Procura o Sebrae, assisti palestras, faz cursos e desenvolve um plano de negócio. Você deve fazer o mesmo para sua loja virtual. Não é porque o negócio é virtual que o seu preparo também deve ser “virtual”, entende?

O que acontece, é que vários pontos que são aplicados no comércio “tradicional” também devem ser aplicados ao e-commerce, só que de outra forma. Vamos a eles então.

Análise da concorrência

Considero esse um dos pontos mais importantes do planejamento, pois na internet, a concorrência é muito mais agressiva e não está apenas na mesma rua ou cidade. Está no mundo todo. Basta apenas um clique.

Vários itens são primordiais, entre eles estão:

  • Análise completa dos sites de seus concorrentes;
  • Análise de preços, forma de pagamentos e prazos de entrega;
  • Pontos fortes e fracos da concorrência;
  • Posicionamento web da concorrência;
  • Estratégias de marketing digital utilizadas por eles.

Planejamento estratégico

Nesse ponto você deve definir qual o papel que sua empresa assumirá na web.

  • Posicionamento de mercado da empresa (maior variedade, mais barata, maior qualidade de produtos…);
  • Matriz F.O.F.A. (forças, oportunidades, fraquezas e ameaças) digital;
  • Missão e valores;
  • Região de atuação.

Planejamento de e-logística

Mais um ponto crítico do projeto (e qual não é), esse pode, quando planejado de forma adequada, ser um diferencial e fidelizar clientes. Mas quando mal realizado, esse cliente nunca mais voltará a fazer negócio com você (e ainda falará mal para terceiros).

Os pontos mais importantes da e-logística são:

  • Formas de entrega;
  • Empresas parceiras;
  • Controle de estoque;
  • Métodos de separação e expedição;
  • Prazos das entregas (importantissímo);
  • Fretes;
  • Definição dos métodos de tracking (acompanhamento de pedidos).

Desenvolvimento da loja virtual

Esse passo deve ser realizado sem pressa. O desenvolvimento de sua loja é como a construção de uma loja física. Pense que tudo deve ser elaborado pensando na satisfação de seu cliente.

  • Levantamento do briefing;
  • Definição das formas de atendimento ao cliente;
  • Definição de ferramentas e funcionalidades do sistema;
  • Desenvolvimento do wireframe;
  • Desenvolvimento da arquitetura do site;
  • Desenvolvimento da loja virtual (programação e layout);
  • Análise de usabilidade;
  • Teste de qualidade do sistema.

Planejamento de marketing digital

Esse ponto é o que fará com que tudo que você pensou e planejou até o momento funcione.

Como diz o ditado, a propaganda é a alma do negócio. Muita coisa boa vende menos que coisas “mais ou menos”. Esse é o poder do marketing.

  • Análise do negócio e estratégias utilizadas pela concorrência;
  • Definição da verba para divulgação;
  • Definição das ferramentas utilizadas na estratégia de marketing;
  • Definição de relatórios e KPI’s (chaves para monitoramento online do negócio);
  • Criação da campanha de marketing digital;
  • Definição de formas para fidelização dos clientes;
  • Monitoramento e análise constante do negócio.

Providencie também um relatório de demanda na web antes de iniciar seu negócio. De nada adianta tudo isso se não existe procura pelo seu produto.

Faça para seu negócio virtual o planejamento que faria para qualquer tipo de negócio que você fosse abrir. Não pense que você vai ficar na frente de um computador, esperando chegar as confirmações de vendas efetuadas e apenas enviar o produto. E-commerce dá o mesmo ou geralmente mais trabalho que uma loja convencional. Tenho clientes que trabalham até as 22:00 horas e em feriados, além de ser obrigatório o fim de semana.

O ideal é que você contrate uma empresa que auxilie corretamente e que tenha “know-how” para isso. Não se deixe enganar por oportunistas, e lembre-se: “o barato pode sair caro”. Uma empresa séria não vai trabalhar praticamente de “graça” para você. Entenda isso se você não quiser ser “engolido” pela concorrência.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

7 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.