O impacto da tecnologia no varejo: 4 exemplos práticos

por Victor Lie Sexta-feira, 02 de abril de 2021   Tempo de leitura: 18 minutos

A necessidade de uso da tecnologia no varejo cresceu muito no último ano. No contexto da pandemia gerada pelo novo coronavírus e com a necessidade do isolamento social, muitos clientes passaram a optar pelo modo de consumo sem contato. O e-commerce registrou um boom.

De outro modo, o varejo físico precisa se reinventar para se manter competitivo em um mercado que disputa a atenção, o engajamento e a decisão de compra do cliente.

Neste cenário, o desafio é compreender o potencial da tecnologia no varejo e as possibilidades de uso das ferramentas disruptivas. Dessa forma, será possível pensar uma estratégia de digitalização consistente para o varejo, que seja capaz de fornecer uma experiência ainda mais agradável para o consumidor.

À luz de autores e números relevantes sobre o varejo digital, o objetivo deste artigo é provocar uma reflexão sobre o potencial e o impacto da tecnologia no varejo.

Alto volume de compras do varejo digital

No Brasil e no mundo, as compras no e-commerce ganham cada vez mais destaque. O Single’s Day, por exemplo, realizado  dia 11 de novembro na China, é o maior evento de compras do mundo, movimentando bilhões de dólares por ano.

Já no ocidente, a Black Friday e as datas comemorativas exigem total atenção dos varejistas para que a estrutura de tecnologia e logística seja capaz de suportar o alto volume de compras.

Além disso, em termos de números, a adesão dos consumidores ao e-commerce é crescente. O comércio eletrônico global atingiu US$3,4 trilhões no ano passado, de acordo com relatório da Activate Consulting. Milhares de marcas e varejistas dividem apenas 37% da participação, enquanto seis gigantes, em sua maioria empresas chinesas, absorvem mais da metade do montante.

Vale destacar que o varejo na China é muito mais digital do que na Europa ou na América do Norte.

Neste cenário, conhecendo o comportamento do consumidor e do mercado, bem como o ritmo de crescimento constante do setor, o varejo e tecnologia precisam andar juntos e evoluir para alcançar bons resultados.

As lojas devem pensar em maneiras de otimizar os processos, usando a digitalização para dar conta das vendas que ocorrem em alta quantidade, mas também para melhorar continuamente a experiência do consumidor. E o uso da tecnologia no varejo é essencial para ajudar no avanço dessa digitalização.

Avanço do e-commerce na China

Estima-se que o mercado de comércio eletrônico chinês esteja crescendo a uma taxa anual de 22,5% nos últimos anos, o que perfaz um mercado total de US$1,8 trilhão.

Além disso, 58% do comércio eletrônico global está concentrado em apenas seis empresas. E apenas quatro empresas chinesas respondem por quase metade das vendas digitais globais, mais precisamente por 44% do total.

Crescimento do varejo digital nos Estados Unidos

De acordo com dados do Digital Commerce 360, os consumidores gastaram US$861,12 bilhões em compras online em 2020, um aumento de 44%. Esse é o maior crescimento anual do comércio eletrônico dos EUA em pelo menos duas décadas. Além disso, o número é quase o triplo do salto de 15,1% em 2019.

As vendas totais no varejo aumentaram 6,9% para US$4,04 trilhões, sendo que no ano anterior o acumulado foi de US$3,78. O crescimento é o maior já registrado desde 1999.

Crescimento do varejo digital no Brasil

Com o avanço da transformação digital, ainda antes da pandemia, o e-commerce brasileiro já registrava um crescimento acima dos 10% nos últimos anos:

  • Em 2017, 12%;
  • Em 2018, 12%, com faturamento de R$ 53 bilhões;
  • Em 2019, 22,7% com faturamento de R$ 75,1 bilhões.

Com o avanço da pandemia, a aceleração das compras no varejo digital ganhou ainda mais velocidade. Apenas no primeiro semestre de 2020, o crescimento no volume de venda no e-commerce chegou a 145%, segundo a pesquisa Ecommerce na Pandemia.

Vale destacar que ainda há muito espaço para crescer. Ainda que o Brasil tenha atingido a marca de 5,7 milhões de novos clientes somente no primeiro trimestre de 2020, a população que desconhece o varejo digital representa mais de 80% dos brasileiros. Atualmente, o e-commerce alcança apenas 18,2% do total de pessoas com acesso à internet em todo o país.

Com todo esse crescimento registrado em diversos países, a tecnologia no varejo torna-se cada vez mais necessária.

Vantagens de usar tecnologia no varejo

No momento atual, a estratégia do varejo é orientada pela experiência do cliente, ou melhor, por tudo aquilo que as pessoas buscam ao fazer uma compra. Hoje, muito além do produto, praticidade, conveniência, agilidade e comodidade são atributos que definem uma experiência de consumo.

Sendo assim, os empreendedores, cada vez mais buscam o suporte da tecnologia no varejo para personalizar, diferenciar e aprimorar a jornada do cliente.

Além disso, a tecnologia também tem sido explorada em outros processos da operação varejista. Desde a fábrica até a prateleira da loja e em todas as etapas intermediárias, as novas ferramentas podem fortalecer e otimizar as transações do varejo físico e do e-commerce.

O autor Mateus Ribeiro Almeida (2014) destaca que o comércio eletrônico vem se destacando, principalmente, porque a tecnologia no varejo potencializa o seu alcance.
“Poucas inovações na história humana englobam tantas vantagens quanto o comércio eletrônico. A natureza global da tecnologia, seu baixo custo, a oportunidade de alcançar centenas de milhões de pessoas, seu caráter interativo, a afinidade das aplicações potenciais, a multiplicidades de recursos e o rápido crescimento da Internet resultam em inúmeras vantagens para as empresas, os indivíduos e a sociedade”. (TURBAN et. al. 2004, p. 160).
Dessa maneira, a tecnologia no varejo gera uma série de benefícios para as empresas, bem como para os clientes.

Para otimizar a experiência do consumidor, o varejo e tecnologia têm trabalhado juntos, contando com uma série de recursos avançados, incluindo:

  • Rastreamento detalhado;
  • Transparência de estoque;
  • Compre online e retire na loja;
  • Atendimento ao cliente omnichannel;
  • Fidelidade e promoções personalizadas;
  • Experiências únicas;
  • Várias opções de pagamento.

Mas não para por aí. São muitas as inovações que visam agradar o cliente. Na entrada das lojas, beacons captam os clientes fidelizados nas proximidades, enviando ofertas personalizadas com base nas suas compras anteriores.

Já os espelhos inteligentes permitem que os clientes “experimentem” estilos diferentes ou testem novos tons de batom sem realmente colocar nada em seu rosto.

O fato é que, além de impressionar os clientes, a combinação de varejo e tecnologia gera uma série de benefícios digitais para os varejistas.

Usando a tecnologia no varejo, além de melhorar a experiência de compra, é possível aumentar a eficiência, otimizar o estoque, aumentar os lucros e incentivar a lealdade à marca.

São vários os ganhos de eficiência, orientados pelo uso de dados, tais como:

  • Inventário preditivo e previsão de demanda;
  • Precisão e visibilidade do inventário;
  • Otimização da cadeia de suprimentos;
  • Autenticação de produto;
  • Rastreabilidade do produto;
  • Gestão de logística;
  • Otimização de colocação de produto na loja;
  • Gestão de funcionários.

Mesmo diante do potencial de eficácia oferecido pela transformação digital, muitos varejistas ainda não optaram pela digitalização dos processos. Há uma curva significativa de aprendizado no que diz respeito à adoção e implementação estratégica das ferramentas disruptivas.

Contudo, é preciso observar que a inovação está sendo protagonizada pelos varejistas que têm visão de futuro. Logo, não há tempo a perder.
“O varejo já estava em plena transição para o mundo digital e, com a Covid-19, essa passagem foi antecipada a uma velocidade nunca antes vista. Com o fechamento do comércio em diversas cidades, o varejo digital tem se tornado uma nova forma de empreender, e veio para ficar” (ALVES, 2020).

Varejo e tecnologia: 4 tendências para o setor

Como Alves destaca, combinar o varejo e tecnologia para acompanhar o movimento de modernização é o desafio do setor. Para tanto, um dos primeiros passos é construir uma estratégia omnichannel, ou seja, que garanta destaque para a marca em vários canais usando soluções tecnológicas. Elas podem otimizar os processos, facilitando a compra do cliente e a gestão interna da loja.

A seguir, confira algumas ferramentas que entregam valor para o varejo digital e físico.

1.Cloud computing

Com a computação em nuvem, os dados da loja ficam armazenados em um ambiente virtual e seguro, com alta disponibilidade, que garante a confiabilidade e integridade dos dados. Esse recurso garante acesso ao histórico de funcionamento da loja online, sempre que você precisar.

2. Heatmapping

Os mapas de calor têm sido amplamente usados para compreender o comportamento do consumidor. Eles indicam os pontos dos sites que atraem mais atenção dos clientes. Além disso, a tecnologia no varejo físico também é aplicada.

Na prática, o software usa as imagens capturadas pelas câmeras, para mapear as áreas mais visitadas. Ao obter essas informações, é possível aprimorar a experiência do cliente.

3. Amplo leque de opções de pagamento

Com a necessidade do isolamento social e o surgimento do Pix, no Brasil, é certo que os pagamentos serão, cada vez mais, sem contato e sem dinheiro físico. Portanto, ampliar as formas de pagamento é uma tendência estratégica e necessária. Para a venda de bens de consumo duráveis, o parcelamento estendido faz toda a diferença.

4. Gestão fiscal automatizada

Nas lojas físicas e digitais, muitos processos consomem tempo e energia dos profissionais. Por isso, priorizar a automação de algumas tarefas é uma ótima maneira de garantir ganho de eficiência e de produtividade para o seu time. A emissão de notas fiscais, por exemplo, pode ser feita de maneira automática.

4 cases de uso de tecnologia no varejo

Cada vez mais a combinação do varejo e tecnologia estará presente na rotina do setor, tanto físico quanto no e-commerce. Do marketing digital até o pós-venda, todos os processos podem ser facilitados pelo uso de novas ferramentas disruptivas.
“Conceitos como Internet das Coisas – IOT, BI – Business Inteligence, Big Data, E-Business e E-Commerce e Processos de Design Thinking devem estar na ponta da língua dos empreendedores, e não só isso, tecnologias como as de Inteligência Artificial – IA vão a cada dia mudar a cara dos negócios” (ALVES, 2020).
Neste contexto, “as tecnologias de um e-commerce podem e devem ser empregadas para auxiliar no seu desenvolvimento e redução de custos, melhoria na interação com o usuário e segurança do negócio” (GNTIUC, 2018, p.28), tornando-o mais competitivo e inovador.

Confira alguns exemplos de tecnologias no varejo que já são utilizadas no mercado e que oferecem facilidades para os empreendedores do setor:

1.Reconhecimento facial (paying by smile)

Usado por restaurantes, com o paying by smile o cliente escolhe o prato e a refeição é paga através de reconhecimento facial. Esse método já é considerado bem mais seguro que senhas. Além disso, o procedimento é complexo, já que com essa tecnologia é possível ver a profundidade da imagem. Portanto, não é possível forjar a foto da pessoa. É usado em mais de 300 cidades da China.

2. Reconhecimento de imagem

O reconhecimento de imagem também é usado para identificar frutas na hora da pesagem do supermercado. A tecnologia permite a identificação de 3 tipos diferentes de maçã, por exemplo. Pode parecer simples, mas nem sempre a atendente do caixa tem facilidade para reconhecer.

3. Smart Shopping

Com essa tecnologia é possível obter estatísticas de trânsito de clientes usando um mapa de calor junto com o reconhecimento facial. Assim, os empreendedores podem entender o movimento de shoppings, supermercados ou lojas para saber o trajeto das pessoas e saber qual área da loja os clientes têm mais interesse.

Com o reconhecimento facial, também é possível identificar clientes novos, antigos e criar atendimentos personalizados. (tudo isso dentro da LGPD).

4. Blockchain

A solução de blockchain permite rastrear o produto em todo o seu ciclo: do produtor, logística, atacado, estoque até chegar no varejo. Isso é possível graças ao uso de QR code ou sensores inteligentes. Assim, os vendedores podem saber onde está o produto, qual o tempo de armazenamento e estoque, conhecendo toda a cadeia de distribuição. Esse rastreamento também garante segurança, evitando pirataria e desvio de cargas.

Conclusão

A tecnologia no varejo certamente tem muito a contribuir para a modernização das lojas físicas e o fortalecimento do e-commerce.

De acordo com dados da Activate, estima-se que o comércio eletrônico quase dobre até 2024, crescendo para US$6,5 trilhões em todo o mundo, em comparação com US$3,4 trilhões do ano passado.

Esse crescimento vai continuar. Agora, resta saber quais empresas irão ganhar vantagem competitiva neste novo cenário através da grande combinação entre varejo e tecnologia. Para se manter em destaque no mercado do futuro, é preciso começar na digitalização, incorporando tecnologia no varejo.

Em tempo, vale destacar que o mercado do futuro está em construção agora.

Leia também: Varejo e e-commerce são líderes em engajamento nas redes sociais.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.