Projeto mantido por:

Mudanças de comissionamento nos marketplaces em 2022

por Raul Prado Quarta-feira, 23 de março de 2022   Tempo de leitura: 11 minutos

Os principais marketplaces brasileiros anunciaram mudanças em suas comissões, tarifas e prazos de repasse desde o começo deste ano. Mercado Livre, Via, Americanas e Magazine Luiza, nessa ordem, anunciaram mudanças que já estão em vigor.

Mercado Livre

O primeiro comunicado de mudança foi emitido pelo Mercado Livre, que acabou com os descontos na tarifa de frete grátis para quem utilizava o fulfillment – os valores passaram a ser os mesmos para os demais serviços de entrega do Mercado Envios – e instaurou a cobrança de armazenagem e de coleta para envios de itens ao armazém, para todos os produtos do full (exceto a categoria Supermercado), ambas até então isentas desde a criação do serviço, em 2017.

O comunicado para vendedores anunciou também um reajuste médio de aproximadamente 3% nos valores das tarifas de frete e mudou o prazo de repasse dos valores para os sellers – de dois dias após a entrega do produto para até nove dias.

Por fim, houve uma mudança significativa no subsídio do Mercado Livre para suportar o serviço de entregas no mesmo dia, o Mercado Envios Flex. Nesse serviço, o próprio seller é responsável pela entrega no mesmo dia e recebia um subsídio de 40% do valor do frete cobrado do cliente para os itens acima de R$ 79. Esse benefício foi reduzido para 10%, ficando em torno de R$ 1,30.

Em itens abaixo de R$ 79, continua sendo repassado 100% do valor do frete pago pelo comprador para o vendedor. A redução do subsídio vai na contramão dos frequentes reajustes de combustíveis e da inflação, deixando o seller em situação complicada, principalmente os menores, que negociam taxas de entrega mais altas com as transportadoras.

As mudanças também atingiram os compradores, com a redução da quantidade de parcelas para compras com cartão de crédito na modalidade de anúncio PREMIUM, aqueles que já oferecem parcelamento sem juros aos compradores.

Se antes era possível parcelar em até 12 vezes sem juros, respeitando apenas a parcela mínima de R$ 5, a situação agora é assim:

  • Em vendas até R$ 299, haverá parcelamento de até nove vezes sem juros, dependendo do valor do produto;
  • Em vendas entre R$ 300 e R$ 1.499, haverá parcelamento em dez vezes sem juros;
  • Em vendas acima de R$ 1.500, foi mantida a condição de parcelamento em 12 vezes sem juros.

Via

A Via varejo seguiu os passos do Mercado Livre e, menos de 15 dias após o anúncio de reajuste do concorrente, promoveu um forte reajuste em sua tabela de comissionamento.

Vale ressaltar que a Via é a única empresa deste artigo que ainda não possui um programa de frete grátis para os compradores, tornando o reajuste ainda mais desproporcional aos demais canais.

Se antes todas as categorias possuíam comissão de 16%, agora os valores variam de 18,5% a 21%, sendo que a grande maioria dos produtos se encaixa na comissão mais alta.

A Via também implantou uma mudança que, até então, somente a Americanas adotava e que, como vocês verão a seguir, foi abolida por eles. É a cobrança de comissão quando um pedido é cancelado pelo comprador. A partir de agora, 50% do valor da comissão ficam retidos pela Via, mesmo que o comprador cancele o produto, o que é um direito dele, e a empresa joga por terra a estratégia comercial do “ganha-ganha”, comumente utilizada pelos marketplaces para explicarem o seu negócio: como pode haver ganha-ganha se o pedido foi cancelado e mesmo assim o seller precisa pagar comissão?

A Via justificou todas essas mudanças alegando que se estruturou e agora é um dos maiores marketplaces do país, o que sustentaria esse reajuste. É literalmente pagar para ver…

Americanas

Na contramão de todas as expectativas, a Americanas anunciou no começo do ano o que muitos consideram uma redução de tarifas.

Primeiramente, houve a extinção da taxa de R$ 5, que antes era cobrada em itens comercializados abaixo de R$ 39,99. Também, conforme já comentei, aboliu a cobrança de comissão quando o pedido é cancelado pelo comprador, desde que o seller utilize o seu serviço de entregas, o Americanas Entrega, que é usado por praticamente todo mundo…

Houve também a definição da política de frete para o fulfillment, que deixou os valores de frete para itens de até 5Kg como os mais baratos do mercado, como podemos ver nesta tabela comparativa montada especialmente para você, leitor dos meus artigos.

A comissão teve um pequeno reajuste porque passou a ser cobrada por categoria, prática adotada por todos os grandes marketplaces a partir de agora. Mas esse reajuste foi pequeno ao compararmos com os demais e pode ser compensado com as reduções na tarifa de frete grátis. Vendedores das categorias Pet Shops e Mercado ainda viram a comissão cair de 16% para 12%.

A tabela de comissionamento da Americanas ficou da seguinte forma:

Magazine Luiza

O último grande canal a noticiar mudanças foi o Magazine Luiza. Por muito tempo, a empresa subsidiou integralmente os custos de frete em compras realizadas via aplicativo da marca (certamente, algo em torno de dois terços de todas as vendas…) para os vendedores de marketplace, mas infelizmente esse benefício chegou ao fim.

A empresa já dava sinais desde o ano passado de que implantaria um modelo de rateio do frete similar ao já existente em outros canais. E assim, neste março de 2022, passa a vigorar a política de frete grátis para os vendedores de marketplace do Magazine Luiza para todos os itens a partir de R$ 79 de preço de venda, independentemente do canal de vendas.

Como mostramos no quadro comparativo logo acima, os valores cobrados pelo frete grátis no Magalu são os menores do mercado, principalmente se considerarmos que o serviço de fulfillment da Americanas é bem restrito aos sellers, necessitando de aprovação de sortimento pela própria Americanas.com, que pode simplesmente barrar a entrada. E, a partir de 5kg, a tarifa do Magalu já é a melhor em qualquer cenário avaliado.

O Magazine Luiza também implantou uma taxa extra de R$ 3 em todos os pedidos com valor de venda a partir de R$ 10. Essa taxa será cobrada mesmo em pedidos acima de R$ 79 (quando também é cobrada a tarifa de frete grátis), fato que não ocorre nos outros canais (que cobram ou uma ou outra taxa). Por esse motivo, incluímos os R$ 3 na tarifa de frete grátis do Magazine Luiza para termos uma comparação em condições iguais entre todos os canais.

Sendo assim, o modelo de comissionamento do Magazine Luiza agora é:

  • Produtos até R$ 9,99:
    Comissão (média de 16%)
  • Produtos de R$ 10 até R$ 78,99:
    Comissão (média de 16%) + taxa fixa de R$ 3
  • Produtos acima de R$ 79:
    Comissão (média de 16%) + taxa fixa de R$ 3 + tarifa de frete grátis (varia de acordo com o peso do item)

Shopee, AliExpress, Amazon e demais canais não anunciaram mudanças para este ano de 2022. Seguimos na expectativa pelo avanço dos serviços logísticos dos canais, principalmente o lançamento do fulfillment de Via e Magalu, o que deve mexer mais uma vez com as comissões e as tarifas cobradas pelos marketplaces.

As perguntas que ficam são: será que todas essas mudanças serão suficientes para os marketplaces se tornarem rentáveis? E o seller pode esperar novos reajustes num futuro próximo? E você… como sua empresa tem lidado com todas essas mudanças? Conta aqui pra mim nos comentários e, do mais, até a próxima!

Leia também: Guia completo sobre automatização e integração nos marketplaces

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER