Mobile commerce: como otimizar as vendas no e-commerce pelo celular

por Guilherme da Luz Sexta-feira, 07 de maio de 2021   Tempo de leitura: 5 minutos

Ninguém pode subestimar a importância que a conexão mobile teve em todos os aspectos do acesso à Internet como um todo. No caso do e-commerce, que por si só já é um conceito avançado em termos de vareja geral, a comunicação com clientes por dispositivos móveis é a nova realidade à qual todos precisam se adaptar.

Ao disponibilizar ao comprador uma forma mais flexível de fazer negócios, aumentando o tempo disponível por parte do vendedor e amplificando as ferramentas para realizar as transações por vários meios, o comerciante se coloca numa situação que pode, muitas vezes, ser desafiadora.

Afinal, como extrair ao máximo das vendas online pelo mobile commerce? O que o aparelho móvel pode fazer pelo negócio e pelo cliente que o computador não é capaz?

Adaptação à plataforma

Não faltam exemplos de plataformas grandes, especialmente marketplaces, que têm investido pesado na otimização do mobile commerce. O melhor exemplo disso é o surgimento massivo de aplicativos dedicados para várias dessas plataformas.

Eis, então, a primeira ideia da lista: pode ser interessante para o seu e-commerce investir num app próprio, de preferência para os dois principais sistemas do mercado (Android e iOS). Desenvolver um app requer, via de regra, a terceirização. Porém, uma pesquisa bem-feita pode mostrar que a opção é mais barata do que se poderia pensar.

Enquanto que os já citados marketplaces tentam impulsionar as vendas por mobile commerce — oferecendo promoções exclusivas e outras condições que torne o uso do app uma experiência melhor para seu cliente —, existem alternativas, digamos, mais simples.

Uma delas tem a ver diretamente com a comunicação com o cliente. Novamente, surge o exemplo de uma marca grande no marketplace, o Submarino. Ao mesmo tempo que disponibiliza seu aplicativo oficial para os usuários, a plataforma contata seus clientes via WhatsApp para confirmar pedidos e atualizar o status ao longo do desenvolvimento da transação.

Essa ideia pode ser especialmente interessante e é barata, principalmente. Enquanto não há um app, fazer a negociação por plataformas de comunicação comuns pode ser um bom paliativo. À esta situação se dá o nome de comércio conversacional. E a tendência é de puro crescimento — vide o relatório da CX Trends 2021, que aponta aumento de 118% na comunicação cliente-marca usando o WhatsApp no último ano.

Proteção e segurança para ambos os lados

Ferramentas para manter uma negociação segura em e-commerce não faltam. Porém, muita gente acha que apenas um antivírus gratuito é capaz de fazer milagres. Não é.

E no caso do mobile commerce, então, onde os aparelhos celulares são em geral menos protegidos que computadores? Saber como investir em segurança é essencial não só para o usuário-comerciante, como também para os dados dele, da empresa e do cliente.

Uma boa dica é, no momento em que estiver investindo em apps, pesquisar como instalar uma VPN para IOS ou Android. Afinal, esse tipo de ferramenta permite um controle maior sobre o fluxo de dados. De quebra, também serve como filtro de conteúdo, de modo a oferecer uma proteção-extra para quem está conectado.

Outros pontos-chave incluem investir em protocolo SSL para o site (o que vai valer mesmo se ele for acessado via mobile commerce) e, claro, oferecer um acesso seguro para o cliente também.

Otimização de conteúdo

Embora seja algo falado há mais de uma década, não se pode ignorar a importância contínua da otimização do conteúdo da sua plataforma de vendas para atingir o público desejado. Isso se vê não em uma, mas em várias frentes de atuação comercial.

Vou abordar a utilização da ferramenta SEO (Search Engine Optimization), por exemplo. Hoje, trata-se de um recurso essencial para qualquer um que quiser se manter relevante, por exemplo, nas pesquisas do Google. Para criar uma boa prática de SEO é preciso oferecer conteúdo otimizado com palavras-chave. Para isso, consequentemente, é necessário fazer pesquisa. Assinar um serviço de busca de KWs pode ser útil, embora um pouco caro.

Além disso, como o assunto é mobile commerce, é essencial pautar a criação de conteúdo de venda para ser visualizada por celular. Isso, via de regra, é pensado diretamente no app. Entretanto, pode e deve ser aplicado quando ainda não houver uma versão mobile do site de vendas. O importante é manter a experiência do potencial comprador positiva, para que esse “potencial” se transforme em “efetivo”.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.