Time interno ou agência? Vou te contar o que eu acho

por Rafael Martins de Oliveira Quinta-feira, 26 de novembro de 2020   Tempo de leitura: 8 minutos

Essa é uma pergunta que muitas pessoas me fazem: “é melhor montar um time técnico interno ou trabalhar com uma agência para essas entregas”? Vou listar aqui alguns pontos de vista que podem te ajudar a fazer melhor essa análise.

Creio que haja 4 pontos importantes para você analisar: 

  • O tamanho de seus orçamentos de mídia;
  • Complexidades do canais e das campanhas que você ativa; 
  • Time necessário para operacionalizar tudo isso;
  • Ferramentas que terá que contratar. 
  • Converso com muitas pessoas e vejo que elas tendem a querer internalizar principalmente pela agilidade que um time pode dar. Outro ponto é pela redução de custos quando comparado com a contratação de um fornecedor externo. Mas receio que esse time seja difícil de achar e que com o tempo ele fique defasado — ou a cultura interna da empresa não esteja ainda preparada para essa internalização.

    Cenário mais digital

    Ainda tem um ponto importante, que é o tempo que as agências em geral demoram para se adequar a este novo cenário — agora muito mais digital e data driven, em especial às agências mais antigas e tradicionais. Isso fez com que se criasse uma insegurança nos clientes, assim como uma abertura do mercado para novos modelos de negócio e agências, em especial para entregas de performance. Porém, com o tempo muitos clientes perceberam que precisam não apenas de especialistas em performance. Agora eles sabem que necessitam de especialistas em branding também. Afinal, apenas com a união dessas duas frentes que se tem grandes resultados.

    Há um outro ponto que venho percebendo e conversando com vários amigos que atuam no marketing de marcas. Acredito que é melhor ter todas as estratégias e orçamentos gerenciados por um único parceiro. Isso porque é mais ágil e eficaz a transferência de orçamento entre canais. Digo isso porque muitas marcas optaram por ter vários parceiros especializados em canais específicos. Porém, no dia a dia essa relação vira um gargalo de foco, desempenho e melhor uso de recursos — além da relação comercial que vira um desafio para o gestor de todos estes fornecedores.

    Quando olhamos para o time interno, de fato é a cada dia mais desafiador contratar pessoas com hard skills e soft skills dentro do que é necessário. Porém, também é um desafio criar uma gestão interna que permita e apresente formas deste time se atualizar constantemente e de forma eficaz nas principais ferramentas que usarão no dia a dia.

    Cultura de resultados 

    Comparando com as agências que agora estão com processos melhor definidos, gestão interna de contratação de pessoas visando diversidade de profissionais e um melhor entendimento das demandas, sigo mais inclinado em ter um parceiro externo. Afinal, para montar um time e uma cultura interna a curto e médio prazo isso se torna um imenso desafio para o gestor. Sabemos que vivemos a cultura do resultado. Não temos tempo para estruturar, pois estamos focados no ROI, no desempenho, no curto prazo. Isso porque sem resultados rápidos talvez o emprego do gestor seja posto à prova, o que o impulsiona a achar soluções rápidas e eficazes — e a não se arriscar em algo que ainda precisa ser estruturado.

    Se você chegou até aqui e entende que precisa de um fornecedor externo, vou tentar te dar dicas de como escolher mais e melhor este parceiro. Vamos lá!

    Como escolher a melhor agência para minha empresa?

    Primeiro, precisamos entender que o mercado de agências mudou muito nos últimos anos. Há novos players, novos desafios, verbas derretidas e profissionais questionando ainda mais o formato de trabalho deste mercado. Isso fez com que o gestores dos grandes grupos de agências repensassem o formato de trabalho e de remuneração — antes baseado em comissionamento de mídia e fornecedores, e agora em horas de trabalho e entregas específicas.

    Salvo isso, é importante entender qual o momento da sua empresa. Ou seja, será que agora ela precisa mais de ampliação de marca, awareness, ou precisa mais de performance? Lembrando que a marca já é bem conhecida e tem uma boa confiança dos consumidores. Existem muitas agências especializadas na parte mais tech (performance, dados, CRM, plataformas, mídia digital, analytics…) e outras mais especializadas em marca (planejamento, branding, criação, TV). Por isso, entender qual o momento da marca no mercado pode te ajudar muito a compreender qual o melhor parceiro para seu momento.

    Algumas agências também já estão organizadas para lidar com orçamentos maiores e outras para orçamentos menores. Isso pode parecer simples, mas faz toda diferença nessa escolha. Afinal, agências que estão acostumadas com verbas maiores conhecem mais e melhor os canais de mídia que demandam mais investimento. Por outro lado, agências que trabalham com verbas menores têm uma visão de trabalho mais focada em mídias para este perfil.

    Como avaliar o fornecedor

    Vou dar  um exemplo: você está em um momento que precisa muito de performance. Como eu acho que você deveria avaliar o fornecedor:

    • Ele precisa ter conhecimento técnico especializado e pode atender à maioria das suas necessidades de publicidade digital. Por exemplo: pesquisa, redes sociais, afiliadas, e-commerce, display, vídeo digital, analytics, etc;
    • Precisa ter conhecimento de tecnologias para gerar relatórios e ferramentas para otimizar as campanhas em todos os canais;
    • Ele precisa ser focado em ROI, otimizando diariamente sua verba para atingir os melhores resultados e suas metas de vendas ou captação.

    Mesmo assim é um desafio achar a melhor agência para você. Te convido para dar uma olhada nessa pesquisa da Forrester, que analisou agências de performance. Ela revela coisas que você pode analisar e também alguns players para analisar o site e ver como eles vendem seus serviços.

    Você pode fazer algumas perguntas para este fornecedor antes de contratar, como por exemplo:

  • De acordo com nosso investimento de mídia, somos grandes o suficiente para ser uma conta relevante para você?
  • Qual é a sua experiência no meu setor? Possui boas referências de empresas semelhantes como a nossa?
  • Você trabalha para algum de nossos concorrentes? Existe algum conflito com o qual precisamos nos preocupar?
  • Contudo, a relação com fornecedores externos demanda muita parceria e aprendizados de ambos os lados. Vivemos em um mercado que foi brutalmente atingido pela Covid-19, mas que mesmo antes disso estava tentando se reinventar e muitos ainda não o fizeram. Por isso é importante não entrar em contratos muito longos e tentar se cercar de algumas garantias antes de fechar negócio.

    Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
    Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
    Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

    Você recomendaria esse artigo para um amigo?

    Nunca

     

    Com certeza

    Deixe seu comentário

    0 comentários

    Comentários

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Comentando como Anônimo

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.