Acesso rápido

Martech: a próxima revolução tecnológica no e-commerce

por André Martins Segunda-feira, 06 de maio de 2019   Tempo de leitura: 11 minutos

Tive meu primeiro contato com e-commerce em 2011, quando trabalhei com players importantes do mercado brasileiro, atuando como Account Manager no Facebook. Naquela época, o e-commerce já causava uma disrupção significante no varejo tradicional em mercados mais maduros como os EUA e a Europa, mas ainda estava apenas engatinhando aqui no Brasil.

Nesse intervalo de sete anos, o faturamento do e-commerce brasileiro saltou de R$18,7 em 2011 para 53,4 bilhões em 2018 (eBit Webshoppers), sendo alavancado por uma série de elementos, com um destaque especial: o desenvolvimento de novas tecnologias e soluções de marketing.

O primeiro marco importante foi a popularização dos SaaS (Software as a Service), soluções de tecnologia na nuvem que trouxeram escala e “desburocratização” aos softwares tradicionais. Anos depois, observamos o boom dos SaaS de Martech, termo utilizado recentemente para classificar as tecnologias de marketing.

E o afinal, o que é Martech?

Martech é a interseção entre marketing e tecnologia. Em outras palavras, o termo pode ser usado para nomear ferramentas e plataformas de tecnologia para atingir objetivos de marketing, não apenas no segmento de e-commerce, mas potencialmente em qualquer indústria.

Para entender um pouco sobre os tipos de Martech, podemos recorrer ao site chiefmartec.com, uma das principais fontes sobre o assunto, que faz um levantamento anual sobre o ecossistema, classificando os players em seis segmentos:

  • Advertising & Promotion: Ferramentas de mobile marketing, mídia display, programática, search, social, vídeo, entre outras
  • Content & Experience: Inclui soluções de e-mail marketing, content marketing, personalização, testing e marketing automation
  • Social & Relationships: Plataformas de CRM, social listening & analytics, gestão de eventos e webinars, loyalty & referrals, bots e live chats
  • Commerce & Sales: Plataformas de e-commerce, affiliate marketing, automação de vendas e inteligência, IoT (internet of things) e experiências para varejo
  • Data: Customer data platforms, mobile & web analytics, business intelligence, data science, tag mangers etc
  • Management: Ferramentas de produtividade, gestão de projetos, colaboração

A evolução do ecossistema de Martech

Com o desenvolvimento dos polos de produção de tecnologia como o Vale do Silício, observamos um boom na quantidade de players de Martech sendo construídos ao longo dos últimos anos. Enquanto em 2011 havia cerca de 150 players, a estimativa é que já existam 7.000 players disponíveis em 2018:

Fonte: chiefmartec.com

O impacto das Martechs num negócio de e-commerce

Para entender o impacto das Martechs no e-commerce, vamos imaginar o caso hipotético de duas operações de e-commerce: uma delas sem a utilização de Martech e a outra utilizando duas soluções de Martech para otimizar a aquisição e conversão de clientes.

A primeira Martech seria uma solução de Advertising & Promotion, para otimizar a compra de mídia e geração de tráfego para um website ou app, um bid manager como a Kenshoo, QuanticMind, ou Adobe Media Optmizer. Já a segunda seria uma ferramenta de Content & Experience, focada em otimizar a experiência do cliente e processo de compra na loja online, como Monetate, Dynamic Yield ou Adobe Experience Platform.

Na tabela acima, observamos que a Martech de Advertising & Promotion reduziria o CPV(1), custo médio de cada visita trazida para o website em 8%. A ferramenta de Content & Experience, por sua vez, traria uma camada de inteligência em personalização e recomendação para exibir uma oferta de produtos mais assertiva para os usuários, aumentando assim a Taxa de Conversão(2) em 10% e o Ticket Médio(3) em 8%.

No cenário do e-commerce otimizado por Martech, as melhoras nos indicadores de crescimento gerariam um aumento de 30% na receita total da loja e de 18% no ROI (retorno sobre o investimento), mesmo aumentando o custo total de marketing em 10% (mídia + Martech).

O interessante aqui é o potencial de escalar essa otimização exponencialmente, ou seja, de aumentar o investimento em mídia para atrair mais clientes, escalar a receita total e ainda gerar uma “sobra” para cobrir os custos de Martech.

Por que ser uma empresa Martech-friendly

Aqui na AMARO, marca digital de moda, temos observado o impacto que um sofisticado stack de Martech pode gerar para o negócio, trazendo mais eficiência, escala e, acima de tudo, oferecendo uma experiência mais fluida e personalizada na interação das nossas clientes com a marca. Com isso, desde 2015 até hoje, aumentamos a quantidade de players de Martech de 5 para 18 ferramentas totais no nosso stack de tecnologia para a área de marketing.

É importante lembrar, contudo, que junto com as novas soluções que as Martechs trazem para as empresas de e-commerce, novos problemas e desafios também aparecem, como a própria dificuldade em escolher as melhores ferramentas dentro de um ecossistema com mais de 7.000 players, a complexidade na implementação e gestão dessas ferramentas e as capacidades dos profissionais de marketing que operam essas novas tecnologias.

Agora, além de criativo, antenado, analítico e data-driven, o profissional de marketing da Economia da Informação precisa ser também “fluente em Martech”.

Como montar um stack de Martech poderoso para o seu e-commerce

Com uma oferta de milhares de soluções de Martech no mercado, estruturar um processo de pesquisa e escolha de um player é muito importante para garantir que as melhores decisões sejam feitas, reduzindo assim o risco da ferramenta não trazer o retorno esperado. Enquanto cada empresa tem desafios, especificidades e tamanhos diferentes, podemos definir um processo de avaliação de players de Martech que pode ser aplicável para qualquer empresa:

1- Definição do problema

Essa etapa é o ponto de partida da pesquisa: definir quais objetivos de negócio pretende-se atingir com um SaaS de Martech e quais problemas essa solução deve resolver. Por exemplo: as páginas de produto do seu e-commerce têm uma taxa de conversão abaixo do esperado que precisa aumentar 10%, gerando um crescimento no faturamento total da empresa em R$500 mil. O problema deve ser o mais específico e claro possível, com metas qualitativas e quantitativas que a nova solução de Martech deve entregar.

2-Definição de use cases

Use cases são ilustrações detalhadas de processos que a ferramenta deve otimizar. Seguindo o exemplo acima, um use case poderia ser um detalhamento de como os usuários buscam os produtos no catálogo do e-commerce, bem como quais são os problemas e limitações com essa experiência atualmente e como ela poderia melhorar.

3-Documento RFP

Um RFP (Request for Proposal) é um documento que detalha os pontos 1 e 2 e concentra toda sua pesquisa sobre players de Martech. Esse documento é então compartilhado com os vendors que você está avaliando, que, por sua vez, colaboram com informações sobre a ferramenta, ajudando no processo de decisão final.

4-Benchmarking

Na fase de benchmarking, a ideia é pesquisar como outras empresas do seu segmento estão usando as Martechs para resolver problemas semelhantes, por meio de pesquisas e conversas com especialistas.

5-Mapeamento dos players de Martech

Nessa etapa, você já deve ter informações suficientes para fazer um mapeamento completo dos vendors disponíveis no mercado. O bom e velho Google é o seu ponto de partida e fazer buscas em inglês vai aumentar significativamente a oferta dos players. A busca “best SaaS for e-commerce A/B testing” por exemplo, pode retornar listas e análises de blogs especializados.

6-Avaliação dos players finalistas

O mapeamento anterior trará um número grande de players, tornando improdutivo estabelecer conversas e reuniões com todos eles. O segredo aqui é refinar para uma lista de 2 ou 3 finalistas que você acredita ser os melhores, de preferência priorizando aqueles que têm valores em comum com a cultura da sua empresa. Algumas ferramentas e relatórios podem ajudar nessa decisão, como uma busca no Linkedin para descobrir o tamanho da empresa e quantidade de funcionários, além de uma pesquisa nos relatórios de institutos e sites como Gartner, Forrester e Martech.com

7-Negociação, implementação e gestão

Por fim, a última etapa consiste em negociar os melhores preços com o Martech player, definir um plano de implementação, as pessoas e processos responsáveis por operar essa Martech dentro da sua empresa.
Na negociação, é importante ter em mente que muitos players praticam preços que flutuam de acordo com o volume do seu e-commerce (usuários, visitas etc), o que pode encarecer o investimento ao longo do tempo.

O futuro da Martech

Em um mercado cada vez competitivo e impactado pelo avanço das tecnologias, uma estratégia sólida de Martech se torna cada vez mais importante para o sucessos das empresas de e-commerce, passando a se ser um ativo crucial das companhias.

Ao longo dos próximos anos, as Martechs devem revolucionar ainda mais o mercado de e-commerce, trazendo inovações em automação de marketing, machine learning, inteligência artificial e modelos preditivos.

Os profissionais envolvidos também devem se manter atualizados e entender as tendências e evoluções do mundo de Martech, com CTOs trabalhando cada vez mais integrados com CMOs, ou quem sabe, a criação de novas posições como Chief Martech Officer ou Chief Marketing Technologist, com profissionais que atuam na intersecção entre tecnologia e marketing.

Artigo originalmente publicado na Revista E-Commerce Brasil

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.