Acesso rápido

Marketplaces: cinco erros comuns que podem prejudicar as vendas

por Ricardo Ramos Terça-feira, 05 de fevereiro de 2019   Tempo de leitura: 6 minutos

O mercado de marketplaces segue a todo o vapor. De acordo com um estudo realizado pela Precifica, a quantidade de vendedores que atua em lojas virtuais passou de 7.448 em setembro de 2017 para 14.204 em setembro de 2018, registrando um crescimento de 90,7% no período.

O levantamento analisou 29 departamentos de produtos e contempla 88,3% do total de ofertas publicadas em três dos maiores sites brasileiros, Walmart.com, Americanas.com e Extra. O aumento foi impulsionado pela entrada de novos sellers: 61% do total operam nos shoppings virtuais há menos de um ano.

Para auxiliar tanto os mais experientes como aqueles que estão entrando neste mercado, listei cinco erros comuns que impedem muitas empresas de se tornarem mais eficazes e eficientes na geração de resultados. Confira abaixo e otimize as vendas do seu e-commerce!

1) Categorização – certifique-se de que o produto esteja na vitrine correta

Mais comum do que imaginamos, muitos produtos registram baixa performance simplesmente porque os consumidores não conseguem encontrá-los no site. A praticidade na publicação por meio de hubs de integração, ERPs e plataformas de e-commerce acabam ofuscando a necessidade de auditoria sobre a maneira como os marketplaces estão expondo suas ofertas aos consumidores.

Nesse cenário, um ponto importante é a grande quantidade de produtos sem concorrência. O que parece ser bom pelo fato de ter as ofertas listadas de maneira isolada, pois o comparativo de preço fica mais distante, por outro pode ser ruim. Isto porque a oferta pode não receber todo o tráfego de consumidores interessados no produto uma vez que pode ser encontrada em diversas outras páginas duplicadas no marketplace.

2) Avaliações – mix de produtos diversificado

Para posicionar um produto como a melhor oferta ao consumidor, a maior parte dos marketplaces leva em consideração não apenas o preço mais baixo, mas também a avaliação do vendedor. Logo, um dos desafios encontrados pelos iniciantes está em conseguir criar sua reputação positiva por meio da avaliação de compradores e, assim, melhorar a exposição de todo o mix de produtos ofertado.

Este é um desafio enfrentado por muitos lojistas que apostam suas fichas em poucos produtos de alto giro, consequentemente com alta concorrência. Operar nos marketplaces com um mix mais diversificado, distribuído por diferentes departamentos e categorias, é uma forma de fugir da concorrência concentrada e atingir um público mais diverso. O volume e a qualidade das avaliações recebidas na venda de produtos de “longtail” também vão contribuir para o melhor posicionamento das ofertas.

3) Preços – Erros nos separadores de milhar e decimal

Outro equívoco também muito comum é a publicação incorreta de preços, seja por conta de erro na digitação dos separadores de milhar e decimal ou devido a falha de integração entre sistemas. Uma possibilidade é ordenar as ofertas publicadas pela maior diferença de preço em relação aos concorrentes, desta forma fica simples identificar e corrigir possíveis erros na precificação.

4) Descontos – cálculos errados que levam ao prejuízo

Uma prática ainda comum é o ajuste de preços por meio da aplicação de um percentual de desconto de forma linear em uma lista de produtos. Como resultado deste procedimento mais genérico, alguns destes novos valores poderão não atender às expectativas de retorno financeiro.

5) Precificação – busca contínua pelo preço de venda ideal

No dia a dia da gestão do e-commerce, é preciso estar atento às ações dos concorrentes, bem como ao reflexo que estas geram na performance de vendas. A falta de um acompanhamento e de uma reação mais dinâmica em virtude do mercado e da demanda pode significar a perda de milhares de reais adicionais em margem de contribuição.

Assim, o uso da precificação dinâmica traz a vantagem de elevar o preço, seguindo uma tendência do setor e evitando que este fique muito baixo. Com o uso cada vez mais intenso desta tecnologia, muitas lojas virtuais modificam automaticamente o preço várias vezes ao dia a fim de não perderem a competitividade e manterem o fluxo contínuo de vendas. Já para lojistas que não fazem o uso desta ferramenta, é importante identificar estas frequentes alterações e fazer os ajustes necessários, porém, isto implica em um processo oneroso e, muitas vezes, ineficiente.

Agora é colocar em prática todas estas dicas e otimizar as vendas do seu e-commerce.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.