Acesso rápido

A nova era do marketing de varejo

por Tiago Magnus Segunda-feira, 09 de abril de 2018   Tempo de leitura: 9 minutos

O marketing de varejo busca observar o comportamento do consumidor, compreender as suas necessidades e vontades para, então, definir as estratégias adequadas para o seu perfil. Isso porque o objetivo de todas as estratégias ou ações é o de promover e aumentar a comunicação com o cliente, criando um relacionamento entre a empresa e o consumidor.

Com isso, ao contrário do que muitos pensam, o marketing de varejo não está apenas relacionado com a venda de produtos, mas sim com a fidelização de clientes. Mas, mesmo ampliando o foco, tudo isso também tem relação com o aumento das vendas e, como consequência, com o crescimento exponencial dos lucros.

Conhecer o cliente é fator imprescindível para traçar a melhor estratégia de marketing, mas, com as novas tecnologias e ambiente virtuais, o marketing de varejo encontra mais desafios para atingir o consumidor certo e conseguir mantê-lo fiel a sua marca.

As novas formas de consumo

Com o desenvolvimento tecnológico, a forma de consumo de bens e serviços tem mudado. Hoje, com a possibilidade de fazer compras pela internet ‒ principalmente pelo smartphone ‒ e com o aumento da utilização dessas plataformas de venda, o cliente está ficando cada vez mais exigente em relação a agilidade e praticidade no atendimento e nas compras, e ainda, preocupado com a segurança das transações nesse ambiente.

Omnishoppers é a palavra utilizada hoje em dia para designar esses consumidores digitais. São aqueles que comparam o que é oferecido pelas empresas no ambiente virtual, buscando preço, informação de qualidade, agilidade no produto e/ou serviço oferecido. Eles caracterizam o novo comportamento de consumo.

Esse novo consumidor e a inclusão no ambiente virtual também trazem consequências a estrutura das empresas. Afetada pela incorporação de novas tecnologias, a integração dos departamentos, a exatidão para o controle do estoque e a precisão das entregas de produto são alguns dos fatores que têm modificado a forma atuação do varejo no mercado virtual.

A experiência do consumidor

O setor varejista precisa conhecer o seu cliente, saber das suas necessidades e desejos específicos para satisfazer essas vontades e construir um relacionamento confiável e duradouro entre empresa e consumidor.

O foco na experiência do cliente é o valor central para o sucesso do relacionamento com a empresa. O objetivo é satisfazer as necessidades do consumidor, mas também criar uma memória positiva sobre a marca. A criação dessa memória está muito relacionada com a missão, visão e valores de uma instituição.

Com isso, para favorecer as soluções e ações de marketing, o varejo precisa aumentar os espaços, tanto físico como virtual, para experiências renovadas.

Hoje, além de saber para qual consumidor a loja está desenvolvendo as suas ações, também é preciso encontrá-los e fidelizá-los em ambientes virtuais, como as redes sociais, aplicativos e ainda outros meios.

A seguir, temos 2 exemplos de empresas do setor que estão investindo de forma diferenciada no marketing de varejo. Uma que está investindo no desenvolvimento de novas experiências tanto para o cliente físico quanto para o virtual e a outra que se baseia na missão tradicional da empresa para desenvolver a sua estratégia de vendas e de marketing. 

Dois exemplos de marketing de varejo

01 –  Livraria Saraiva

Em 2016, a Livraria Saraiva começou o seu processo de transformação digital. O objetivo a ser alcançado é o de fidelizar o consumidor, criar novas experiências para o cliente, como a possibilidade de folhear um livro online e, ainda, explorar outro mercados por meio da diversificação dos negócios.

O investimento para manter o foco na expectativa do cliente é o que a empresa alega ser o diferencial que a mantém na liderança na venda de livros. Posto em que se manteve mesmo com a entrada da Amazon no Brasil.

A aposta da empresa é a união do mundo físico com o digital e proporcionar as mesmas experiências de compra para clientes físicos e online.

Para tanto, um dos projetos desenvolvidos pela empresa é o Saraiva Entrega, que pode vender produtos esgotados (ou mesmo inexistentes) na loja física escolhida pelo consumidor.

Através dele é possível reservar o produto no estoque de outras lojas físicas e, também, as vendas realizadas pelo site – que podem utilizar o estoque de qualquer loja física – para que o comprador retire o pedido feito online na loja mais próxima.

Além disso, para elevar o trânsito nos estabelecimentos, a empresa estabeleceu uma parceria com a Google e, a partir da geolocalização dos clientes, os anúncios que serão visualizados por esse consumidor estarão relacionados com as lojas físicas mais próximas.

02 – Walmart

O Walmart nasceu em 1962, com o objetivo de ajudar as pessoas a economizar dinheiro para que elas pudessem viver melhor. Ainda hoje, a empresa não perdeu de vista esse objetivo e manter essa missão foi algo positivo para a estabelecer a sua estratégia de sucesso.

Nas lojas físicas, a meta desse varejista não é o melhor atendimento ao cliente, com funcionários preparados para ajudar os consumidores em suas compras, o objetivo é ter os produtos na prateleira da loja e com o preço baixo. Nada mais!

Na loja online, a empresa tem expandido a quantidade de produtos oferecidos. Em 2016, no princípio do ano eram 8 milhões de itens cadastrados, no final desse mesmo ano eram mais de 20 milhões de itens disponíveis virtualmente.

Além disso, no início de 2017, na loja online dos EUA, o Walmart buscava tornar o processo de compra mais eficiente para a própria empresa e fornecedores, diminuindo ainda mais o custo, impactando no valor dos produtos e melhorando a coordenação entre as equipes de compras.

A compra para a loja física e da web começaram a serem feitas em conjunto, para eliminar os esforços duplicados. Isso significa que os pedidos feito aos fornecedores serão combinados dos dois tipos de lojas e cada item disponível para venda na loja física também será aprovado para a venda online.

Com mais produtos na prateleira física e virtual, conseguindo vender com os melhores preços, a empresa utilizou a sua missão para desenvolver o seu marketing de varejo e, dessa forma, se manter no mercado. Quem busca o Walmart quer encontrar o produto com um preço bom e, como vimos, a empresa buscar satisfazer as necessidades do cliente que procura a sua loja.

Percebeu como as transformações tecnológicas têm modificado o consumidor e o conceito e as ações do marketing de varejo? As novidades nessa área são muitas e as mudanças estão acontecendo constantemente.

 

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.