Projeto mantido por:

Live commerce: como as empresas estão aderindo à tendência?

por Ricardo Garrido Segunda-feira, 20 de dezembro de 2021   Tempo de leitura: 8 minutos

A combinação das transmissões ao vivo com as vendas pelo e-commerce é a nova tendência para lojas virtuais. Desde a chegada do Alibaba, que detém os sites Tmall e AliExpress, o formato ganhou força e um novo capítulo foi aberto no marketing para vendas online.

A empresa chinesa foi a pioneira de uma estratégia digital, o live commerce. Não demorou muito para que marcas do restante do mundo começassem a usar o formato que fortalece a interação com o público e acelerar a conversão em vendas. Saiba mais neste post!

O que é live commerce?

O live commerce é um conteúdo que utiliza a transmissão ao vivo para vender um produto ou serviço. O objetivo é estimular os participantes a comprar o produto ou serviço em destaque na loja virtual enquanto estão assistindo.

É um formato que ficou famoso com programas de TV que aproveitam a audiência para vender produtos como joias, itens de cozinha e de decoração. Nesse caso, basta que você que está assistindo ligue para o número que aparece na tela e feche uma compra.

Finalmente essa estratégia chegou à internet em 2016 com as empresas do grupo Alibaba. A partir de então, as transmissões poderiam ganhar a participação direta do público por meio do chat ao vivo e botões de reação.

Em poucos anos, o live commerce se transformou em uma estratégia consolidada para o conjunto de empresas chinesas. Em 2020, o Alibaba chegou a U$ 7,5 bilhões nos primeiros 30 minutos de campanha de pré-venda para o Dia dos Pais.

A campanha mobilizou mais de 400 empresários do Alibaba e 300 celebridades em sessões de lives individuais. A combinação entre a transmissão ao vivo e as vendas digitais mostrava-se eficaz, e empresas do mundo todo passaram a replicar a estratégia.

As sessões de live commerce começaram a “bombar” entre as empresas brasileiras com a chegada da pandemia da COVID-19. Grandes marcas, como a Riachuelo, Farm, Schutz e Renner passaram a fazer sessões de transmissões ao vivo para promover seus produtos.

O celular teve sua função potencializada com as pessoas em casa, isoladas e privadas de atividades ao ar livre. O consumo de informação, produtos e serviços no mundo digital passou a ser mais intenso, e as empresas souberam aproveitar o momento.

Por que as empresas estão aderindo a essa tendência?

Embora não faça muito tempo que o live commerce tenha se popularizado, já é possível medir as vantagens diretas e indiretas que essa tendência pode gerar para os negócios online. Confira, a seguir, quais são as principais vantagens.

Acelera a conversão

O live commerce permite que a empresa alcance consumidores em diferentes estágios da jornada de compra (descoberta, consideração e decisão). É possível tirar dúvidas básicas sobre os produtos e, na mesma transmissão, criar um senso de escassez e urgência com descontos exclusivos por tempo limitado.

Você pode instruir o consumidor sobre como fazer a compra da maneira correta e segura, criando um ambiente de imersão perfeito para gerar mais conversões em vendas.

Melhora o relacionamento com o cliente

Quanto mais familiaridade um cliente tem com a marca, maior é a chance de ele voltar e fazer uma nova compra. O live commerce pode ajudar na construção desse público fiel.

Durante as transmissões ao vivo, os participantes podem dar feedbacks imediatos sobre o produto ou o próprio processo de compra, e as empresas podem colher informações vitais sobre a percepção do público sobre ela.

Saber o que o cliente quer vai ajudar sua empresa a se adaptar com rapidez e atender às necessidades mais relevantes.

Aumenta o tempo de permanência na loja

Um grande desafio da loja virtual é diminuir a taxa de potenciais consumidores que saem do site sem fazer nenhuma interação. Quanto mais tempo na loja virtual, mais chances você tem de fisgar a atenção do usuário e aumentar o valor gasto médio por clientes.

O live commerce é uma poderosa arma para alcançar esse objetivo. A ideia da transmissão não é apenas vender o produto, e sim criar um ambiente de imersão do participante nas vantagens, nos resultados e nos objetivos da empresa com ele.

Leia também: O que é e-wallet e como tem impactado o comércio eletrônico?

Como usar o live commerce?

Se você se convenceu de que o live commerce pode alavancar as vendas do seu negócio, o próximo passo é entender como começar a sua estratégia.

As transmissões podem, de fato, demandar um grau de planejamento para serem bem-sucedidas. Por outro lado, isso não significa que você vai precisar de uma equipe técnica ou investir boa parte do seu orçamento de marketing na estratégia.

O sucesso do live commerce está justamente na praticidade. A comunicação direta com potenciais consumidores às vezes exige o mínimo e o uso de plataformas disponíveis para todos. Dito isso, confira nossas dicas para colocar em prática as suas transmissões ao vivo.

Defina o formato de live

Existem diferentes tipos de formato de conteúdo para o live commerce. Você pode usar as transmissões para interagir com o público e promover um produto de diferentes maneiras. Essa variedade permite que as empresas consigam adequar melhor esse formato de conteúdo aos objetivos das suas estratégias digitais.

Veja abaixo a lista de alguns formatos para o live commerce:

  • lançamento de produto: os lançamentos por live commerce ajudam a conectar potenciais consumidores por meio de uma interação mais pessoal e direta;
  • demonstração do produto: as transmissões também podem servir para mostrar ao público como um produto ou serviço resolve um problema, encorajando mais pessoas a finalizarem a compra na loja virtual da empresa;
  • review: algumas empresas contam com a colaboração de influencers para a criação de avaliações (ou reviews) de produtos recebidos;
  • entrevista: entrevistas com profissionais bem-conceituados ou influencers relevantes em determinado segmento aumentam o poder de entreter o público e melhorar a percepção sobre a marca;
  • bastidores: transmissões para explicar a história por trás da criação de um produto ajudam a um público fiel.

Seja qual for o formato escolhido, uma transmissão de sucesso depende de elementos extras que mantenham o público engajado, com metas e brindes, além da qualidade técnica da live, principalmente no que diz respeito à fotografia, locação, som e iluminação.

Escolha uma plataforma para as lives

Você pode fazer lives nas principais redes sociais, como Instagram, Facebook e YouTube, de forma gratuita. Uma opção é utilizar uma plataforma de transmissão ao vivo. Já existem softwares com uma tecnologia de transmissão excelente por preços acessíveis.

Todas essas alternativas permitem que você tenha um contato direto com o cliente e, a partir daí, consiga criar um canal de vendas poderoso.

Mostre um direcionando para o público

É importante que fique claro o próximo passo depois da transmissão. Tenha uma Chamada de Ação (ou Call To Action — CTA) que mostre aos participantes como eles podem acessar o produto que está sendo oferecido.

Por exemplo, você pode disponibilizar o link da oferta ou criar um QR Code para exibi-lo na tela. Assim, a compra poderá ser feita pelo cliente durante a transmissão ao vivo.

Ofereça condições especiais para os participantes

Uma oferta por tempo limitado pode engajar os participantes a efetuarem a sua chamada de ação, que pode ser a compra do produto divulgado na transmissão. A oferta ajuda a criar uma exclusividade e um senso de urgência que aumenta as chances de vendas.

Experimente o formato

Não se esqueça de fazer uma ou mais transmissões de teste. Talvez seja importante começar pequeno, entendendo como funciona essa experiência e os problemas técnicos que podem surgir antes de fazer um investimento em divulgação mais robusto ou chamar convidados, por exemplo.

Quais são os desafios?

Para aproveitar todo o potencial do live commerce, é preciso pensar em soluções para alguns desafios que surgem com a execução da estratégia.

Em primeiro lugar, é importante enxergar o live commerce com um tipo de evento que precisa ser divulgado e promovido com antecedência, principalmente se a transmissão será usada para lançar um produto ou serviço.

É preciso criar, em outras palavras, um “buzz” em torno do evento, fazer com que o máximo de pessoas saiba que vai acontecer o live commerce. Essa divulgação permite que você tenha um público para converter em clientes durante a transmissão.

Investir em e-mail marketing, anúncios nas redes sociais e divulgação no site principal da empresa são algumas maneiras de “viralizar” o evento para o público interessado.

Um segundo desafio para a execução do live commerce é a própria preparação da loja virtual para receber o fluxo de clientes.

Problemas relacionados à experiência do usuário influenciam de forma negativa na decisão de compra. Se você já conseguiu atraí-lo para a loja virtual, agora é hora de proporcionar uma navegação agradável e funcional.

Então, tenha um bom serviço de hospedagem para o site, pois isso pode evitar que o tempo de carregamento das páginas seja longo. Mantenha também um design simples e responsivo para garantir a navegação de qualquer dispositivo conectado à internet.

Apesar dos desafios, o live commerce é uma tendência promissora. Mesmo que a sua popularidade só tenha subido no Brasil depois da pandemia, a adaptação desse formato às tecnologias digitais e às necessidades do consumidor faz do live commerce um pilar daqui para frente para uma boa estratégia de vendas online.

Leia também: M-Commerce: como as empresas têm se adaptado a essa realidade?

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER