Acesso rápido

A adequação à LGPD é um processo árduo e sem fim

por Marcelo Pincherle Segunda-feira, 04 de novembro de 2019   Tempo de leitura: 6 minutos

Se adequar ao novo cenário imposto pela Lei Geral de Proteção de dados (LGPD) não é uma tarefa simples que qualquer tecnologia ou prestador de serviço irá resolver. Trata-se de um constante estado de ‘conformidade’. O assunto é tão desafiador que mal temos expressões suficientemente confortáveis para evitar o anglicismo do compliance.

Todos nós já estivemos envolvidos em rodas de conversas, palestras, Hangouts e diversas dinâmicas para falar ou ouvir sobre o assunto. Entender e identificar as bases legais para a coleta de dados pessoais, sobrepesar riscos e benefícios e envolver as mais distintas áreas em projetos multidisciplinares já viraram jargões banais ao lado dos DPIA’s, DPO’s e muitos outros.

A grande questão, na prática, é que existem poucas destas tarefas que vêm com uma receita pronta, no estilo Plug&play. Algo que possa representar um milestone nessa jornada de adequação. A implementação de uma Plataforma de Gestão de Consentimento, contudo, pode ser um excelente primeiro passo!

É claro que por si só, não é suficiente para garantir adequação a LGPD nem tampouco isentar seu negócio de eventuais riscos. Mas pode te colocar na rota para este caminho e garantir alguns passos nessa direção.

Garantir que todos os seus scripts, tags e cookies estão sendo chamados apenas após o usuário consentir faz com que sua empresa reduza drasticamente seu liability frente a esse rigoroso cenário.

Lei como diferencial

O cumprimento da lei não é mérito nenhum, apenas nossa obrigação e dever, mas que já começa a criar importantes diferenciais de negócio. Mais do que isso, passa a permitir que as marcas respeitem verdadeiramente as decisões dos usuários, empoderando-os da forma correta. Tudo isso em um dos principais pontos de contato da sociedade moderna: suas propriedades digitais.

É claro que as marcas precisarão lidar com a adequação de diversas outras fontes de dados: suas lojas físicas, cupons de uma antiga promoção, dezenas de sistemas legados em CRM desestruturados. Além de dados do RH, Segurança e outras frentes. Mas, posso afirmar que a percepção da transparência será clara por meio dos sites e aplicativos.

Preocupação do consumidor

Não há um estudo que comprove meu ponto, mas se nos basearmos na pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes e Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em que 97% dos internautas brasileiros buscam informações na internet antes de comprar em lojas físicas, não é difícil imaginar que, este mesmo comportamento seja repetido se o usuário quiser saber mais sobre a política de privacidade de uma empresa. Ou até se quiser exercer alguns de seus direitos — como o de esquecimento.

Não se espera que um usuário comum (sempre há exceções) vá a uma agência bancária e aguarde na fila para solicitar um relatório de quais dados o banco têm sobre ele, ou que, em uma ida ao shopping center, ele interpele um vendedor de um grande varejista para solicitar uma correção de seu cadastro. A adequação dos sites funciona exatamente como a ponta de um iceberg: Pode não ser a maior parte, mas sem dúvida é a mais visível.

Como começar a adequação

O passo essencial de qualquer projeto de adequação e conformidade deve, portanto, começar por uma CMP para controlar os consentimentos, um Tag Manager para orquestrar essas requisições e um assessment para determinar quais cookies e outros rastreadores estão sendo executados.

Contar com soluções integradas que podem rapidamente cobrir estes pontos é o alívio que todos os envolvidos no tema buscam nesse momento, já que se trata de processos indolores e de resultados super-rápidos, características muito valorizadas por qualquer tomador de decisão e envolvido em frentes de adequação de LGPD.

Tanto a LGPD quanto as demais leis de privacidade que não param de surgir por todo o mundo, não são o início do fim. Muitas vezes desafiadoras, elas são um grande passo para que todo o ecossistema digital seja mais transparente, eficaz, inteligente e proporcione uma relação mais próxima entre as companhias e seus consumidores.


Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo! Quer fazer parte do time de articulistas do portal? Tem alguma sugestão ou crítica? Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.