Acesso rápido

Por que desenvolver as integrações com os marketplaces pode comprometer o seu software?

por Ricardo Sponchiado Quarta-feira, 27 de setembro de 2017   Tempo de leitura: 5 minutos

Para aumentar as vendas, ganhar visibilidade, fidelizar novos clientes, ou até mesmo iniciar as vendas online, milhares de empresas já estão considerando o marketplace como top 3 de seus canais de venda.

O marketplace funciona como um shopping na internet e sua principal vantagem é o modelo de negócio: o lojista parceiro só paga se vender! É sempre bom relembrarmos os benefícios desse modelo para reforçar como esses canais são uma ótima oportunidade para os fabricantes, distribuidores ou lojistas (conhecidos como “sellers”):

  1. Alcance e visibilidade da sua marca: a marca do seller parceiro está visível para milhões de visitantes. Além disso, os marketplaces têm investido bastante em outros canais de divulgação, além da internet, como TV, rádio, jornal, revista, trazendo potenciais consumidores do mundo físico, para o mundo digital.
  2. Aumento das vendas: os produtos estarão expostos para uma quantidade gigantesca de potenciais compradores, consequentemente suas vendas irão aumentar.
  3. Baixo investimento: uma comissão que varia entre 10% ~ 20% é descontada sobre a venda. Não tem taxa inicial, não tem mensalidade e nenhum custo fixo para ser parceiro dos marketplaces.

Que oportunidade fantástica para aumentar as vendas! Contudo, é necessário ficar atento, pois ao iniciar a operação em um marketplace o parceiro precisa se adaptar a um novo sistema e a novas regras.

É importante fazer um planejamento e entender quais são os marketplaces ideais para o seu segmento de produtos, colocar na ponta do lápis os custos envolvidos (frete e operação) e trabalhar com uma precificação dinâmica, para não ter prejuízo.

Falando da parte operacional, o seller parceiro precisa cadastrar seus produtos, manter o preço e o estoque sempre atualizados, baixar e processar os pedidos, atualizar os dados de nota fiscal e as informações do envio (código de rastreio e status do envio), responder os chamados do SAC, tudo isso em um novo sistema e com novas regras.

São tarefas que consomem tempo e aumentam o custo da operação. Com o aumento do volume de vendas e da quantidade de produtos cadastrados, o controle manual se torna impossível, resultando em uma série de problemas, como informações desatualizadas, preços errados, estoque defasado, prejuízos, aumento das reclamações dos clientes e, consequentemente, a desqualificação do parceiro pelo marketplace.

Para ajudar o parceiro nesta empreitada existem empresas especializadas que fornecem soluções para automatizar e gerenciar a operação nos marketplaces. Essas empresas, conhecidas como integradoras, (ou hubs de marketplace), fornecem uma plataforma SaaS que sincroniza os dados entre os sistemas de gestão que o seller utiliza e os marketplaces.

O hub faz a importação automática dos produtos do sistema do seller, permite criar e editar anúncios personalizados para cada canal, sincroniza o preço e o estoque em tempo real, cria os pedidos vindos dos canais direto no sistema de gestão do seller e também atualiza as informações de nota fiscal e código de rastreio no marketplace, tudo isso de forma automática, sem precisar acessar cada sistema e fazer as atualizações manualmente.

Antes de integrar a operação é importante conhecer o papel de cada sistema envolvido na integração, o fluxo das informações entre eles e qual deles será a fonte das informações, seja o e-commerce, o ERP ou a plataforma integradora. Por conta disso é fundamental ter o apoio de uma empresa especializada em integração com marketplace, que forneça uma ferramenta prática e funcional e uma equipe de suporte preparada para ajudar o seller parceiro nesta empreitada.

Como acompanhamos diariamente as integrações, conhecemos muito bem as barreiras e obstáculos para integrar novos canais. É preciso monitorar as APIs de terceiros e manter os conectores sempre atualizados, já que são alterados frequentemente.

Algumas vezes os sistemas de e-commerce desenvolvem as integrações com os marketplaces “em casa”. Tomados pela ansiedade e pressão dos clientes, acabam perdendo o foco do seu negócio e assumindo uma área que parece ser simples.

Desenvolver internamente as integrações com marketplaces ou integrar com um Hub?

Decidimos listar os prós e contras de desenvolver as integrações com os marketplaces internamente ou integrar com um Hub, levando em conta nossa experiência nesse mercado. Vamos lá:

Desenvolver as integrações com os marketplaces internamente

Prós:

  • Autonomia – Possui controle da situação e pode customizar a integração de acordo com as demandas específicas de cada cliente.
  • Gerar receita com a integração – Pode vender como um módulo avulso e obter uma receita extra.
  • Comodidade para o cliente  Cliente não precisa contratar outra solução.

Contras:

  • Custo com infra e desenvolvedores – As integrações consomem muitos recursos de rede e servidores devido a alta frequência de troca de dados entre as APIs em tempo real;
  • Desvio do foco – Os desenvolvedores da empresa assumem o papel de integrar com outros canais e acabam perdendo o rendimento e foco no core business da empresa;
  • Curva de aprendizado – Cada novo sistema a ser integrado possui regras de negócio específicas que precisam ser consideradas e entendidas pelo desenvolvedor;
  • Tempo – Além de tomar tempo de desenvolvimento, uma nova integração precisa de um tempo considerável (pode levar meses) para ficar estável;
  • Manutenção – Depois de gastar dinheiro e tempo no desenvolvimento é preciso manter a integração. Novos campos, recursos e regras de negócio são implementadas nas APIs e precisam ser incluídas na integração;
  • Suporte – Somente a integração não resolve. Cada canal de venda possui regras de negócio particulares e você acaba absorvendo estas regras no seu sistema, é seu papel conhecer todas elas e orientar o cliente, seja pelo sistema, criando conteúdo ou contratando uma equipe de suporte.

Integrar com um Hub

Prós:

  • Custo zero – O Hub irá absorver os custos de manter as integrações, manter a equipe de desenvolvedores e também integrar novos canais.
  • Velocidade – Novos canais surgem frequentemente e o papel do Hub é justamente conectar a maior quantidade de canais de venda para que seu cliente venda mais!
  • Especialistas – Conte com uma equipe técnica com experiência em projetos de integração (indústria, varejo e logística) e integração com marketplaces no Brasil. O que é melhor, um desenvolvedor generalista que cuida um pouco do módulo emissor de nota fiscal, um pouco do módulo de carrinho de compras e um pouco da integração com os marketplaces ou uma empresa especializada em integração com marketplaces?
  • + de 20 canais de venda integrados de uma vez – Com apenas uma integração, você estará conectado a mais de 20 canais de venda, tornando o seu software mais competitivo no mercado.
  • Funcionalidades – O Hub, além de tudo isso, atende as regras de negócio de cada marketplace, eliminando a necessidade de você customizar o seu sistema.

Contras:

  • Insegurança – Como comentado no início do texto, os marketplaces já estão entre as principais estratégias das empresas. Muitos sistemas parceiros acabam ficando inseguros em deixar a integração na mão de terceiros. É interessante conhecer bem o hub, a equipe técnica e os cases.
  • Custo para o cliente – O custo de um Hub muitas vezes inviabiliza a operação nos marketplaces. Mais uma vez, é necessário entender o modelo comercial do negócio e colocar no papel custos vs margem para que o resultado seja positivo!

Sua especialidade (que produto você entrega?)

Qual é a sua especialidade? Salvo você ser uma empresa de tecnologia com inúmeros braços especialistas, é provável que você foque sua expertise no que você entrega. Você pode ser um emissor de nota fiscal, uma plataforma de e-commerce, enfim ter um core business bem definido, com foco em resolver um problema específico, o que é ótimo.

Sua especialidade está no seu core business e não no desenvolvimento de dezenas de integrações com marketplaces. Esse é outro ponto que pode comprometer seu software, pois se você estiver focando seus esforços no desenvolvimento de integrações com marketplaces, está deixando de lado seu core business e consequentemente não entregando sucesso para seus usuários.

Na dúvida, sempre é importante relembrar a missão da sua empresa para então tomar a decisão, já que a decisão errada pode comprometer o seu negócio.

Republicado com autorização do autor. Original disponível em: https://www.linkedin.com/pulse/porque-desenvolver-internamente-integra%C3%A7%C3%B5es-com-os-pode-sponchiado

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.