Mercado pós-Covid: tendências e inovações no e-commerce

por JB Queiroz Filho Sexta-feira, 09 de abril de 2021   Tempo de leitura: 7 minutos

O ano de 2020 foi cheio de mudanças. De uma hora para outra, o mundo parou por conta da pandemia de Covid-19. A circulação foi restringida; os eventos foram proibidos; as lojas físicas, temporariamente fechadas. Com os consumidores se adaptando à nova rotina em casa, o ambiente digital se tornou o principal meio de conexão com as marcas. Mas será que estamos preparados para os reflexos ainda desconhecidos desse período? Para entendermos melhor o assunto, vamos falar sobre as modificações no comportamento do cliente, sobre as tendências e inovações que você deve incluir no seu e-commerce.

Tendências e inovações: preços e conforto

Segundo estudo realizado pela Nielsen, companhia internacional especializada em pesquisas de marketing, e divulgado pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) no ano passado, as necessidades de consumo variam de acordo com as etapas de propagação da doença. A pesquisa apontou que as principais preocupações incluem, por exemplo, compras proativas para a saúde, preparação da despensa e vida em uma nova normalidade.

Leia também: A Covid-19 e a transformação do comércio eletrônico no Brasil

Nesse cenário, as mudanças comportamentais mais expressivas englobam grande interesse por produtos de saúde, priorização de itens necessários para a contenção do vírus, expansão das compras online, diminuição do movimento em lojas físicas, preocupação com a subida dos preços e retorno à rotina com cautela.

Do galpão ao celular: tendências

Com esses novos hábitos, o comércio eletrônico se torna um campo cada vez mais fértil. Uma análise feita pela Kearney (ago. 2020), consultoria global de gestão estratégica, mostrou que, no Brasil, o setor deve faturar R$ 69 bilhões em vendas adicionais até 2024. Para fazer parte dessa onda de ascensão, é importante investir em:

Omnichannel

O uso simultâneo integrado de diferentes canais de comunicação para aprimorar a experiência do cliente não poderia ficar de fora. A jornada omnichannel, que já se destacava antes da pandemia, passa a ser essencial em um contexto no qual o e-commerce surge como um dos principais meios de tendências e inovações. Seguir essa estratégia trará diversos benefícios, como aumento da taxa de conversão, fidelização e construção da reputação da marca.

Logística e tecnologia

Com o crescimento repentino das vendas pela internet nas primeiras semanas do isolamento, muitas empresas enfrentaram desafios de logística e estoque. Porém, atualmente as lojas já se adaptaram às mudanças na demanda e ampliaram sua cadeia de distribuição.

Tom McDonough, diretor de Product Marketing da Oracle Supply Chain Planning, cita o exemplo de uma grande fabricante de doces que precisou se adaptar à queda brusca das vendas em cinemas, que, antes da pandemia, chegavam a 30% do total, e à ampliação acelerada das operações em supermercados.

Como vemos, os maiores avanços dos próximos anos devem se concentrar na logística. Os problemas expostos pelo isolamento revelaram que há espaço para diversos aprimoramentos. Portanto, negócios voltados para o investimento em tecnologia e logística inteligente garantirão competitividade no futuro.

E-commerce B2B

Com a impossibilidade de manter as visitas dos representantes comerciais, a solução foi procurar novas formas de atendimento. Com e-commerces direcionados aos lojistas, ocorreu um estreitamento das relações entre fornecedores e comerciantes, que agora contam com mais facilidade e podem fazer os pedidos com tranquilidade por meio de um sistema intuitivo, pensando diretamente para eles.

Entre o real e o virtual: inovações

No ano passado, que foi repleto de surpresas, a criatividade e as novas estratégias se mostraram essenciais. Mas, como aprendizado, fica a ideia de que devemos sempre inovar e acompanhar os movimentos do mercado. As decisões assertivas e planejadas deixarão sua empresa pronta para enfrentar os próximos desafios. Minhas três sugestões são:

Pix e Links de Pagamento

Uma novidade obrigatória é a implementação do Pix ou de links de pagamento, indispensáveis para levar conforto e comodidade aos clientes. A cada compra, a transação é aprovada imediatamente por meio de um QR Code ou de uma chave de acesso.

Realidade aumentada

Outro tópico fundamental é a interatividade. Utilizar realidade aumentada ou espelhos virtuais, tecnologias que misturam o ambiente real com o virtual, permite ao usuário testar antes de efetuar a compra, promovendo segurança, proximidade com o produto e aumentando a taxa de conversão.

Boas práticas de e-commerce

Além dessas novidades, um ponto de atenção constante deve ser ter uma loja on-line que use código claro, cache e diretrizes de SEO. Esses itens são importantes para atrair novos clientes e traçar metas futuras.

Podemos dizer, portanto, que a pandemia mudou radicalmente o comportamento dos consumidores e a maneira de executar as estratégias de e-commerce. Aos poucos, haverá uma diminuição do contato físico e a experiência online se tornará a principal. Para acompanhar as tendências e inovações do mercado nos próximos anos, comece a sua transformação hoje mesmo.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.