Acesso rápido

A influência do mobile e o papel do e-commerce no crescimento econômico

por Rafael Martins de Oliveira Sexta-feira, 06 de setembro de 2019   Tempo de leitura: 5 minutos

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), cerca de 92% dos acessos à rede de internet são feitos via dispositivos móveis (o Mobile), o que torna os smartphones a principal ferramenta de comunicação e negócios atualmente.

No ano passado, por exemplo, dos 7,6 bilhões de pagamentos processados, 2,7 bilhões foram via mobile, o que representa cerca de 35% do total.

Para se ter uma ideia, em 2017, o volume de pedidos via dispositivos móveis cresceu acima dos 35%, de acordo com os dados da Webshoppers. Nesse caso, cerca de 1/4 das vendas de e-commerce no Brasil se dividiram entre celulares e tablets.

O fenômeno do aumento foi principalmente atribuído à democratização do acesso às redes 3G e 4G, inclusive nas regiões mais carentes. Por isso, os dispositivos móveis não são mais referentes a um opcional.

Na verdade, eles devem ser um elemento considerado na escolha de sua plataforma de e-commerce. Afinal, os smartphones já estão garantidos em seu desempenho online.

Comércio eletrônico

Vale destacar também que, apesar das atuais inseguranças no ambiente econômico, o comércio eletrônico tem um papel importante no crescimento econômico-social em diferentes países. Nos Estados Unidos, por exemplo, com ajuda do e-commerce, o país apresenta um desempenho econômico impressionante, particularmente em termos de crescimento da produtividade.

Já no mercado indiano, o país tem uma tremenda oportunidade de crescimento à medida que a penetração do varejo eletrônico e a internet cresce com o passar dos anos. Isso representa um importante motor do crescimento com impactos não só na economia, mas também na sociedade.

Diante deste cenário, não é à toa que empresas estrangeiras de e-commerce, como Amazon e eBay, estão mudando gradualmente seu foco para as economias emergentes. Em seus relatórios anuais, essas empresas já apontam que cerca de 50% de suas receitas são de regiões fora dos EUA.

Grande parte dessa aceleração no crescimento da produtividade é estrutural e atribuível a mudanças induzidas pela tecnologia, a exemplo das lojas virtuais, da internet e por meio de melhorias em todos os aspectos da organização empresarial, como produção, finanças, marketing e logística.

Nova economia

O e-commerce faz parte da nova economia e, portanto, qualquer sistema de negócios que produz eficiência, reduz custos, amplia a produtividade, otimiza investimentos e promove a gestão estratégica dos processos de forma inteligente dá aos clientes mais do que eles querem, de maneira sustentável e permanente.

Esse avanço continua a alimentar a tendência de uma economia cada vez mais empreendedora. Se novas empresas estavam trabalhando assiduamente para eliminar ineficiências, a internet e as soluções de tecnologia, a exemplo das plataformas de e-commerce, tornou os cortes mais profundos e rápidos.

Desta forma, a combinação de empreendedorismo, internet e comércio eletrônico permitiu que novas empresas atingissem os modelos de negócios muito eficientes que buscavam. Os custos caíram e estão sendo empurrados para baixo todos os dias, fazendo com que a economia se torne cada vez mais aquecida – e dando boas oportunidades para os empreendedores. Esse é o caminho!

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.