Acesso rápido

Gestão logística para e-commerce: 5 pontos que merecem atenção

por Gustavo Chapchap Quinta-feira, 12 de setembro de 2019   Tempo de leitura: 8 minutos

Em busca de mais eficiência para sua operação de e-commerce? Saiba que isso depende bastante da forma como você cuida da gestão logística. Falhas nessa área representam prejuízos para o negócio no curto prazo e, se não forem devidamente sanadas, tendem a colocar em risco a saúde financeira da loja.

Para começar, lembre-se de que não se trata apenas de cuidar da entrega do produto. A gestão logística também envolve controle de estoque, armazenamento, custo do frete e embalagem adequada para cada um dos itens comercializados.

A concorrência é cada dia mais acirrada no e-commerce, então, lidar bem com essa parte da operação pode representar, inclusive, uma vantagem competitiva para a sua marca.

Quer aprimorar suas atividades nessa área? Confira cinco pontos que merecem sua atenção!

1- Defina uma estratégia

Nem sempre os gestores de e-commerce enxergam a logística como uma questão estratégica para o seu negócio, e não apenas operacional. Isso é um erro, uma vez que estamos nos referindo a uma atividade que, comprovadamente, faz muita diferença na forma como a marca é percebida pelos clientes.

Na prática, isso quer dizer que é possível criar os almejados diferenciais competitivos para a sua operação a partir das iniciativas adotadas na logística de distribuição.

Num momento em que se fala tanto sobre a importância da experiência do usuário, não se pode ignorar o fato de que prazo e custo de entrega, por exemplo, são elementos decisivos na fidelização do cliente.

Sem falar, claro, nos índices de conversão da loja. Eles crescem consideravelmente quando as alternativas são vantajosas.

Por isso, ao definir o plano de negócio da sua loja, certifique-se de fazer um estudo detalhado sobre as estratégias que podem ser empregadas nessa área.

Tem condições de trabalhar com prazos de entrega mais curtos que o da concorrência? Consegue investir na produção de embalagens diferenciadas? Enfim, o leque de iniciativas que podem ser adotadas é vasto.

Mas, como em qualquer outra área, as soluções precisam ser pensadas com antecedência.

2- Use os recursos tecnológicos

Definida a estratégia, ou seja, os caminhos que serão adotados para diferenciar a sua operação a partir da logística, a execução do que foi determinado depende do controle adequado de todas as etapas do processo de venda.

Para fazer isso, é imprescindível contar com uma plataforma de e-commerce que atenda às necessidades do seu negócio. Pode parecer óbvio, porém, nem sempre isso acontece.

Para não errar na escolha, certifique-se, por exemplo, sobre o sistema de integrações da plataforma de vendas online.

Ele é importante porque envolve a integração com parceiros especializados na entrega em si e, internamente, contempla também soluções para agilizar outro aspecto igualmente importante, o controle de estoque.

No caso desse último item, lembre-se de que é fundamental contar com uma plataforma omnichannel. No cenário atual, é preciso disponibilizar diversos canais de compra e atendimento, e eles devem operar de forma integrada.

Assim, não importa se o consumidor fez a compra na loja física, no website, no mobile, nas redes sociais ou via um serviço de mensageria. Todas as informações serão administradas num sistema único, o que facilita o trabalho e reduz as chances de falhas.

3- Facilite a vida do consumidor

Não se engane: o nível de satisfação do cliente tende a aumentar quando ele dispõe de opções e se sente no controle do processo de compra. Essa é uma das características do consumidor atual. Ele quer ter um papel ativo nas suas relações de consumo.

O que isso tem a ver com a logística?

Simples. Os gestores podem adotar medidas que ampliem a liberdade do cliente em várias áreas. Algumas iniciativas que podem ajudar:

  • Trabalhar com horário agendado – Nessa situação, o consumidor ganha em conveniência e a loja, em eficiência, uma vez que pode organizar melhor o esquema de distribuição das mercadorias.
  • Permitir a retirada na loja física – Essa é uma modalidade que tem crescido no e-commerce. Em tempo de aperto econômico, quem não gosta de eliminar custos extras? Essa é a visão do consumidor que, ao optar pela retirada, livra-se da despesa do frete. E, dependendo da situação, encontra também uma condição mais favorável em termos de prazo e mesmo de conveniência.

4- Comunique-se com o comprador

Atrasos na entrega das mercadorias ainda são apontados como um dos principais problemas dos e-commerces e representam boa parte das reclamações.

Como nem sempre o lojista tem como controlar todas as etapas do processo, é praticamente impossível zerar os índices nessa área. Contudo, algumas iniciativas podem minimizar a insatisfação do cliente.

Anote aí: quanto mais transparência, melhor. Principalmente diante de situações críticas, o mais importante é manter o comprador informado, e não tentar enganá-lo com falsas promessas.

Hoje não faltam são canais de comunicação com o público. É importante usá-los para estabelecer uma relação mais próxima com o cliente.

Para os gestores, ter uma plataforma de API aberta é um diferencial, na medida em que existem vários apps que podem ser usados para facilitar essa troca de informações.

Além disso, essa conexão é facilitada porque é possível fazer o monitoramento do processo.

5- Cuide da gestão de produtos

No dia a dia, fazer uma gestão adequada dos produtos ajuda bastante a logística do e-commerce. A loja ainda não estará livre de algum imprevisto no meio do processo, mas dá para evitar problemas mais graves.

Principalmente para quem tem loja física, é imprescindível atuar com uma plataforma omnichanel. É a garantia de que as operações ficarão devidamente registradas e serão controladas num único lugar.

Essa é uma das vantagens da automação: o uso das soluções tecnológicas facilita o trabalho de rotina. O sistema de baixa das mercadorias é feito de forma automática, independentemente do canal de compra.

Sem problemas com a execução, a equipe pode dedicar ao que mais importa, que é a estratégia da operação. A forma como ela vai se organizar para oferecer não apenas o melhor produto, mas uma experiência de compra que seja superior à concorrência.

Fique atento: gestão logística adequada é mais um fator para o sucesso (ou insucesso) do seu negócio de vendas pela internet.

Artigo republicado com autorização do autor. Texto original disponível aqui.

Leia também: Loja 4.0: como definir estratégia de venda online com ajuda da loja física

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.