Acesso rápido

Afinal, ainda existe diferencial para um negócio?

por Larissa Ohori Terça-feira, 20 de agosto de 2019   Tempo de leitura: 8 minutos

Como mostrado na pesquisa do Ebit/Nielsen, o e-commerce brasileiro cresceu 12% em 2018. E a projeção para 2019 é de um crescimento de mais 15%. Os números são muito promissores, é verdade. Ainda assim, não podemos deixar de pensar como é gerir a sua marca e conduzir seu negócio online em meio a um mercado tão competitivo, onde novos negócios surgem diariamente.

Para ter uma ideia, a pesquisa Perfil do E-Commerce Brasileiro — resultado de uma parceria entre BigData Corp e PayPal Brasil — aponta que hoje existem cerca de 930 mil sites dedicados ao comércio eletrônico no país. No entanto, a média da vida útil de um e-commerce no país é de 487 dias. Ou seja: um pouco mais de um ano e quatro meses. Esse número já é bem mais positivo do que há quatro anos, quando as lojas online ficavam ativas em média por 3 meses. Porém, provavelmente a maior parte desses empreendedores ainda buscava um empreendimento muito mais duradouro.

Então fica a reflexão: em meio a tantos concorrentes, muitas vezes com serviços e produtos similares — quando não até do mesmo fornecedor —, como se destacar e fazer o empreendimento prosperar? Como construir um negócio duradouro e fidelizar clientes? Como o meu diferencial pode ficar mais claro para o cliente? Afinal, ainda existe diferencial?

Tudo começa com um bom posicionamento

A primeira coisa necessária é ter essa clareza para você, líder responsável pela marca da empresa ou produto. Ninguém transmite uma mensagem com clareza quando não se sabe dizer qual é o diferencial do negócio. Mesmo quando se possui um produto totalmente inovador, customizado e até patenteado, ainda se está sujeito à iminência de um novo entrante — que pode, por exemplo, pegar a falha do seu produto, melhorar e lançar no mercado como algo ainda mais inovador.

A verdade é que, hoje em dia, praticamente não existe diferencial. O que existe é a construção de um valor de marca que se conecta com seus clientes. Ações ao longo de toda a vida da empresa que tangibilizem para o cliente essa percepção positiva da marca, seja ela de produtos ou serviços.

Independente da área ou porte da empresa, sempre é possível realizar um trabalho como este. Estabelecer uma estratégia e posicionamento de marca coerente — e agir em direção à essa construção de reputação positiva — está muito mais condicionado à consciência dos líderes responsáveis, do que ser algo indicado para um determinado segmento de mercado ou outro.

A reputação da marca se constrói com o tempo, junto ao público e todos os seus colaboradores

Segundo uma pesquisa do Sebrae, a maior dificuldade enfrentada pelos empreendedores no primeiro ano de atividade é a “falta de clientes” (16%). Mas, será que falta gente para comprar o que você vende? Ou a mensagem é que não está sendo clara de alguma maneira? Você sabe de verdade quem são seus clientes? E eles, sabem quem é você, a ponto de te reconhecerem positivamente em meio à todos os outros do mercado? Você tem uma estratégia e um posicionamento de marca claros? Quem é importante para você sabe, de fato, o quão importante é?

Para você que acha que estabelecer uma boa estratégia para a marca é trabalho só para empresas grandes, fica mais um alerta: microempreendedores devem redobrar ainda mais a atenção! Segundo a pesquisa Perfil do E-Commerce Brasileiro, mais de 88% dos atuais sites de venda são considerados pequenos — com menos de 10.000 visitas/mês. Portanto, a pulverização e variedade entre os pequenos são ainda maiores!

A vontade (ou até necessidade) de empreender pode ser grande, mas sempre vale fazer uma pausa e checar se está indo na direção que se gostaria de ir.

Primeiro ponto de atenção: tenha clareza do que quer

É como aquele velho ditado: “quem não sabe onde quer chegar, chega em qualquer lugar”. E isso pode ser muito ruim. Saiba o que, onde, como e quando pretende alcançar suas metas para o negócio prosperar. Saiba ser flexível, tenha planos B, C, D, E… E confie na sua força de vontade. Se existir um plano para acompanhá-l0(a), com certeza suas chances de atingir seus objetivos já aumentam bastante.

Lembre-se que além da questão financeira, tempo e esforço também são investimentos significativos. Por isso é fundamental realizar um bom plano de negócios. Observe o mercado, entenda a dinâmica do seu nicho de atuação. Trace seus planos e objetivos e reflita sobre o seu modo de chegar lá. Se não souber fazer isso sozinho(a), peça ajuda a um profissional — mas não deixe de fazer um bom plano de negócios.

Segundo ponto de atenção: construa uma marca consistente

Depois de entender muito bem o que é o seu negócio, é hora de deixar claro para os outros também. Hoje em dia não basta falar superficialmente. É preciso se envolver, se expressar, encantar e se conectar com o público.

Quando realizamos um projeto de estratégia e posicionamento de marca para nossos clientes, pensamos exatamente nisso junto com eles. Quais os principais pontos que precisamos identificar na sua marca? Como resumir em poucas palavras o que é essa essência que a torna tão especial? Quais são as principais características que a marca tem? Qual a sua personalidade? Qual o tom de voz utilizado para se comunicar com o seu público de forma eficaz para realmente se conectar?

Tendo isso claro, todas as ações estratégicas devem ser alinhadas a essas diretrizes. E com o passar do tempo pode-se construir uma marca cada vez mais consistente. Ela terá ações que sempre a conduzirão para uma mesma direção: transmitirão confiança; proporcionarão experiências positivas para seus clientes; e saberão ouvir o outro lado (tanto dos clientes como dos seus colaboradores). Tudo para que a experiência da marca seja real e verdadeiramente aplicada no dia a dia.

Cliente no centro do negócio

O público não quer apenas um belo discurso que não sai do papel. Uma boa parte quer vivenciar experiências positivas, com quem/o que importa para elas. Ao se relacionar, cada vez mais as pessoas buscam conexão de valores próximos aos seus — e isso se aplica às marcas que ela escolhe também. Assim, pode-se criar histórias e relacionamentos saudáveis para os negócios e para a vida.

Terceiro ponto de atenção: acompanhe de perto e não tenha medo de aprender

A marca é como um organismo que necessita de acompanhamento. Por ser viva, ela pode ter que sofrer ajustes de tempos em tempos — crescer, se expressar em relação a algum tema que é importante para o seu público, amadurecer, reparar alguma falha… Isso tudo faz parte do mundo real, e a forma como você conduz e gerencia a vida dessa marca é que vai fazer a diferença para fortalecê-la ou não.

O desempenho de uma marca no mercado é tão importante que, segundo um levantamento da NZN Intelligence, cerca de 82% dos usuários consultam a reputação da empresa antes de fechar negócio.

Então, como anda a reputação da sua empresa hoje? A sua marca é aquela amada ou a que passa despercebida? Pense nisso!

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.