Erros de gestão para se evitar no seu e-commerce

por Thiago Sarraf Quarta-feira, 04 de agosto de 2021   Tempo de leitura: 5 minutos

Há quem diga que abrir um e-commerce é a parte fácil de empreender digitalmente. As estatísticas do Sebrae concordam com essa afirmação, uma vez que muitas lojas acabam fechando as portas com menos de 2 anos de existência. E a grande culpa destes altos números são a falta de conhecimento em gestão e erros recorrentes que podem ser evitados na hora de manejar a loja virtual.

Mesmo as lojas mais experientes podem cometer erros de gestão que podem custar investimento, campanhas e poucos resultados. Estes erros acabam tendo maior peso para as lojas menores, visto que muitas dispõem de recursos limitados.

Então, vou listar alguns erros de gestão que o empreendedor deve ficar atento em seu e-commerce.

Erros de gestão para evitar no e-commerce

Uma boa gestão é diferencial do sucesso da loja online. Fazer investimentos grandes ou ter os melhores profissionais não será aproveitado da melhor maneira caso a gestão não seja feita de maneira inteligente.

Aqui eu mostro alguns erros comuns na hora de gerir seu e-commerce que podem ser evitados, e ajudar no crescimento do negócio.

Falta de monitoramento

Preocupados apenas em vender, a falta de monitoramento do e-commerce é um erro fatal na gestão.

É a partir dos relatórios, números e métricas do e-commerce que é possível analisar se a loja está vendendo bem, se poderia vender melhor e os empecilhos de uma melhor performance de vendas.

Para tanto, é crucial deixar bem configurados as ferramentas Google para gerar relatórios precisos e úteis para a gestão do e-commerce.

Pois é através de números que o empreendedor pode analisar a performance da loja e como melhorar.

Cobertura de estoque

A falta de gestão do estoque pode limitar as vendas da loja virtual. Isto porque o tempo de manuseio, e entrega, do produto, são grandes fatores para desistência de compra.

Deixar para comprar o produto com o fornecedor para então vender para o cliente em cima da hora, além de desestimular as vendas, devido ao prazo de entrega estipulado, não garante boas condições comerciais para a sua loja.

Além do que, produtos indisponíveis na loja não vendem, e o consumidor fica frustrado. Não incentivando a recompra.

Vender todos os produtos, a ponto de faltar, não necessariamente significa sucesso de vendas. Pode, muito pelo contrário, simbolizar que as vendas poderiam ter sido melhores, caso houvesse produtos disponíveis.

No entanto, uma boa cobertura de estoque não significa ter produtos acumulados. Afinal, produto parado é dinheiro perdido, uma vez que há a desvalorização daquele produto. É preciso entender os produtos carro chefe da loja e quais participam da curva B e C, para evitar falta de produtos bem como estoque acumulado.

Não prever investimentos e recursos

Engana-se o lojista que acha que a boa operação, ou a mais custo benefício é aquela que tem poucos funcionários.

O começo das operações pode contar com um time reduzido, ou até mesmo o próprio empreendedor ser responsável pelo processo de venda, cadastro de produtos, gestão, atendimento.

Porém, uma boa gestão significa saber quando é possível aproveitar melhor cada membro do time para contribuir para o crescimento do negócio. Pois caso contrário, o lojista e o breve time acabam ficando sobrecarregados e não realizam as tarefas da melhor maneira possível, impedindo o crescimento do e-commerce.

Uma média que temos é que a cada 60 pedidos é necessário um membro novo na equipe, a fim de evitar a sobrecarga e deixar a performance da loja no melhor estado.

Vender a qualquer custo: o maior dos erros de gestão

Na busca desesperada para aumentar as vendas, o empreendedor acaba caindo na clássica guerra de preços e pode estar perdendo dinheiro.

Ainda existe a ideia equivocada que para vender mais, o preço tem que ser o mais baixo. Porém, o valor do produto não é o único fator que influencia nas vendas. Tempo de entrega, frete e condições comerciais são alguns dos fatores comuns que podem ser empecilhos para a finalização da compra.

Se o preço de venda fosse o único fator relevante para as vendas, as lojas menores ou que estão começando poderiam desistir do negócio. Afinal, sequer teriam condições de competir com grandes lojas.

Além de dar lucro para a loja e o empreendedor, fazer a precificação correta do produto não cria desconfiança de um produto muito barato, tampouco perde a competição com preços exorbitantes.

Lembre-se de que o e-commerce é um negócio e você precisa ganhar dinheiro com ele, não financiar a compra dos consumidores.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER