Acesso rápido

Encontrando o equilíbrio: conversão de vendas x prevenção a fraudes

por Hugo Costa Segunda-feira, 15 de abril de 2019   Tempo de leitura: 5 minutos

Com a popularização das vendas online, o objetivo de toda empresa é consolidar seus negócios no mercado virtual. A conta é simples: os resultados do e-commerce impulsionam o faturamento. No entanto, com esta oportunidade, crescem também os ataques de fraudadores do comércio eletrônico.

Um número extremamente alto de empresas latino-americanas já relatou ter sofrido algum tipo de ataque: 95%, de acordo com a pesquisa inédita “Global eCommerce Management Fraud Report” realizado pela CyberSource, empresa da Visa. O estudo foi realizado com 2.770 especialistas em gerenciamento de fraudes de 34 países, sendo 53 deles brasileiros, que trabalham em empresas de bens duráveis, turismo, serviços, alimentação e eletrônicos, em 2017 e 2018. Todos os respondentes são responsáveis ou influenciam nas decisões sobre monitoramentos de golpes no e-commerce em suas organizações.

Para metade dos gestores brasileiros, o maior desafio enfrentado pelas empresas é identificar e responder aos ataques de fraudes (49%), uma vez que os cibercriminosos estão constantemente inovando seus métodos. Em seguida, eles citam a atualização dos modelos de risco (45%), que consiste em reconhecer o novo tipo de ataque e agir de forma rápida para evitar prejuízos; o gerenciamento de fraudes no segmento omnichannel (43%), para eliminar riscos nas vendas durante a integração dos canais online e offline; e as falhas nas funcionalidades de ferramentas (42%), que podem causar erros durante a aceitação ou bloqueio de transações boas.

Cartão de crédito

No Brasil, o teste de cartão é o tipo de fraude mais comum e já atingiu metade das empresas (45%). Como o próprio nome diz, o fraudador faz várias compras de produtos e serviços de baixo valor basicamente por três motivos: verificar se a conta atrelada ao cartão dispõe de fundos, não despertar a atenção do titular com as movimentações e constatar se o cartão ainda não foi bloqueado. Se as tentativas derem certo, ele fará transações de alto valor nos mais diversos segmentos.

Comumente o fraudador escolhe sites que não oferecem proteção ou sites nos quais ele identificou brechas de segurança. O golpe é tão popular que esse procedimento costuma ser o primeiro passo para outros tipos de crimes. Outras fraudes frequentes citadas pelos entrevistados foram, na sequência, a invasão de conta (42%); roubo de identidade (40%) e recebimento de cupons, vale-descontos e reembolsos falsos (40%).

Pedidos de melhorias

Para a maioria dos gestores brasileiros, a análise de fraudes é a área que mais requer melhorias em suas empresas (62%) para o próximo ano. Na sequência, eles mencionaram como prioridade a capacidade de capturar e utilizar os dados certos (47%) e a precisão de detecção automática e racionalização da revisão manual (42%).

Esta última, a triagem manual de pedidos de comércio eletrônico, é justamente a ferramenta mais utilizada pelas empresas brasileiras. Ao detectar uma transação suspeita, a solução busca outras fontes de dados que comprovem os indícios de fraudes, como por exemplo, a consulta às redes sociais. Por ser manual, o que exige a terceirização do serviço ou a contratação de equipe interna, seu preço costuma ser bastante alto.

São muitas as mudanças que tenho presenciado desde o surgimento do e-commerce e acredito que muitas virão pela frente. Diferentemente das vendas presenciais realizadas em lojas físicas, que contam com diversas ferramentas, como senhas e chip no cartão, o ambiente virtual é mais vulnerável a riscos.

Os cibercriminosos estão sempre à procura de uma brecha para burlar os sistemas de proteção, o que, por sua vez, exige que a empresa se antecipe aos riscos com ações cada vez mais rápidas e certeiras. É por esse motivo que a área responsável pelo gerenciamento de fraudes é estratégica para a empresa e sua importância vem ganhando destaque, trabalhando em conjunto as demais áreas da organização para alcançar bons resultados.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.