Em quantos marketplaces devo estar?

por Vinicius Pessin Quarta-feira, 03 de agosto de 2016

Que vender em um marketplace é uma excelente oportunidade de negócio para diferentes lojas virtuais, grande parte dos gestores e investidores já sabem. O alto número de opções de players oferecendo a possibilidade de exposição dos produtos por meio de marketplaces tem gerado um certo conflito nos sellers – denominação das lojas que vendem dentro dessa modalidade de comércio eletrônico: Em quantos marketplaces devo estar? Nesse artigo vou tentar te ajudar a tomar a melhor decisão.

Benefícios do modelo de marketplace
Apenas para recapitular, vamos lembrar os benefícios que sua loja pode ter ao entrar em um marketplace:

  • Sem custo de integração: alguns dos principais players do mercado não cobram setup para que o lojista possa vender seus itens em um marketplace. Claro que existem exceções, mas principalmente as grandes marcas não cobram nenhum valor.
  • Marketing: não será preciso separar budget para anúncio dos produtos comercializados na modalidade. Essa parte do processo é de total responsabilidade do marketplace. Campanhas de performance, assim como melhorias na usabilidade, e desenvolvimentos para o site não são repassadas para o lojista. Mas, se assim mesmo quiser maior exposição, ele poderá contratar um plano de mídia junto ao marketplace.
  • Exposição do produto: o lojista aproveita da quantidade de usuários e potenciais clientes que acessam o site. O Submarino.com, por exemplo, recebe mais de 1 milhão de acessos todos os dias.

Definindo os marketplaces para minha loja
Eu poderia apenas sugerir que você coloque sua loja virtual no máximo de marketplaces possíveis e a grosso modo, essa é uma possibilidade, mas é preciso cuidado na hora de escolher os players com os quais você irá se integrar.

Essa escolha do marketplace deve levar em consideração se o produto que será vendido pode atrair o público que acessa o site, qual a comissão que será cobrada, opções de pagamento oferecidas ao cliente, quantidade de reclamações junto a entidades de proteção ao cliente, marca forte e aceitação do mercado.

Sendo assim, priorize os marketplaces que atendam a estes critérios. Como já dissemos, existem diferentes possibilidades, mas é preciso cuidado na hora da definição.

Vou detalhar cada um deles na sequência.

Qual produto você vai vender: o planejamento para entrar em um marketpalce deve incluir a escolha dos itens que serão oferecidos. Claro que no decorrer da operação será possível fazer adequações e realizar mudanças, levando em consideração várias características, como desempenho de vendas, exclusividade de estoque e competitividade do preço.

Perfil do marketplace: o que você vende, vai agradar o consumidor? Vamos imaginar um cenário, você vende guardanapos personalizados. Onde esse produto irá vender mais:

  • Marketplace focado em artesanato
  • Marketplace geek

As chances de conversão na primeira opção serão maiores que na segunda e esse tipo de cuidado é necessário para conseguir resultados reais em marketplaces. A maioria dos produtos pode ser vendido nas grandes redes, mas quando for escolher players de nicho é necessário um cuidado maior.

Custo de integração e comissão: em muitos casos os marketplaces vão cobrar apenas a comissão por venda realizada, mas existem modelos de negócio que cobram uma taxa inicial para a integração. Verifique isso antes de assinar o termo de contrato. Certifique-se que não serão cobrados custos adicionais no projeto. Também é importante definir qual será a comissão cobrada por cada um dos produtos vendidos, mas geralmente gira em torno de 10 a 20%. Não se esqueça de questionar sobre o prazo de pagamento e o que ele inclui.

Serviços e suporte ao cliente:  identifique quais são as formas de pagamento oferecidas pelo marketplace ao consumidor. Boleto, débito em conta, diferentes bandeiras de cartão de crédito. Quanto mais opções, menores as chances de desistência da compra por esse motivo. Leve em consideração também o ranking de reclamações de instituições como o Reclame Aqui, por exemplo. Opte por empresas que sejam reconhecidas e recebam prêmios como reconhecimento do mercado.  A segurança é outro tópico que precisa ser levada em consideração, empresas que utilizam o certificado SSL e selo de blindagem de sites devem ser priorizadas.

O cuidado com esses aspectos irá impactar diretamente nos resultados de sua loja dentro dos marketplaces. Como disse anteriormente, estar neles é uma excelente oportunidade, mas é importante salientar que mais que uma vitrine, marketplaces serão parceiros de vendas, por isso é importante entender como o outro lado pode te ajudar a gerar mais receita.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER