É possível driblar a crise e vencer na internet

por Fábio Ricotta Quarta-feira, 04 de novembro de 2015

Vivemos um momento de desafios na economia brasileira. Com este tipo de desafio diante de nós, apostar nas vendas online pode ser uma das saídas mais inteligentes para as lojas. Baseado em minha própria experiência, posso afirmar que existem estratégias de inbound marketing e growth hacking muito vantajosas, já que ajudam a reduzir o custo geral de venda, já que permitem ao vendedor que ele se comunique melhor com a audiência em vários momentos e em todas as etapas da venda.

Como estratégia para conquistar bons resultados, é importante ter uma integração entre o estoque e a loja online. Afinal, é preciso que não haja problemas de comunicação entre loja e estoque. Tenho reparado que problemas de listagem de produtos que não constam no estoque, ou vice-versa, são uma das principais fontes de problema e, apesar de não ser algo diretamente ligado ao marketing digital, precisa estar resolvido desde o início, caso contrário o e-commerce só vai piorar a situação da empresa.

O investimento em marketing online é primordial para uma empresa com e-commerce, e uma das ações mais importantes a serem tomadas é fazer a mensuração do que cada canal traz de conversão, incluindo anúncios e redes sociais: só assim a loja consegue saber onde tem mais retorno de investimento. No caso das lojas menores, para conseguirem boa concorrência com os gigantes, o foco deve estar no atendimento: atender mais rapidamente e de forma customizada, com mensagens mais pessoais e mais cupons de desconto, por exemplo, pode ser uma boa ideia. No caso dos grandes varejistas, as estratégias devem ser mais amplas, como analisar as categorias de produtos que vendem mais e as que vendem menos, de forma a ampliar o estoque do que dá mais resultado e solucionar problemas dos tipos de produto que vendem pouco.

Os principais ambientes para investir em anúncios variam muito conforme o público, mas é importante que a mensuração dos resultados seja feita por um profissional competente. Anúncios no Facebook, por exemplo, podem ser medidos como venda direta pelo Google Analytics caso não haja uma marcação correta do anúncio, como é o caso das identificações no link. Eu sugiro que seja feita uma campanha em forma de teste nos vários canais de interesse, para que a mensuração avalie o que dá mais resultado. E lembre-se: preço muito baixo nem sempre é uma boa solução, mas pode ser um fator competitivo no momento econômico atual, pois pode deixar o consumidor desconfiado, por isso é preciso ter cuidado e manter um preço interessante.

O marketing digital é interessante também, porque reduz alguns custos. As campanhas permitem melhor escolha da audiência e uma comunicação mais efetiva, o que faz a loja online saber como atuar em todos os estágios da venda. Quando se faz este trabalho, o detalhe que vai fazer um cliente potencial comprar certo produto, em vez do concorrente, é que ele conhece e já passou pelo site do primeiro. Assim, quando profissionais competentes são responsáveis pelo marketing digital, ocorre uma forte otimização do investimento, o que resulta na redução de custos.

Outro detalhe importante que já percebi em minha experiência é que há empresas que realizam campanhas de Facebook Ads e Google Ads de qualquer maneira. Em curto prazo, é preciso ter estratégia de compra de mídia, mas é muito importante saber para quem você está anunciando, a quem você está comunicando, e se a sua oferta é boa. É por desorganização e falta de planejamento que muita gente perde dinheiro. O marketing, em geral, precisa estar alinhado com outras atribuições: se uma empresa não consegue vender e passa por dificuldades, é possível que o produto não tenha um valor claro ou o preço não esteja acessível para o mercado, por exemplo. O vendedor precisa estudar outras formas de expor suas informações, como imagens de boa qualidade, descritivos bem feitos e preços competitivos. Eu trabalho diretamente com marketing digital de performance, que não conserta esse tipo de erro, mas o nosso trabalho pode ajudar na tomada de decisão e mostrar ao lojista o que pode ser melhorado nestas áreas.

Se você quer dar um “chega pra lá” na crise, precisa se mexer. Cada tipo de produto e loja online precisa encontrar uma estratégia ideal, mas há um “caminho das pedras” que pode facilitar: Invista em estratégias de compra de mídia, como Google Ads, Facebook Ads e Buscapé, pois eles funcionam bem no curto prazo, e logo depois avance nos investimentos de médio e longo prazo: SEO, Marketing de Conteúdo e mídias sociais. Deste jeito, a sua empresa vai encontrando seu lugar no mercado e se posicionando no mundo online, deixando os concorrentes para trás.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

3 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.