Acesso rápido

E-commerce: os lojistas apontam para esses novos caminhos

por Hygor Roque Quarta-feira, 29 de junho de 2016

O momento é de reavaliar os caminhos que alguns e-commerces trilharam nos últimos anos. Alguns negócios foram construídos para ganhar share e serem vendidos para grupos maiores, mas tantos outros negócios estão sendo estruturados para que seja uma operação saudável e sólida.

Acredito que três mudanças serão necessárias para que essas lojas realmente vivam esse momento novo e saiam do piloto automático.

Nem só de Google Adwords viverá o homem
A briga até agora foi sempre por relevância, principalmente as marcas que não oferecem produtos com exclusividade. Mas, isso gerou uma concorrência duríssima e os custos com “Lins patrocinados” estão altíssimos, logo algumas marcas tiveram que encontrar caminhos alternativos.

Um deles foi utilizar as campanhas pagas para promover a MARCA e não mais o PRODUTO.

Promover o produto é atrair o cliente por PREÇO e o cliente que vem por preço, também vai pelo mesmo motivo. Algumas marcas tem procurado entregar muito mais valor em suas ofertas, melhorando a qualidade das entregas, oferecendo tratamentos diferenciados aos clientes, entregando conteúdos relevantes ao seu público alvo, fazendo com que o VALOR da marca seja muito maior do que o PREÇO do produto.

Uma vez promovendo a MARCA sua base de “clientes” cresce e você pode impacta-lo com suas OFERTAS em mídias mais “baratas”.

Acredito em Deus, o resto é dados
A máxima agora é que não existe verdade absoluta no e-commerce, tudo é analise de dados e comportamento de compra. BI virou o “painel de controle” da operação e não existe mais espaço para o “ACHISMO”.

Qualquer mudança merece um teste a/b, teve resultado comprovado, troca. Com isso as operações conseguem ser mais assertivas com qualquer decisão tomada, seja uma mudança estrutural no layout ou a decisão de entrar com uma nova linha de produtos.

Tudo é dados!

Menos fornecedores para menores custos
Com o tempo em que o mercado foi evoluindo, mais empresas nasceram para atender necessidades específicas da operação. Adquirente, gateway de pagamento, anti-fraude, integrador com marketplace, ferramentas de busca, gestão de frete, plataformas de e-commerce, marktplaces, etc, todas essas empresas nasceram e cada uma cuidou do seu quadrado.

Essa fragmentação dos fornecedores gerou dois grandes desafios: Gestão dos fornecedores e controle de custo operacional.

O novo caminho é reduzir essa gestão de fornecedores, contratando empresas que possam oferecer a operação uma proposta mais completa de fornecimento de tecnologia, com ecossistemas mais estruturados e menos fragmentado, trazendo como benefício um maior poder de negociação e uma gestão simplificada de fornecedores.

Os lojistas apontam para esses novos caminhos, tantos outros caminhos ainda aguardam para serem explorados.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

O projeto E-Commerce Brasil é mantido pelas empresas:

Oferecimento:
Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars: Recrutamento & Seleção: Dialhost Métricas & Analytics: MetricasBoss

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.