E-commerce D2C: a expansão do setor e suas vantagens de investimento

por Pablo Ribeiro Segunda-feira, 08 de março de 2021   Tempo de leitura: 11 minutos

Não é mistério para ninguém que o mercado digital está em plena expansão. A praticidade, comodidade e rapidez levada aos consumidores, através das vendas online, possibilitou que muitos deles passassem a preferir comprar por este formato. Ao passo que as indústrias começaram a perceber que poderiam investir em vendas diretas ao consumidor, estreitando o relacionamento com o seu público e não se limitando, apenas, às vendas para o varejo, no formato B2B. Neste artigo, você saberá o que é um e-commerce D2C, como ele opera e quais são as vantagens de investir em um, a partir de dados do mercado.

Primeiramente, é fundamental compreender a definição de D2C. A sigla refere-se ao termo Direct to Consumer, que traduzido para o português, significa Direto ao Consumidor. Ou seja, neste modelo de negócio, o fabricante comercializa os seus produtos diretamente ao consumidor final — o que, sem dúvidas, foi facilitado e propiciado pela internet e seus avanços. Desta maneira, a indústria dispensa intermediários para a venda dos seus itens, como lojas físicas, atacadistas etc.

Como já se sabe, o caminho tradicional da comercialização dos produtos do fabricante seria: primeiramente, a venda para distribuidores, revendedores ou varejistas, que, por sua vez, venderiam para o consumidor final. Neste caso, a indústria acaba não tendo contato direto com o seu público, por isso, é um modelo de negócio denominado B2B — Business to Business ou Empresa para Empresa. Entretanto, com a possibilidade de ampliar o seu market share, isto é, a sua porção e participação no mercado, e o avanço do comércio eletrônico, as empresas perceberam que investir nas vendas para os consumidores finais é uma excelente estratégia.

Projeção de crescimento do mercado D2C em 2021

Nos últimos anos, o número de indústrias que implantaram e-commerce com o propósito de vender diretamente ao consumidor final é bastante significativo. Além disso, a pandemia da Covid-19 impulsionou ainda mais corporações a investirem neste modelo de negócio, já que esse cenário deixou totalmente evidente a importância de não se limitar ao físico. Isso sem mencionar o aumento de novos consumidores no comércio eletrônico e, até mesmo, a busca e a preferência por comprar on-line.

Em termos de crescimento do mercado D2C, estima-se um aumento de 19,2% em 2021. E não se engane! Além de ser um bom negócio e estar em plena ascensão, permite aos fabricantes conciliarem com as vendas B2B. Para isso, basta empregar estratégias assertivas, a fim de evitar problemas no relacionamento com os seus revendedores e não tornar a concorrência com eles desleal.

Uma possível solução, neste caso, é distinguir os produtos que serão comercializados em cada um dos modelos de operação. No formato D2C, por exemplo, você pode se concentrar na venda de lançamentos e produtos em liquidação, enquanto os outros itens do estoque podem continuar sendo vendidos pelos representantes. Afinal, o seu objetivo é conquistar o seu espaço como Direct to Consumer, mas sem prejudicar os seus parceiros.

Vantagens de investir num e-commerce D2C

Antes de fazer um novo investimento, é fundamental entender quais vantagens ele pode trazer à sua empresa. No caso do e-commerce D2C, listei a seguir os seus principais benefícios:

  • Redução de custos e tributação, pois elimina o intermediário na transação. Consequentemente, aumenta a margem de lucros e rentabilidade da empresa, além de possibilitar diferencial competitivo. Afinal, permite a diminuição dos preços dos produtos em comparação aos concorrentes que comercializam os mesmos itens;
  • Aproximação com o consumidor final, propiciando que a indústria conheça ainda melhor o seu público. Consequentemente, facilita a identificação do que ele deseja e procura e ainda favorece testes de novos produtos;
  • Permite que o consumidor tenha melhor estrutura de suporte e garantia, Portanto, contribui na experiência de compra proporcionada, uma vez que tudo será resolvido diretamente pela empresa, sem intermediários;
  • Possibilita que os produtos sejam fabricados após a compra, reduzindo a quantidade de itens que sobram no estoque;
  • Traz mais credibilidade e confiança aos consumidores, uma vez que eles estão comprando com a própria empresa fabricante;
  • Além disso, nada melhor do que a própria marca gerir a imagem do produto fabricado por ela. O que significa que a empresa terá mais controle sobre isso.

Mas, você pode estar se questionando: “Quais são as desvantagens de investir num e-commerce D2C?” Na verdade, é prudente tratá-las como desafios, e não como desvantagens propriamente ditas. O principal deles é a logística, já que ela deverá ser específica para atender pedidos pequenos, diferentemente do formato B2B. Portanto, todo o sistema deverá se adaptar ao novo modelo, envolvendo estoque, separação, embalagem e envio.

Dados do mercado D2C

Além das vantagens supracitadas, também existem alguns dados do mercado que revelam os benefícios das indústrias apostarem no D2C. Segundo uma pesquisa realizada pela Salesforce, 99% das empresas de bens de consumo líderes do mercado estão investindo neste modelo de negócio. Além disso, um estudo divulgado no VTEX Day 2018 revela que 50% dos consumidores pesquisam se as marcas fabricantes contam com um e-commerce próprio, demonstrando que eles prefeririam adquirir o produto por ali, ao invés de comprar na loja revendedora.

Saiba diferenciar negócios D2C, B2C e C2C

Para quem anda pesquisando sobre D2C, é provável já ter se deparado com siglas similares: B2C e C2C. Entretanto, é importante saber que elas dizem respeito a tipos de operações diferentes. Perceba! O termo B2C se refere à Business to Consumer e significa Empresa para Consumidor. Ou seja, é um modelo de negócio em que a marca vende ao consumidor final. Mas não confunda! Apesar de toda instituição D2C ser B2C, nem todo B2C é D2C. Afinal, a loja que vende aos consumidores finais não precisa, necessariamente, ser a própria fabricante.

Enquanto a sigla C2C vem de Consumer to Consumer, que traduzida para o português, significa Consumidor para Consumidor. É o caso de vendas entre os próprios consumidores, como ocorre no site Enjoei, OLX, em determinados grupos do Facebook e, até mesmo, no Mercado Livre. Sendo assim, o D2C e C2C seriam inviáveis sem a internet e a proximidade que ela propiciou.

Estratégias para ter um e-commerce D2C de sucesso

Para ser assertivo e ter um e-commerce D2C de sucesso, é necessário se atentar a alguns fatores principais. Confira, abaixo, quais são eles:

Plataforma de e-commerce

A escolha do software para a implantação da loja virtual é fundamental e poderá influenciar positiva ou negativamente nos resultados do e-commerce. Sendo assim, é importante ponderar as particularidades da empresa, validando o que cada uma das opções do mercado oferece e o que é indispensável para a marca.

Logística

Assim como mencionamos anteriormente, a logística de um modelo de negócio D2C é bem diferente daquela que a indústria já está habituada. Portanto, além de ser importante se adequar e se estruturar para oferecer uma excelente experiência de entrega aos consumidores, também é interessante contar com os parceiros certos para o transporte, sejam transportadoras ou Correios, e softwares que auxiliem na automatização do processo.

Perfil do “novo” público

Através do modelo Direct to Consumer, a empresa passa a lidar com outro público, no caso, o cliente final. Logo, é necessário conhecê-lo ainda melhor, a fim de se comunicar com ele e atraí-lo de maneira assertiva.

Atendimento ao consumidor

Oferecer um atendimento de excelência é uma das maneiras de proporcionar uma boa experiência, evitar perda de vendas por causa de dúvidas sobre os produtos e fidelizar clientes. Por isso, é imprescindível garantir um atendimento rápido, eficiente e voltado especificamente ao “novo” público.

Com base nas dicas, estratégias e panoramas apresentados no decorrer do artigo, você certamente passou a ter uma visão ainda mais ampla a respeito do mercado D2C, bem como as vantagens de investir em um. Com um bom planejamento, sem dúvidas conquistará excelentes resultados através do comércio eletrônico.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER