Acesso rápido

Dropshipping ou cross docking: qual a escolha ideal para o seu e-commerce?

por João Paulo Arraes Segunda-feira, 24 de novembro de 2014

No universo do comércio eletrônico, a busca por soluções flexíveis se tornou um exercício diário. Sua loja virtual precisa a todo o momento comunicar-se, criar desejo, vender, garantir o preço ideal, atender às necessidades do cliente, manter o estoque em dia e entregar o produto em um prazo satisfatório.

Mas, quando se trata de estocar e entregar, os processos logísticos criam margem para outras discussões entramos então no terreno das operações logísticas. As duas principais operações desenvolvidas pelos lojistas de e-commerce que não querem – ou ainda não podem – manter estoques são o dropshipping e o cross docking.

O Dropshipping funciona como uma solução que visa estabelecer parcerias com fornecedores e catalogar seus produtos em sua loja virtual, abrindo mão do uso de um estoque próprio. Quando o cliente efetua uma compra, o lojista recebe, tira o seu lucro e compra o produto do fornecedor, que o envia diretamente ao cliente.

Já no Cross Docking, conforme o cliente efetua uma compra, o lojista solicita que o fornecedor envie o produto a um centro de distribuição (armazém) que,por meio de um sistema de redistribuição, envia o produto para o cliente. Em casos de lojistas menores, a própria sede do e-commerce pode funcionar como esse “armazém intermediário”.

Principais características das duas operações:

  Dropshipping: Cross Docking:
Armazenamento:  Não há armazenamento. O armazenamento é limitado ou nulo, realizado através dos centros de distribuição.
Entrega: A entrega do produto ao cliente é feita diretamente pelo fornecedor. A entrega do produto é feita através da equipe (ou transportadora) do centro de distribuição.
Exclusividade nos produtos: Alta variedade de produtos. Alta variedade de produtos.
Lucratividade: Alta lucratividade para o lojista. Lucratividade satisfatória para o lojista.
Vantagens: Não há custos com estoque, pacote e armazenagem. Não há custos com estoque, mas pode haver com pacote e armazenagem.
Desvantagens: Pode ocorrer lentidão de despacho do fornecedor e haver problemas alfandegários no caso de importação. Dificuldade de sincronia entre os envolvidos no processo geral do cross docking.
Gestão estratégica O lojista deve orientar seu cliente e esclarecer sobre o prazo entrega. É necessário acompanhar a venda até que o cliente confirme o recebimento do produto. Cuidado com a eficiência no fluxo de informações entre os envolvidos. É imprescindível sincronizar as atividades entre lojista, fornecedor, distribuição e transportadora.

Antes de abrir um e-commerce e adotar qualquer um dos modelos, pesquise e analise com calma qual opção se encaixa melhor ao seu tipo de produto e, principalmente, avalie as ferramentas que possam facilitar sua gestão.

Uma plataforma robusta e que permita a integração de diferentes estoques à sua loja virtual é essencial para evitar que você venda ao cliente produtos que já não estão mais disponíveis em seus fornecedores.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

1 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  1. Uma ótima opção para quem vende em sua maioria pedidos únicos.

    A gestão ficaria complicada caso o cliente comprasse um item que tem no estoque e outro que esta no fornecedor.

    Além de que o custo seria dobrado para a entrega nestes casos.

    Mas como disse, tudo depende do modelo de e-commerce e modalidade de vendas.

    ótimo texto

    Responder

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.