Dilemas da migração: mudar de plataforma não é algo simples, mas pode ser fundamental

por Pablo Ribeiro Terça-feira, 10 de dezembro de 2019   Tempo de leitura: 6 minutos

Um dos temas que mais mobiliza a preocupação de empreendedores, lojistas e gestores de e-commerce em geral é o da migração de plataforma. Migrar ou não, eis uma questão que pode ser crucial para o futuro de um negócio de comércio eletrônico.

A plataforma é simplesmente a base da loja virtual, por isso, a tomada de decisão por um processo de troca envolve tantos dilemas, “dores de cabeça” e ansiedade por parte do gestor do e-commerce.

Se não responder às necessidades do negócio conforme ele se desenvolve, e às demandas de performance, uma plataforma inadequada pode se tornar uma barreira para o crescimento do business ou, em último caso, até mesmo arruiná-lo.

Neste artigo, quero me ater a duas abordagens as quais considero fundamentais para colocar essa discussão toda em perspectiva, a partir do olhar do gestor do e-commerce.

Primeiro ponto: Como saber se é hora de mudar?

Quando o e-commerce está em um estágio inicial de implementação, plataformas gratuitas ou com valores de mensalidades mais baixos que os praticados em geral pelo mercado atraem e se tornam uma opção interessante, especialmente para pequenos e médios empreendedores que não dispõem de valores altos de investimento. Mas, em algum momento no desenvolvimento do negócio, este será o drive principal dele:Será que essa plataforma está ajudando a minha loja?”

Taxa de conversão:

Um primeiro passo para responder a essa pergunta é se voltar para a taxa de conversão. Gerir uma loja virtual engloba estar sempre em busca de otimizar processos e investimentos. Quando focamos em conversão, ou na falta dela, geralmente voltamos nossa atenção para as ações de marketing digital.

É verdade que ajustes em campanhas podem trazer resultados surpreendentes. Mas, se mesmo investindo em divulgação as vendas não acontecem, o problema pode estar na plataforma. Ou seja, as taxas de rejeição e de abandono de carrinho da sua loja, tanto se estão crescendo quanto se estão diminuindo, são um bom termômetro;

Drive Mobile-first:

Se sua loja ainda não tem versão mobile porque sua plataforma não permite, é hora de pensar em migrar. A partir de um determinado volume de vendas (a minha recomendação é a partir de R$ 1 milhão) é melhor adotar um site móvel, desenvolvido especialmente para smartphones.

A interface costuma ser melhor para visualização na tela de um smartphone e o tempo de carregamento é mais rápido, o que reflete em vendas.

Personalização e otimizações:

O layout de uma loja virtual não é algo que pode ser desprezado pelo gestor do e-commerce. Assim como otimizações importantes, a exemplo de SEO, titles e meta descriptions personalizáveis, URL amigável e inserção de tag canonical etc. Logo, se sua plataforma atual tem pouca ou nenhuma opção de gerir recursos como esses, está na hora de mudar;

Integração de soluções:

É desejável que uma boa plataforma de e-commerce tenha disponibilidade de integrar soluções de outras empresas, como comparadores de preço, marketplaces e ERP;

Solidez para picos de acesso:

Fatalmente, se seu site costuma ficar fora do ar com frequência, não suporta picos de acesso, pode ser o momento de pensar na migração de plataforma.

Leia também: Pesquisa: seu e-commerce está pronto para a LGPD?

Segundo ponto: Quais processos para observar na migração?

Como a palavra sugere, quando um e-commerce passa pelo processo de migração de plataforma, todos os dados do negócio serão exportados: informações sobre produtos; clientes, histórico de pedidos etc.

Mas esse é apenas um dos processos que devem ser respeitados durante um processo de migração. Confira os demais e faça uma espécie de check-list de processos:

  • Planejamento e cronograma;
  • Mapeamento de processos e adequação à nova plataforma;
  • Backup de dados;
  • Migração e redirecionamento de URLs;
  • Escolha de template e customização de layout;
  • Atualização de pontos de contato, como o e-mail;
  • Organização de categorias;
  • Migração de dados de produtos e clientes;
  • Homologação e testes.

A melhor decisão na hora de migrar seu e-commerce para uma nova plataforma é escolher uma agência digital com experiência em desenvolvimentos e evolução de e-commerces. A migração é complicada, leva tempo e requer expertise profissional, mas o resultado vale a pena.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.