Acesso rápido

Digital Trade Marketing: nova forma de aumentar vendas no e-commerce

por Pedro Lage Quinta-feira, 09 de agosto de 2018   Tempo de leitura: 5 minutos

O e-commerce já é uma realidade no Brasil. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), as vendas virtuais devem crescer 15% em 2018 e faturar R$ 69 bilhões. Diante desse cenário, é natural que a disputa entre as empresas pela atenção dos consumidores também cresça. É preciso ir além nas estratégias para atrair, reter e fazer com o que o usuário concretize a compra em sua loja virtual. Nesse ponto, o conceito de Digital Trade Marketing torna-se cada vez mais importante.

No varejo físico, o trade marketing consiste nas estratégias para concretizar o fechamento de uma venda. É uma disciplina que fomenta a relação entre fabricantes e os canais de venda, para entender o comportamento das pessoas dentro da loja e, assim, identificar a melhor forma de apresentar e promover ações para estimular a escolha do produto. Entre as técnicas mais utilizadas, por exemplo, estão e-mail direto, cupons, sampling, promoções, exibições e prateleiras, entre outras. Portanto, nos últimos anos consolidou-se como parte fundamental da estratégia de marketing das companhias, com investimento girando em torno US$ 540 bilhões ao ano no mundo, de acordo com o Boston Consulting Group, um número próximo ao montante investido em publicidade de US$ 610 bilhões, segundo o eMarketer.

O canal de venda online apresentou nos últimos anos um novo contexto para o varejo. O uso da tecnologia promoveu conveniência e praticidade na vida do consumidor, mas trouxe novos desafios para os gestores das marcas, que se viram de repente dentro de uma era: a era dos dados. Logo, as áreas antes vistas antes como headcount ou custo, passaram a se tornar necessárias para redução de custos e determinantes no aumento das vendas neste novo canal, que passou a se muito importante para o resultados resultado.

Afinal, para que serve o Digital Trade Marketing? Bom ele tem praticamente o mesmo objetivo do Trade Marketing, porém aplicado ao canal de venda digital, que graças às inúmeras possibilidades do marketing digital, permite coletar e monitorar dados relevantes e com isso promover ações para engajar o consumidor.

É uma estratégia voltada para do meio para o final do funil, voltada para a fase da consideração e conversão, ou seja, quando a pessoa já está dentro do e-commerce procurando um produto. Portanto, a ideia é influenciar o consumidor no momento mais crítico da decisão de compra e preencher a lacuna que existe quando comparamos uma experiência de compra em um a loja física vs. uma experiência de compra no online.

Este novo contexto só é possível graças à conectividade constante, que transformou completamente o varejo. Hoje, os consumidores conseguem tomar decisões a qualquer hora e lugar com seus dispositivos móveis, forçando as empresas a entregarem uma experiência cada vez melhor para seu consumidor e trabalhar fortemente para evitar de perder este shopper para o site do concorrente. O m-commerce cresce em ritmo acelerado no Brasil e pode corresponder a 37% das vendas online no Brasil em 2018, segundo o Webshoppers.

A verdade é que ainda existem muitos desafios a serem superados para que esse conceito dê o resultado esperado, de acordo com pesquisa feita com 15 líderes de empresas multinacionais como por exemplo a falta de integração entre os departamentos da empresa, a falta de conhecimento de alguns profissionais sobre o tema, métricas que não monitoram de forma correta o desempenho da ação e até a definição clara de pacotes e formatos para ativar o ponto de venda digital. Um trabalho que só será resolvido com o tempo e a colaboração constante entre as marcas e os varejistas.

Mas apesar de desafiadora, a realidade não é nada distante. Já é possível ver empresas bem estruturadas em nosso mercado e com equipes dedicadas ao Trade Marketing Digital, conseguindo se destacar dos concorrentes no universo do e-commerce e se beneficiando por meio do uso de um planejamento ou metodologia baseada em inteligência competitiva, acesso a dados acionáveis, e aumento da presença digital com uma gestão completa do conteúdo que é entregue no ponto de venda para engajar o consumidor.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.