Quais são as diferenças entre o Pix e outros meios de pagamento?

por Juliana Machado Quinta-feira, 22 de abril de 2021   Tempo de leitura: 12 minutos

Em novembro de 2020 foi lançado o Pix, o novo meio de pagamento eletrônico do Banco Central, que vem trazendo praticidade para as transações financeiras entre pessoas físicas e jurídicas.

Afinal, umas das modalidades deste lançamento é o “Pix Cobrança”, nome do sistema de QR Codes do Pix, que permite a realização de cobranças entre empresas e pessoas, com finalidade comercial. Dessa forma, com a chegada do Pix, as pessoas e os negócios têm mais uma opção para enviar e receber dinheiro e, assim, decidir qual sistema é mais barato e eficiente.

Aos poucos, o comércio físico e os e-commerces vêm buscando inserir o Pix na sua operação. Isso porque, além de mais ágil, é um meio de pagamento que está ganhando a preferência dos consumidores — em fevereiro já eram mais de 116 milhões de chaves Pix cadastradas de Pessoas Físicas no país.

Se você planeja usar este pagamento instantâneo no seu negócio, entenda a seguir as principais diferenças entre o Pix e outros meios de pagamento.

Pix x boleto bancário: quais são as diferenças?

O boleto bancário é um dos meios de pagamento favoritos dos brasileiros — principalmente quando desejam pagar à vista. Trata-se do famoso documento que apresenta as informações sobre o produto ou serviço adquirido, prazo de pagamento, valor e dados da empresa fornecedora.

Após a confirmação do pedido, o cliente recebe o boleto emitido para que o pagamento seja realizado no app de seu banco ou em agências parceiras.

O objetivo do Pix para cobranças,bem semelhante ao boleto bancário, é propiciar pagamentos, com valor descrito e vencimento. Em ambos os métodos, o destino final do dinheiro é a conta do recebedor.

Os dois também permitem que o consumidor realize o pagamento por meio de um código: no caso do Pix Cobrança, é um QR Code, enquanto no boleto, é um código de barras.

No entanto, o Pix vem apresentando algumas vantagens para os lojistas, que fazem dele uma opção mais interessante em alguns momentos.

Tempo de compensação

O tempo de compensação de uma transação realizada via Pix é menor que a do boleto bancário.
A média praticada no mercado é de cerca de 1 a 3 dias úteis a partir do pagamento, para que o boleto seja liquidado e o valor disponibilizado ao recebedor.

Se o pagamento é realizado aos sábados, domingos ou feriados, o tempo de espera para ter o dinheiro em conta é ainda maior.

Neste sentido, a principal vantagem do Pix é que o valor pago é disponibilizado em até 10 segundos na conta do recebedor. Isso é válido também para os finais de semana e feriados, seja lá qual for o horário da transação.

Liberação de estoque

A liquidação imediata do pagamento realizado com o Pix é capaz de otimizar o processo logístico de uma empresa. Afinal, o vendedor não dependerá mais do tempo de espera do pagamento para despachar o produto.

Neste ponto, o boleto bancário oferece um processo mais demorado: já que tem até 3 dias úteis para que o pagamento seja efetivado, o produto fica mais tempo parado em estoque.

Dessa forma, o estabelecimento pode sofrer prejuízos pelo tempo de reserva do produto, caso o cliente tenha desistido da compra e não efetue o pagamento. Com o Pix, o lojista saberá imediatamente se o pagamento foi realizado ou não.

Conciliação

Em geral, os boletos bancários têm um processo bem burocrático quando se trata da conciliação dos pagamentos, envolvendo uma troca de arquivos com bancos para dar baixa nos pagamentos.

Já com o Pix, a conciliação é facilitada, pois a confirmação aparece na tela do celular, no momento em que a transação é concluída pelo cliente. O sistema envia rapidamente notificações.

Além disso, o Banco Central permite a integração do Pix com os sistemas financeiros das empresas por meio da “API Pix”. Tal integração facilita todo o processo de gestão, com a criação e a gestão de cobranças, verificação de liquidação, conciliação e suporte a processos de devolução.

Registro

Há alguns anos, a Febraban instituiu a obrigatoriedade no registro de boletos. Este é um processo que pode levar minutos ou horas para ser concluído, para que o lojista possa oferecer um boleto válido.

Além do mais, é necessário ter acesso a um sistema pelo computador, o que impede a emissão em celulares ou outros dispositivos móveis.

Já a emissão do QR Code no Pix Cobrança tende a ser fácil e simples. Afinal, pode ser realizada tanto por computador quanto por qualquer smartphone com acesso à internet e ao ambiente de uma instituição financeira credenciada ao Pix.

É claro que, principalmente do ponto de vista dos lojistas, o Pix trouxe uma série de facilidades. No entanto, isso não significa o fim do boleto bancário — que já é um meio bem consolidado entre os consumidores.

Pix dá no mesmo que cartão de débito?

Outro método de pagamento muito utilizado pelos consumidores brasileiros, sobretudo quando desejam pagar à vista, é o cartão de débito — embora o seu uso ainda seja pouco disseminado no e-commerce.

Afinal, historicamente o cartão de débito proporciona algumas vantagens para os consumidores, como a conveniência de não usar dinheiro vivo ou cheques, a capacidade de evitar a formação de dívidas com faturas e sua alta aceitação comercial.

A chegada do Pix, no entanto, tende a afetar o destaque do débito por conta da experiência fluida de pagamento que oferece.

O processo de pagamento

Enquanto o pagamento com débito depende da maquininha no mundo físico e raramente é uma opção no e-commerce, o Pix será aceito nos dois mundos, com uma transação simplificada — envolvendo a leitura do QR Code pelo celular.

A compensação também varia

Como já dissemos anteriormente, a liquidação dos pagamentos feitos com o Pix é imediata — o dinheiro fica disponível na conta do lojista em poucos segundos.

Quanto ao débito, engana-se quem acha que o dinheiro chega rapidinho para o vendedor só porque você vê ele sumir da sua conta na mesma hora. O dinheiro só fica disponível, em média, dois dias depois do pagamento.

De fato, com o elevado número de smartphones no Brasil e uma grande população desbancarizada, o Pix se tornará um método de pagamento mais atrativo que o débito neste sentido.

No entanto, ainda haverá espaço para os cartões, que ainda angariam a preferência de grande parte dos consumidores.

O Pix é mais vantajoso que o cartão de crédito?

Também há dúvidas se o Pix sai na frente em relação aos benefícios proporcionados pelo cartão de crédito.

O cartão de crédito é, hoje, um dos meios de pagamento favoritos do público. Estima-se que o volume de compras pagas com cartões de crédito, débito e pré-pagos no Brasil deve superar R$ 2,3 trilhões ainda este ano, segundo dados da Abecs.

De toda forma, o Pix também pode competir com o cartão de crédito pela preferência dos consumidores e lojistas. Mas é claro que, como nos dois casos anteriores, há diferenças nítidas entre as duas opções — e resta aos envolvidos no processo escolher a que melhor lhes atende.

Oferta de crédito

De fato, o Pix não oferece crédito — para usar essa modalidade para pagar por uma compra, é necessário ter dinheiro em conta.

Já o cartão de crédito oferece ao consumidor o famoso “limite” — que é um valor pré-determinado que o consumidor pode usar para pagar suas compras, pagando ao banco em um futuro próximo.

A liquidação

Mais uma vez, o Pix oferece vantagens quanto à compensação. O valor do pagamento fica disponível na conta do recebedor em até 10 segundos.

Já no caso das transações realizadas com cartão de crédito — o dinheiro fica disponível, em média, 28 dias depois do pagamento. Lembrando que, em caso de vendas parceladas, na hora de receber, você também terá o valor parcelado em 30, 60, 90 dias ou mais.

Dessa forma, em caso de transações feitas com cartões de crédito, o valor da compra só pode cair antes na sua conta caso você por um plano de antecipação de recebíveis.

A principal vantagem do cartão de crédito está na possibilidade do consumidor comprar à prazo, o que oferece mais poder de compra para as pessoas e pode aumentar a taxa de conversão dos negócios.

Você deve estar se perguntando: e agora, como decidir qual é a melhor opção? Fato é que não há resposta certa.

Escolher os métodos de pagamento a serem oferecidos no seu e-commerce depende, acima de tudo, do perfil de consumo dos seus clientes e as opções mais escolhidas por eles.

Mas, sem sombra de dúvidas, oferecer o Pix no e-commerce é um diferencial para a sua loja e mais uma comodidade para os clientes, que pode contribuir para o aumento das suas vendas.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.