As diferenças entre e-commerce e marketplace e como escolher o melhor negócio

por Patrick Negri Terça-feira, 07 de julho de 2020   Tempo de leitura: 5 minutos

Muitas pessoas sentem vontade de empreender pela internet por se tratar de um ambiente favorável a quem trabalha remotamente, por exemplo. Neste contexto, quando se trata de escolher o melhor formato de negócio, surgem algumas dúvidas, principalmente em relação a e-commerce e marketplace.

Para se ter uma ideia, as vendas online registraram crescimento nos últimos meses, mesmo durante o isolamento social. De acordo com um levantamento realizado pela Compre&Confie, essa busca registrou, em maio, um aumento de 126,9% na procura pelo e-commerce, totalizando 23,8 milhões de pedidos. Ainda segundo os dados, o varejo online movimentou R$ 9,4 bilhões.

Acredito que o principal fator que explica esse elevado número é a mudança no comportamento do consumidor. Em busca de facilidade, conforto e melhores preços, o brasileiro tem optado por realizar suas compras pela internet — acredito que essa tendência ainda vai crescer nos próximos anos.

Em sua maioria, essa quantidade relacionada à compra online é direcionada para os sites de marketplace e para as plataformas de e-commerce. Porém, não é todo mundo que conhece as principais diferenças entre esses dois termos.

Entendas os conceitos de e-commerce e de marketplace

O e-commerce é uma loja online tradicional em que uma marca comercializa suas mercadorias virtualmente. Nesse quadro, tanto uma pequena loja virtual como uma gigante do setor de comércio eletrônico são exemplos de e-commerce. Aqui, todo o processo de compra e entrega acontece por meio da plataforma. Ou seja, a empresa em questão só comercializa os itens que façam parte de seu nicho e que estejam em seu próprio estoque.

Já o marketplace, é composto por diferentes lojas virtuais que apresentam mercados de diversas marcas. Aqui, o cliente compra do dono do varejo mercadorias de outras marcas. Logo, esse modelo de negócios funciona como uma espécie de shopping center virtual.

Quais são as diferenças entre os dois?

1 – Visibilidade

Esse é um assunto bem pertinente, principalmente para quem está iniciando agora. Isso porque alcançar um grande público de compradores em potencial não acontece de uma hora para a outra em um e-commerce. A não ser que você invista muito em marketing, por exemplo. O cenário é diferente para quem escolher vender em um marketplace. Afinal, esse ambiente gera um tráfego de pessoas bastante significativo. Logo, se sua dúvida é ter um site próprio ou fazer parte de um marketplace, para ter visibilidade, a segunda opção é mais atrativa.

2 – Investimento

Começar um e-commerce do zero exige um alto investimento. É preciso que sua loja online tenha uma boa infraestrutura. Ou seja, além de pessoal, você terá que contratar diversas soluções, como uma boa plataforma de pagamentos, ferramentas de atendimento ao cliente e também em recursos para garantir o seu sistema logístico. No caso de um marketplace, esse processo acontece por conta de outra companhia. Portanto, a responsabilidade da infraestrutura fica sob responsabilidade dela, e não sua.

3 – Lucro

Tanto um site próprio como um marketplace podem apresentar lucro. Dessa forma, é preciso realizar uma análise. Isso porque, pelo e-commerce, o lucro só pertence a você. No entanto, atingir um elevado volume de vendas leva um certo tempo. Enquanto isso, acredito que é possível vender mais ao fazer parte de um marketplace. Porém, é preciso pagar uma taxa de comissão referente a cada venda realizada.

4 – Segurança

Garantir a segurança representa uma enorme responsabilidade se tratando de um e-commerce, isso porque as tentativas de fraudes não são poucas. Ou seja, é essencial investir em sistemas antifraude que protejam todas as suas operações e transações para não correr o risco de prejuízo financeiro. Em um marketplace, ele próprio é responsável por garantir essa segurança contra fraudes.

Qual escolher?

Com essas informações em mãos, pode surgir a dúvida, qual o melhor para eu escolher? Isso será um processo bastante pessoal pelo fato de, ao optar marketplace, muitas ações importantes, como segurança, por exemplo, pesam e não irão depender de você. Já no caso de escolher o modelo e-commerce, você poderá realizar o sonho de ter um negócio próprio e com independência.

É necessário analisar todas as variáveis com profundidade e verificar qual se alinha com os seus principais objetivos.


Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.