Acesso rápido

Diferenças e semelhanças do comércio físico e virtual

por Amauri Moura Quinta-feira, 06 de novembro de 2014

O grande potencial de crescimento do e-commerce no Brasil se reflete na intenção de muitos comerciantes migrarem suas lojas físicas para o espaço virtual ou de manterem os dois tipos de vendas. Existem diversos desafios em ambos os cenários, desde organizar finanças, prospectar clientes, tornar o produto referência no mercado até trabalhar a imagem da marca em longo prazo. Contudo, é importante ficar atento às semelhanças e diferenças de cada negócio para que o investimento seja assertivo e o sucesso e retorno financeiro sejam alcançados.

Mitos e verdades

A ideia de que a loja online seja mais barata de se implantar em comparação com a física é bastante questionável. A possível vantagem desaparece quando a empresa começa a crescer e ganha mais espaço no mercado. Neste momento, é preciso se atentar ao estoque de mercadorias, a logística, ao envio e a troca de produtos. E vale ressaltar, tudo isto tem custo. Planejamento a curto, a médio e a longo prazo é necessário.

Outro ponto importante é a localização. Em uma loja física, por exemplo, deve ser analisado o local onde esta será instalada. Conhecer a comunidade, verificar se existem concorrentes diretos ou indiretos na região, se atentar ao trânsito (no caso de grandes cidades) e a acessibilidade do local são fatores relevantes quando avista-se um potencial ponto de venda.

Por outro lado, em um varejo virtual não existem essas preocupações e o comércio eletrônico consegue chegar onde a loja física não chega e, por esta diferente situação, o empreendedor deve ficar atento para evitar problemas como atraso na entrega da mercadoria e armazenamento inadequado de produtos.

A experiência de compra em ambos os cenários também é extremamente peculiar. Em um shopping, uma pessoa compara preços passando de loja em loja para coletar informações do serviço/produto. Já no mundo online, o consumidor pode abrir na tela de seu computador várias janelas e checar qual é a melhor oferta, tornando a comparação de preços mais fácil e precisa no mundo virtual. Esta realidade pode ser vantajosa tanto para o comprador como para o vendedor, que ao se empenhar em oferecer serviços/ produtos de boa qualidade por preços competitivos se tornará referência no mercado.

Propaganda e entrega de mercadorias

Outra diferença entre os dois tipos de comércio está no investimento em marketing e publicidade. Geralmente, dependendo do ramo, os investimentos em propaganda para uma loja virtual são mais altos, pois o volume de material precisa ser maior para atingir e convencer o consumidor. Além disso, quanto mais segmentado o serviço/ produto oferecido, mais custoso será a propagação de vantagens, diferenciais e benefícios, sendo o resultado de todo este investimento mais moroso do que o esperado. Por outro lado, a quantidade de ferramentas de vendas gratuitas online é também muito vasta e a criatividade para chamar a atenção do consumidor pode ser um grande diferencial.

Em uma loja física, a venda termina quando o produto é entregue ao cliente. Logicamente, o pós-vendas é uma realidade, mas o processo de venda em si, termina neste ponto. No comércio virtual, após o cliente comprar o serviço/ produto esta ação continua até que a mercadoria seja entregue e, quando finaliza-se esta etapa, começa a expectativa do cliente em receber o produto. Para que essa compra atenda a todas as perspectivas é importante que o vendedor se atente a logística e ao processo de entrega.

O planejamento da entrega de produtos em uma loja virtual deve ser muito preciso. O cliente não pode se sentir em situação controversa ao sentimento do momento da compra, devido a um atraso na entrega, por exemplo. A mercadoria também pode ser extraviada e o empreendedor ter que enviar outro produto ao cliente sem custo. Neste caso, é preciso agir com responsabilidade e rapidez.

Fraudes

Fraudes podem ocorrer em ambas as situações, mas quem atua online deve ficar ainda mais atento. Uma ótima ferramenta de prevenção são os intermediadores de pagamento que, por meio da gestão de riscos e fraudes, evitam a conclusão de transações ilegais.

Estas são apenas algumas semelhanças e diferenças entre o comércio online e físico. Sabemos que a integração entre ambos é uma realidade, em muitos casos, necessária, mas o planejamento, estudo e experiência devem basear qualquer decisão, no qual a satisfação do cliente deve ser o norte para ações lucrativas e sustentáveis.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

O projeto E-Commerce Brasil é mantido pelas empresas:

Oferecimento:
Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars: Recrutamento & Seleção: Dialhost Métricas & Analytics: MetricasBoss

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.