Devo me desfazer de fornecedores e colaboradores para minimizar gastos?

por Thiago Sarraf Segunda-feira, 06 de abril de 2020   Tempo de leitura: 3 minutos

A pandemia de coronavírus que atingiu o mundo inteiro chegou ao Brasil e está desestabilizando muitos negócios. Com o decreto do fechamento de shoppings e demais comércios considerados não essenciais, muitos pequenos e médios empreendedores estão preocupados com as contas.

Isso não apenas para as lojas físicas, mas também para o e-commerce. Apesar de ser online, boa parte da operação ainda é física, como embalagem, expedição e transporte do produto até sua casa.

Devido ao autoisolamento, vai acontecer uma histeria, no primeiro momento. Onde haverá — aliás, já está acontecendo — o aumento do consumo dos insumos como comida, supermercado e higiene. E com a preocupação da duração dessa crise, a diminuição da compra dos demais produtos vai ser inevitável.

Queda das vendas

A minha previsão para o momento, que já está acontecendo com diversos e-commerces, é uma queda de 40% nas vendas. E em um cenário de 2 a 4 meses, acredito que esse número chegue a 80%, infelizmente.

O cenário, infelizmente, não é positivo para o momento pelo qual estamos passando. Contudo, ele vai passar. E também creio que as vendas não vão chegar a zerar.

Enquanto a crise não for de crédito, as pessoas continuarão comprando e os comércios não ficarão fechados para sempre. Não aconselho ninguém a encerrar o comércio físico.

Existem, sim, diversas medidas que o governo está tomando para tentar estabilizar o mercado e minimizar os danos, mas com o cenário incerto, nunca sabemos o dia de amanhã.

Minimizar os gastos

Uma questão muito discutida é sobre fornecedores e colaboradores. Apesar de alguns negócios ainda não terem sido afetados pela crise, muitos dos que foram consideram se desfazer de alguns colaboradores, principalmente para diminuir os gastos. Em minha opinião, isso não deve ser feito.

Sim, sabemos que muitos pequenos e médios negócios já estão sofrendo e o cenário futuro não é promissor. Contudo, a economia e o mercado precisa continuar girando.

Imagine que se seu negócio e muitos outros dispensarem funcionários e colaboradores para diminuição de gastos, estas pessoas provavelmente evitarão gastar com itens “desnecessários”. É, portanto, uma reação em cadeia. Sem dinheiro garantido, os consumidores evitarão compras. Evitando compras, sua loja não vende. Sem vendas, o cenário da sua empresa pode ser muito pior do que manter os colaboradores em home Office.

Planejamento

A grande chave aqui é, como sempre, o planejamento. Se você tem estoque, faça e maneje-o bem. Também não pare com o marketing. Trabalhe no orgânico, mas não deixe de fazer. Recuperar suas posições perdidas na página do Google podem custar muito mais, futuramente.

Quem ainda não tem e-commerce, agora é o momento. Pode começar com vendas pelo WhatsApp ou pelo Instagram. Mas, comece. Quem sabe não te inspira a abrir uma loja mesmo.

Procure plataformas intuitivas e que você possa configurar você mesmo, fornecedores e ferramentas também. Muitos profissionais e plataformas também estão oferecendo ajuda online, aproveite.

Agora é fazer o máximo para tentar burlar essa crise e manter o mercado funcionando. Não aconselho dispensar gente ou outros prestadores de serviço. Vamos passar por isso juntos.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.