Acesso rápido

Descrição do produto: você está fazendo certo?

por Sabrina Nunes Terça-feira, 11 de fevereiro de 2020   Tempo de leitura: 8 minutos

Estamos cansados de saber que a loja física e a online são extremamente diferentes. Isso nunca foi segredo! Quando visitamos uma loja física, temos a oportunidade de pegar o produto em mãos, sentir a textura, o peso, cheiro e ainda conseguimos provar e avaliar se queremos de fato aquele produto.

Já na loja online, as únicas formas do cliente entrar em contato com os produtos são através das fotos e da descrição do produto. Por isso, o empreendedor precisa entender a importância e necessidade de ter em seu site fotos em alta resolução e descrições detalhadas do produto.

Uma boa descrição ajuda não só a aumentar a taxa de conversão do site como também contribui para o SEO (estratégia para posicionar o seu negócio nos mecanismos de busca). Isso sem contar o fato de que aumenta a confiança do consumidor em relação a sua loja, o que é essencial para fechar a compra.

Basicamente, uma descrição do produto deve conter as respostas para as seguintes perguntas:

  • O que é o produto?
  • Para que esse produto serve?
  • De qual material esse produto é feito?
  • Maneiras de usar o produto

Mas, lógico, não é só isso. É na descrição que você vai conquistar o potencial cliente. Por isso, é fundamental que você separe um tempo da sua rotina para se dedicar a essa tarefa.

Saiba quem é a sua persona

Você já deve estar cansada de ouvir falar de persona, mas isso vai continuar acontecendo: “persona”, “persona”, “persona”…esta palavra está em todos os lugares e em todas as etapas de construção da sua marca, e não é por menos.

Saber quem é o seu cliente ideal, ou seja, seu público-alvo vai ajudá-lo a direcionar melhor todas as escolhas do seu negócio, principalmente na comunicação. Quando se conhece a persona (idade, sexo, região, problemas, dúvidas etc) você sabe exatamente o que ela procura, e isso vai te ajudar a descrever o seu produto da melhor forma.

Lembrando que existe a persona (cliente) e a persona (da marca). Essas duas frentes precisam andar de mãos dadas. Não adianta o seu cliente ter 27 anos e você usar uma linguagem extremamente formal, a não ser que você seja do segmento de advocacia, medicina etc.

Mas, ainda sim, existem as exceções como o Nubank, do mercado financeiro, por exemplo, a marca possui clientes de várias faixas etárias e utilizada de uma linguagem super informal. Enfim, depende de quem sua marca quer ser (persona) e quem é seu público-alvo (persona).

Qual problema você está resolvendo?

Tenha sempre em mente que nós, empreendedores, somos solucionadores de problemas. Não vendemos apenas um produto, vendemos a solução. Por isso, escreva quais são os benefícios ao adquirir aquilo que você está oferecendo. Mostre os atributos e explique como eles irão resolver a vida do cliente.

Alguns produtos têm mais demanda do que outros, mas resolver problemas é uma tarefa difícil, por isso, entenda em que “problema” sua marca se encaixa. Por exemplo, a Francisca Jóias se encaixa na “dificuldade de achar uma semijoia com preço acessível e de qualidade”, “na falta de autoestima”, “na busca por estilo ou identidade”, e assim por diante.

A marca Pantys vende calcinhas absorventes de alta tecnologia com tecidos anti-bactérias. Olha que segmento diferente, mas fundamental para as mulheres. Quantas vezes você não achou desconfortável ou anti-higiênico o absorvente? Pois bem, por essas e inúmeras outras questões que a marca nasceu e é um extremo sucesso. Isso é resolver um problema, é ser inovador, é ser disruptivo.

Não copie a descrição do produto de outro site

Nunca, jamais, em hipótese alguma copie a descrição de outro site. O Google sabe exatamente quando alguém copia qualquer tipo de conteúdo de outro site, seja um texto, a descrição de algum produto ou as fotos. E isso gera penalização, ou seja, o seu rankeamento nas buscas vai caindo cada vez mais.

Só você conhece, mais do que ninguém, quem é o seu público e todos os benefícios do produto que você está vendendo. Por esse motivo, não há necessidade de se queimar copiando conteúdo alheio.

Desenvolva um conteúdo amigável, no qual mostre as qualidades do seu produto, dê exemplos de como usar, medidas, peso, mostre fotos em still (fundo branco), fotos em modelos (em caso de roupas, acessórios ou calçados), fazer um pequeno vídeo pode ser também um grande diferencial. Com a peça em movimento é possível ver detalhes que a foto não permite.

Não deixe dúvidas

Assim que terminar a descrição do seu produto, leia novamente e faça de conta que é um novo cliente. Após essa leitura ficaram dúvidas? Se sim, é melhor reescrever. Caso não consiga ter uma visão crítica da descrição, peça para um amigo ou parente ler e te explicar o que ele (a) entendeu ou, se após a leitura, a pessoa compraria o produto que você vende? Enfim, pegue feedbacks.

O cliente não está com o produto em mãos, por isso, lembre-se:  não economize em informações sobre medidas, peso, textura, tecido, entre outros detalhes.

Lembre-se de que não existe uma fórmula perfeita para criar uma descrição eficiente, afinal, tudo depende do seu produto e da sua persona. Mas, essas dicas já dão um ótimo direcionamento para melhorar cada vez mais.


Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica? Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.