Acesso rápido

Como a técnica de CGI está revolucionando o varejo?

por Daniel Smolenaars Sexta-feira, 14 de setembro de 2018   Tempo de leitura: 4 minutos

Embora a técnica das imagens geradas por computadores (CGI) já seja utilizada há décadas por setores como o cinema e os games, além dos segmentos aeroespacial e automobilístico, outros ramos do mercado como o varejo estão se aproveitando dessa tecnologia e revolucionando a divulgação de imagens de produtos.

Hoje é possível fazer registros das mercadorias não da forma tradicional — manualmente, com o auxílio de uma câmera e ambientando em um espaço físico —, mas digitalmente e em 3D. Se antes poderia levar dias e uma equipe inteira de profissionais para produzir fotos de móveis, tratar as imagens para depois divulgar e comercializar os produtos, agora as mesmas ações são feitas em um menor tempo, com um número reduzido de especialistas e em maior escala. Tudo graças à técnica de CGI (Computer Graphic Imagery).

O que precisa ser enfatizado, porém, é que não se trata apenas de reduzir tempo, profissionais e custos relacionados à produção das imagens, mas a outros benefícios que a tecnologia agrega. Por exemplo, ao invés de tirar uma foto de uma cama e exibir essa imagem estática a potenciais consumidores em sites de compra, melhor é possibilitar a eles o poder de movimentar a imagem para ver o objeto tridimensionalmente, de vários ângulos. Ou ir além e permitir que, munido de um tablet ou smartphone com câmera, o usuário possa posicionar esse objeto “fisicamente” em seu espaço via realidade aumentada, mesclando ambientes físicos e virtuais e promovendo uma experiência única, sem estar de posse do produto.

A partir de uma imagem, é possível apresentar um mesmo produto de 32 ângulos diferentes. E como isso é possível? Algoritmos com base em tecnologias avançadas como machine learning auxiliam o profissional a projetar uma cena computadorizada, porém realista. Ao ser comparada com uma imagem “real”, pode deixar muita gente em dúvida. Além disso, por meio da própria plataforma é possível acompanhar todo o processo de desenvolvimento das imagens e visualizá-las, otimizando o tempo gasto com aprovações que, em um processo tradicional, geralmente são feitas apenas no final, por exemplo.

Proporcionar isso a um cliente, em especial àqueles que optam pela comodidade de fazer uma compra online em vez de se deslocar para um local e ver com seus próprios olhos, é sair na frente no mercado, cada vez mais transferido para o ambiente digital ao invés de permanecer apenas no mundo offline. E tudo isso já está sendo colocado em prática em um modelo de negócio que se baseia em design e tecnologia.

Nos Estados Unidos, o uso dessa técnica é praticada em e-commerces de diversos ramos, de decoração até beleza e fashion. Se antes uma empresa precisava encomendar com um estúdio de fotografia ou fotógrafo 500 imagens de produtos por ano, hoje, por meio da técnica de CGI, é possível produzir diversas cenas por dia, com qualidade, possibilidades de edição e de acordo com as especificações desejadas pelo cliente.

Em um contexto no qual profissões e especialidades estão sendo remodeladas em razão da transformação digital que está avançando em vários setores (do mercado e da indústria), a técnica de CGI passa a ser um nicho interessante de profissionalização para designers e desenvolvedores. Mas para surfar nessa tendência, é preciso ir em busca de conhecimento e entender como ela funciona para ser aproveitada em negócios variados.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.