Acesso rápido

Como prosseguir para criar o meu próprio e-commerce?

por Francisco Sales D'Almeida Quinta-feira, 05 de julho de 2018   Tempo de leitura: 5 minutos

Com as vendas no e-commerce crescendo acima de 7,5 % ao ano no Brasil, é natural que muitos sonhem em abrir o seu próprio negócio digital. No entanto, muitos ainda não sabem por onde começar o seu empreendimento.

É verdade que abrir um negócio digital exige um investimento menor em relação a um empreendimento físico. Afinal, os custos de operação podem ser bem reduzidos e você pode começar em sua própria casa, sem necessidade contratar uma equipe ou de realizar grandes investimentos em estoque, por exemplo.

Além disso, é possível abrir um e-commerce em paralelo à sua atividade atual. Sendo assim, você só abandona sua outra fonte de renda quando o negócio já estiver consolidado e gerando lucros.

Como em toda empreitada, o planejamento é fundamental, iniciando pela definição do seu nicho de mercado. A menos que você tenha muito capital para brigar de frente com marcas já consolidadas, o melhor é focar em um público alvo e em uma linha de produtos que você possa apresentar algum diferencial competitivo.

Pesquise outras empresas que já atuam no mesmo segmento. A ausência de competidores no setor pode indicar também a falta de um mercado como um todo.

Antes de decidir qual produto você irá vender no e-commerce, é importante conhecer e entender os diferentes modelos de negócios para realizar esta venda. Você irá oferecer um serviço, um software ou um produto físico? Neste caso, será necessário ter um grande estoque ou trabalhar com o estoque do fornecedor? O produto é fácil de ser entregue ou exige uma logística sofisticada?

Algumas perguntas a se fazer são: quem eu representarei? Qual o meu conhecimento deste nicho? Quem comprará o meu produto? Quais diferenciais irei oferecer?

Já identificou a imagem do projeto desejado para a loja? E o consumidor que melhor adere ao perfil de “persona”, já o reconheceu? Então é o momento de pensar nos produtos que fazem sentido ao modelo desenhado. A sugestão é começar com poucos, entre um e três produtos, para reduzir o investimento inicial e testar o desenho do negócio.

Definidos o modelo de negócios e o público alvo, é hora de investir na criação da sua marca. Ela precisa estar conectada com os consumidores que você pretende atingir, assim como os valores que você irá oferecer para se diferenciar no mercado.

Você pode optar por fazer tudo sozinho, mas lembre-se: sua marca pode fazer toda a diferença na hora de conquistar o mercado. O ideal é contar com uma boa assessoria de marketing na criação do conceito, nome, logomarca, visual e cores, além de dos registros e licenças.

Com a marca criada e devidamente registrada, a próxima etapa é pensar na criação e design do seu e-commerce. O primeiro passo é registrar o seu domínio e todas as URLs que possam ser relevantes.

Existem muitas opções no mercado, desde o desenvolvimento “open source”, web-designers e programadores. Todos poderão te ajudar a criar suas páginas.

Uma alternativa para os iniciantes é o aluguel. Normalmente os fornecedores já incluem no pacote a hospedagem do site, registro do domínio, e-mail, meio de pagamento e templates gratuitos para você mesmo criar o seu site. Mas vale a ressalva: se você não tem muita experiência, essas soluções não são tão fáceis para um usuário iniciante.

Os preços podem variar muito conforme sua necessidade. No modelo de aluguel, existem boas opções a partir de R$ 59 ao mês, por exemplo.

Há ainda muitas plataformas prontas que você pode licenciar conforme o tamanho e volume de negócios planejados. O ideal é contar com uma boa consultoria para te ajudar a definir a solução mais adequada, tanto do ponto de vista técnico quanto no que caiba no seu orçamento.

Você pode começar pequeno, mas lembre-se de escolher uma solução que tenha escalabilidade e permita integração com ERP’s de mercado e plataformas de marketplace.

O desenho do site, a velocidade de resposta e, portanto, o local onde será hospedado serão influentes ao atrair clientes para o seu negócio. O mesmo vale para a performance da sua página em smartphones e tablets.

De nada adianta pensar em uma boa marca, se a tua página não ganhar relevância nos mecanismos de busca, especialmente no Google. Para não errar aqui é bom pesquisar e contar com especialistas em SEO (Search Engine Optimization). Acredite: as técnicas para otimizar o seu site e aumentar a relevância estão sempre se atualizando.

É possível encontrar na web e-commerces que começaram com menos de R$10 mil de investimento e tiveram rápido crescimento (e bons lucros). Ainda assim, quanto maior for o seu investimento tanto em capital quanto em planejamento, maior será a sua chance de sucesso no universo online.

Espero que este artigo te ajude a refletir se está realmente preparado para dar o primeiro passo no mundo dos negócios digitais e como buscar ajuda na hora de tirar do papel o seu sonho de empreendedor.

Texto original disponível nesse link.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.