Acesso rápido

Como aproveitar mais (e melhor) os marketplaces?

por Sidney Zynger Sexta-feira, 14 de setembro de 2018   Tempo de leitura: 4 minutos

O varejo digital é um mercado em constante expansão e não restam dúvidas em relação a isso. Para aproveitar este crescimento, muitos empreendedores decidem investir primeiramente na sua presença em marketplaces, plataformas que disponibilizam uma estrutura prévia para que seja criado o e-commerce, tais como lojas em galerias, que já possuem sua estrutura montada. Segundo relatório da Ebit, analista de lojas virtuais e comércio digital, os marketplaces brasileiros faturaram R$ 73,4 bilhões no ano passado.

O processo não é complicado: o lojista interessado precisa apenas realizar um cadastro e aguardar a aprovação. Uma vez aprovado, ele passa a publicar seus produtos. Quando uma venda ocorre, o comprador realiza o pagamento para o marketplace e este envia o pedido ao empreendedor e este é responsável agora pela entrega, emissão da nota fiscal e atendimento ao cliente. Uma vez feita a entrega, é repassado o dinheiro ao lojista descontando uma comissão pela venda.

Dentre as inúmeras vantagens, acredito que a maior seja aproveitar o volume de tráfego que os marketplaces possuem. Isso dá mais visibilidade aos produtos e à marca. Além disso, ele pode auxiliar na redução de custos com publicidade, por exemplo. Outro ponto beneficiado é o SEO (Search Engine Optimization) da loja, que ajudará a aumentar o rank e a relevância do seu e-commerce e produtos nas buscas.

O ponto fundamental que o lojista digital precisa compreender é como fazer esta integração com marketplaces. Primeiramente, o empreendedor precisa estudar o perfil de público e alcance antes de integrar-se a alguma plataforma. Tão importante quanto atingir muitas pessoas, é chegar nas pessoas certas, por isso esta etapa é fundamental no sucesso das vendas. Para lhe auxiliar, sugiro que responda três questões para entender a viabilidade de entrar em determinado marketplace: O público-alvo do seu negócio está lá? Ele tem um bom volume de tráfego? Quais serão os principais produtos do estoque que você venderá?

O próximo passo consiste na verificação se a sua plataforma permite a integração com marketplaces. Algumas plataformas de e-commerce disponíveis no mercado possuem um sistema de integração disponível. Muitas delas cobram para fazer esse processo, enquanto outras disponibilizam essa funcionalidade sem custos adicionais. O melhor a se fazer é entrar em contato com o serviço de plataforma que você utiliza para entender estas integrações, e quais serão os custos adicionais para isso, se houver.

Depois disso vem a parte mais técnica e fundamental: informações centralizadas e gestão integrada. Com a integração perfeita entre ERP e a plataforma de loja virtual, você centralizará toda a operação. Assim, é possível acompanhar o estoque, cadastros de clientes e produtos, vendas e time comercial. Tudo em um único lugar e em poucos cliques. É eficiência e precisão da venda à gestão.

A experiência em marketplaces pode ser um passo importante para aqueles que almejam seu próprio endereço na rede. Acredito que trabalhar simultaneamente com as duas alternativas, e-commerce próprio e marketplace, seja algo positivo especialmente para a visibilidade da marca. O empreendedor digital possui inúmeras possibilidades na web, e sem custos com estruturas físicas para manter o negócio.

Vamos transformar, juntos, este mercado promissor em uma realidade ainda mais lucrativa?

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.