Projeto mantido por:

Categorização de produtos: use estas estratégias para aumentar vendas

por Gustavo Chapchap Quinta-feira, 04 de agosto de 2022   Tempo de leitura: 11 minutos

Quando entramos numa loja em busca de um produto específico, nossa primeira atitude é atentar para a localização de cada departamento, onde estarão concentrados os itens daquela categoria de produtos.

Por isso, no comércio físico, são tão importantes os investimentos em visual merchandising, pensados justamente para organizar melhor a distribuição das mercadorias e, assim, facilitar o acesso do cliente.

Na estruturação de um e-commerce, o raciocínio deve ser o mesmo. E reside nesse aspecto a importância da chamada categorização de produtos.

Uma boa categorização de produtos no e-commerce é uma daquelas atividades que exigem atenção, uma vez que envolvem diversos detalhes.

É por meio dessa estratégia que os gestores têm como classificar e organizar suas mercadorias, tornando a navegação do usuário mais fácil, o que tende a elevar o seu grau de satisfação com aquela experiência e, consequentemente, as vendas.

Ter uma estratégia bem-sucedida nessa área começa na própria escolha da plataforma de e-commerce, uma vez que o ideal é ter um sistema que ofereça boas soluções nessa frente.

Nesse caso, além de considerar o caminho a ser percorrido pelo cliente, é importante avaliar os recursos disponibilizados para agilizar o cadastro dos produtos.

Quais as vantagens de uma boa categorização de produtos?

Ao oferecer uma boa experiência de compra para o usuário, o e-commerce favorece a conversão da loja, até porque evita que o cliente saia da página por não ter localizado o produto no qual estava interessado.

Outro fator importante da categorização de produtos é o aumento do tráfego. Isso acontece porque há ganhos na otimização do site, o que vai reverter em mais buscas orgânicas.

Nem sempre os gestores fazem essa associação, mas a organização da loja é um dos aspectos que são considerados pelos serviços de busca, como o Google.

O que será mapeado, no caso, são os termos-chave empregados na criação da árvore de categoria, geralmente baseada na categoria do produto e em subdivisões.

Por exemplo, num e-commerce de moda que atua com itens para mulheres, homens e crianças, não basta classificar os produtos femininos. É importante agrupar os produtos em subdivisões, como blusas, saias, vestidos, calças etc.

No momento de organizá-las, é fundamental levar em conta a hierarquia, ou seja, a distribuição deve ser feita de acordo com o grau de importância das mercadorias.

No dia a dia do e-commerce, um bom critério a ser empregado é o de vendas, assim vamos garantir que os itens que têm mais saída sejam priorizados na exibição.

E isso nos leva diretamente para outro benefício da categorização de produtos: aumento do ticket médio do negócio, a partir do uso do cross selling.

Isso significa que o cliente verá na página sugestões de outros produtos daquela categoria, podendo optar por um item de maior valor.

Como aprimorar a categorização de produtos do e-commerce?

Partindo do princípio de que o sistema de vendas permite criar com facilidade a árvore de categoria, o que vai definir o sucesso do e-commerce é justamente a estratégia adotada na classificação dos produtos.

Algumas dicas que podem ajudar:

Colocar-se no lugar do cliente

Valorizar a experiência de compra do cliente é hoje um dos fatores decisivos para o sucesso das vendas no digital. Contudo, para que isso dê certo, as empresas devem tomar como base o conhecimento que têm sobre seu público.

O digital oferece muitos dados para as operações, mas nem sempre eles são empregados para aprimorar a experiência de compra.

Quanto mais informações sobre a movimentação na loja, melhor para fazer a categorização dos produtos.

É a partir dessa sintonia com o público que a loja vai conseguir entender a “dor” do cliente e, claro, oferecer a solução mais apropriada.

Considerar as técnicas de SEO

Já citamos que a categorização de produtos no e-commerce influencia no volume de buscas orgânicas, mas é importante saber o que pode ser feito para elevar os resultados.

O primeiro passo é analisar as palavras-chave mais relevantes para cada categoria.

A explicação é simples: se os termos têm baixo volume de busca, dificilmente levarão clientes até a loja.

Outro aspecto a ser considerado é o cuidado adotado na descrição das categorias e dos próprios produtos, uma vez que isso facilitará a busca do cliente.

O principal é encontrar o equilíbrio: termos muito genéricos não funcionam, assim como os específicos demais.

Para quem está iniciando, uma boa dica é analisar a concorrência para entender a estratégia empregada.

Criar um ambiente intuitivo

Se o objetivo da categorização de produtos é tornar o ambiente mais “amigável” para o cliente, é preciso atentar também para outros aspectos que facilitam a navegação, como o layout da página.

Para isso, considere a possibilidade, por exemplo, de inserir elementos gráficos que ajudem o cliente a se localizar no site.

Outra dica importante: o usuário deve ser capaz de identificar a todo o momento em qual categoria ele está. Assim, se ele quiser retomar sua busca, ficará mais fácil.

Usar os filtros de pesquisa

Por mais bem organizada que seja a loja, é importante que o cliente tenha como refinar a sua busca.

É para isso que serão empregados os filtros, permitindo que a pessoa chegue mais rapidamente no item que deseja.

Principalmente para os clientes que estão no estágio mais avançado da jornada de compra (e com maiores chances de conversão), uma boa ferramenta de busca pode ser determinante para que ele finalize a transação.

Vale lembrar, ainda, que a pessoa que faz compras pela internet deve ter à disposição soluções que a aproximem da venda no ambiente físico.

Se ela estivesse na loja, poderia recorrer ao vendedor para lhe ajudar. No e-commerce, fará isso a partir da busca.

A definição do tipo de filtro depende muito do segmento de atuação, mas a proposta é que o cliente possa definir com maior precisão as características do seu produto.

Voltando ao exemplo do e-commerce de moda, se a pessoa está buscando uma blusa, o filtro será responsável por exibir apenas os modelos disponíveis no seu tamanho ou mesmo cor.

Em lojas multimarcas, ele também pode optar por navegar apenas por aquelas da sua preferência, descartando as demais.

Como vimos, uma boa categorização de produtos no e-commerce é uma daquelas atividades que exigem atenção, uma vez que envolvem diversos detalhes.

As soluções nessa área evoluíram muito nos últimos anos, o que tem facilitado bastante a execução da tarefa por parte da equipe.

O principal, então, é mesmo o planejamento estratégico, considerando que o mais importante é favorecer a experiência do cliente, priorizando os seus interesses.

Neste momento de maior adesão às compras online, as marcas devem direcionar os seus esforços para fidelizar o consumidor, fazendo com que ele retorne à loja. Mas isso não vai acontecer se ele não sair daquela experiência plenamente satisfeito com ela.

Leia também: Cinco passos para enviar os produtos da loja virtual sem complicações

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER