Projeto mantido por:

Automotivo: o que considerar nas vendas dessa categoria

por Felipe Sobreira Quinta-feira, 24 de março de 2022   Tempo de leitura: 8 minutos

Comprar autopeças pela Internet já é cada vez mais parte da rotina de consumidores de todo o país. Essa mudança de hábito se traduz em muitas oportunidades para empreendedores que vendem de pneus a tapetes, passando por para-brisas, câmeras laterais e capacetes, tendo lojas físicas ou não.

Isso porque a produção e as vendas de veículos dão sinais de recuperação, crescendo 6% em 2021 em comparação ao ano anterior e fechando na casa de 75,5 milhões de veículos, após uma queda a partir do fim do primeiro trimestre de 2020. A crise de semicondutores e a guerra na Ucrânia são pontos de atenção que podem fazer com que o segmento encerre o ano com um crescimento baixo. Mas, de toda forma, ainda é esperado que 2022 tenha resultados superiores aos recentes.

Enquanto isso, as vendas das peças de reposição cresceram, recuperando-se mais rápido, apesar de também terem sentido os efeitos da desaceleração do ano retrasado. É que o cliente, inseguro com o mercado, inflação e futuro, prefere arrumar o carro que tem a comprar um novo.

E o público se digitalizou de vez. Esse comportamento se manteve mesmo após a reabertura do comércio, e o consumidor segue utilizando canais online para saber mais informações sobre produtos e concretizar as compras.

Mas, como todos os segmentos, o automotivo tem suas peculiaridades. Esses pontos de atenção são essenciais para que você alcance bons resultados ao vender autopeças e acessórios automotivos pela Internet.

Confira a seguir alguns grandes pilares para sustentar a sua estratégia, garantir visibilidade para seus itens e a satisfação do seu público-alvo.

Pense na jornada do cliente

O cliente conta, cada vez mais, com a Internet para se informar sobre um item, tomar sua decisão e fechar a compra. É por isso que você deve garantir a melhor experiência possível não só no momento do checkout, mas da etapa de pesquisa ao pós-venda.

Esteja atento à jornada de compra online, que é diferente da física. Capriche na descrição dos itens, incluindo detalhes e termos técnicos para otimizar seu posicionamento na busca e não economize em informações cruciais como preço, formas de pagamento e entrega.

Lembre-se de que peças automotivas são bastante específicas e que o cliente não tem o produto em mãos para saber se aquela é a ideal para seu carro. O amortecedor de um veículo não vai, necessariamente, servir em outro. É preciso saber o modelo exato para fechar a compra, e a insegurança do cliente o leva a não comprar.

Por isso, deixe clara a função de cada acessório e facilite: possibilite que o cliente pesquise por tipo de peça ou código universal do produto, como o EAN ou o “part number”.

Diversifique meios de pagamento…

Nem sempre quem vai comprar autopeças pela Internet é o consumidor final. Donos de oficinas mecânicas ou proprietários de frotas, por exemplo, podem precisar de itens e querer pagar via boleto ou Pix, como pessoa jurídica. Assim, é fundamental oferecer o maior número de meios de pagamento possível para não perder nenhuma venda.

…e canais de venda

Se você quer vender bastante, é preciso estar onde o seu cliente está. É por isso que é tão importante conhecer o seu público-alvo e variar seus canais de venda. Sabia que dados da Autotrader, EY e Bain & Company mostraram que 80% dos consumidores usam múltiplas plataformas para pesquisar pelo veículo ideal e chegam a trocar quatro vezes entre o online e o offline até fechar a compra? Aposte na omnicanalidade, mantenha seu negócio atualizado e inovador antes que se torne ultrapassado.

Tenha um sortimento variado

A probabilidade de vender aumenta com um sortimento variado. De itens campeões e sempre requisitados, como pneus e capacetes, aos pontuais, como calhas, limpadores de para-brisa, câmeras laterais, sensores, adesivos e capas de estofado, tenha um estoque amplo e abastecido: os resultados virão.

Considere a importação

E por falar em ter um sortimento variado, investir em produtos importados pode ser uma boa pedida para ganhar vantagem competitiva. Você expande o sortimento com itens que seus concorrentes não têm, multiplicando as chances de vender e de atrair novos clientes.

No caso de pneus, por exemplo, importar se tornou relevante. Isso porque, por um período, a indústria nacional não deu conta de atender à demanda do mercado, fazendo com que as linhas estrangeiras ganhassem espaço. Mas atente-se: a importação de alguns pneus sofre incidência do dumping, o que pode tornar sua venda menos competitiva.

Um bom negócio é investir em acessórios, que são itens bastante relevantes para importação, mas com menos impedimentos técnicos. Quer algumas opções? Adesivos, capas de estofados, tapetes, lâmpadas e itens de iluminação automotiva são boas pedidas.

Você pode importar da China com custos atrativos, ou de países da América do Sul e do Norte, com tarifas reduzidas ou até isentas, conforme acordos divulgados pela Siscomex.

É importante reforçar que existem algumas normas e exigências para comprar e vender produtos automotivos importados no Brasil. Itens como capacetes, centrais multimídia e sensores de ré, entre outros, precisam ser certificados e homologados por órgãos regulatórios como o Inmetro e a Anatel para que sejam comercializados em território nacional.

Espero que essas dicas deem o empurrãozinho que falta para você acelerar suas vendas de autopeças na Internet. Até a próxima!

Leia também: Vendas de veículos seminovos online e as oportunidades para os negócios

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER