Automação: como acelerar o fluxo de trabalho dentro do e-commerce

por João Paulo Arraes Quinta-feira, 19 de março de 2020   Tempo de leitura: 9 minutos

O ecossistema do e-commerce necessita de vários processos bem organizados e estabelecidos. Uma etapa sequer influencia em todo rendimento da empresa. Entretanto, os processos são inúmeros e, muitas vezes, acabam emperrando em algum departamento. Por isso, é imprescindível organizá-los para acelerar o fluxo de trabalho dentro do e-commerce através da automação.

Para otimizar o fluxo de trabalho e não gastar a mais, é preciso investir nos pontos corretos. Todas as etapas do e-commerce são fundamentais (tenha isso sempre em mente). A automação de tarefas é um investimento que melhora performance comercial, controle de estoque, fluxo de pagamento, marketing, atendimento, rastreamento de produtos, precificação, integração de processos, entre outros.

As ferramentas de gestão são ótimas alternativas pois elas propiciam uma tomada de decisão mais eficiente, tornam a empresa mais transparente, mostram os custos essenciais para a manutenção da sua loja virtual, apresentam uma visão mais ampla de seu negócio, identificam os custos supérfluos e realizam grande número de tarefas em curto espaço de tempo.

Integração

A integração deve ser sempre considerada em qualquer aquisição para a sua loja, pois ela garante funcionalidade no fluxo de trabalho dentro do e-commerce. Não adianta a ferramenta ser de baixo custo, prática e fácil, se ela não pode ser integrada a sua plataforma. Possuir um hub de integração isenta o trabalho de conectar sua loja virtual a marketplaces, ERPs e outras ferramentas.

O integrador auxilia em todo o processo, desde a entrada até a publicação dos seus produtos (no caso do marketplace), ou na visão micro e macro da sua empresa (no caso do ERP), podendo poupar o lojista de muita dor de cabeça.

Ex. de ferramentas: Integra.do e Wevo (integrador ERP) | Gubee, Anymarket e Plugg.to (integrador marketplace).

Marketing

Entenda o seu mercado, mapeie sua comunicação, conheça seu público-alvo e entenda de onde vem o tráfego do seu e-commerce. Determinando esses passos, será muito mais fácil chegar ao seu público e ter mais eficiência na escolha da comunicação. Unificar essas estratégias em uma ferramenta é economizar tempo e dinheiro dentro do seu negócio.

Para isso, seja assertivo com as ferramentas escolhidas, elas podem ajudar na definição de palavras-chave e no seu ranqueamento. Através do Google Analytics, por exemplo, é possível analisar todo o mercado de pesquisa dessas palavras.

Legenda 1: Visão das palavras-chave das Livrarias Família Cristã no Google Analytics

Além disso, o Google Analytics, mostra a sua colocação comparada com os concorrentes, é muito importante monitorar cada passo do seu e-commerce.

Legenda 2: Google Analytics indica a colocação dos concorrentes das Livrarias Família Cristã

O uso de ferramentas como Keyword Magic, Ubersuggest e Keyword In também pode ser efetivo na escolha desses tópicos dentro da abordagem do conteúdo desenvolvido pelo e-commerce. As ferramentas fornecem dados muito ricos ao marketing digital do seu empreendimento.

As mídias sociais são armas poderosas na imagem do seu e-commerce, no entanto, elas podem demandar, além de muito tempo e dedicação, um trabalho constante e manual. O PostGram e o Etus, por exemplo, são algumas das ferramentas que ajudam a otimizar o tempo investido nesse tipo de atividade, elas permitem agendamento de publicações, respostas de mensagens e interação com os seguidores, tudo a partir de uma única plataforma. Se bem utilizadas, as redes sociais podem promover seu negócio e alavancar suas vendas.

O RD Station também ajuda na multiplicação das forças da equipe. Essa é uma das ferramentas utilizadas para disparo de e-mails marketing para diversas bases. Ela proporciona o monitoramento das taxas de abertura dos e-mails e você pode detectar se o conteúdo que está disponibilizando é realmente eficiente.

É importante acompanhar periodicamente o desempenho do e-commerce e do ranqueamento dos seus produtos, pois, assim, o lojista consegue analisar quais componentes da sua loja são mais fortes e quais precisam ser melhorados.

Ex. de ferramentas: Google Analytics, Google Ads, RD Station, PostGram e Google Data Studio.

Comercial

O processo de venda desse ser simplificado através da interface da loja, tornando-se um e-commerce prático, simples e intuitivo. No entanto, no setor comercial do seu negócio, existem diversos sistemas que limitam o contato com o cliente. Por isso, a automação serve para simplificação de processos como a busca no banco de dados, o disparo de e-mails, o gerenciamento de leads, a organização das vendas, o rastreamento de comunicações e a realização de métricas e relatórios.

Ex. de ferramentas: Pipedrive, Ramper e Moskit.

Suporte

A automação do suporte é um ponto muito delicado que deve ser analisado com muito cuidado, pois o atendimento não pode correr o risco de parecer robótico. Os chatbots, por exemplo, possibilitam a solução de dúvidas de forma simples e o desencadeamento de ações a partir de palavras-chave do cliente. Os tickets também são formas de otimizar o processo para as demandas do suporte, que melhoram não só a organização do departamento, como o andamento da entrega final para o cliente.

Ex. de ferramentas: Jivochat e Freshdesk.

Logística

A automação não é limitada para grandes empresas. Na logística, por exemplo, ela é muito acessível e otimiza todo o ecossistema do negócio. A logística de um e-commerce vira um processo quase inviável sem a ajuda da automação. O fluxo de trabalho pode ser pesado, mas, a partir de estratégias, é possível diminuir os erros. Utilizar até mesmo um software online e planilhas de controle já torna o e-commerce mais eficiente. É imprescindível que qualquer tipo de automação esteja completamente integrada ao seu estoque. Assim, todas as ações necessárias são completadas automaticamente no sistema, incluindo emissão de nota fiscal, controle financeiro e integração contábil.

Um software de gestão pode unificar trabalhos manuais como o fluxo de caixa e o controle de receitas e despesas. Além de diminuir o tempo, ele minimiza também as falhas. Assim, é possível ter uma visão ampla da empresa, através de relatórios semanais, identificação de gargalos e possíveis otimizações.

Ex. de ferramentas: Frenet e Intelipost.

É importante lembrar que, ainda que os processos sejam automatizados, nunca deve-se perder a humanização e comunicação com o público do seu e-commerce. A automação agrega facilidade e muita escalabilidade do seu negócio, mas você deve ter em mente que máquinas não fazem todo o trabalho, e sempre valorizar o profissional que opera essa gestão. Dessa forma, você agrega mais rentabilidade à sua empresa.

Palavras-chave: automação; fluxo de trabalho; e-commerce.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avialá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.