Análise SWOT para e-commerce: como fazer e a sua importância

por Vitor Peçanha Terça-feira, 02 de abril de 2019   Tempo de leitura: 10 minutos

Utilizada há mais de 50 anos na gestão de empresas, a análise SWOT permite identificar os fatores internos e externos que impactam qualquer organização, incluindo as lojas virtuais. Da preparação ao preenchimento da matriz, você vai aprender aqui como fazê-la em seu e-commerce.

Geralmente incluída nos planos de negócio, a análise SWOT é bastante conhecida por quem trabalha com gestão empresarial ou até mesmo pelos estudantes de administração. Basicamente, é uma metodologia para analisar os fatores internos e externos que impactam uma companhia. Mas você já pensou em utilizar a análise SWOT para e-commerce?

Muita gente pode achar que as duas coisas não combinam, já que o método foi pensado originalmente para grandes as corporações e operações offline.

Entretanto, quem disse que a análise SWOT não pode ser aplicada em lojas virtuais? Na verdade, seu uso traz vários benefícios para os negócios online.

Para entender a importância de fazer essa avaliação sobre a sua marca e descobrir como implementá-la na prática, siga conosco e aproveite a leitura!

O que é a análise SWOT?

SWOT é uma sigla para Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) & Threats (Ameaças). Até hoje, não se sabe ao certo quem criou a metodologia, embora a maior parte das fontes dê o crédito ao consultor de gestão Albert Humphrey.

O que se sabe é que, inicialmente, o método foi desenvolvido com base em dados coletados das empresas da Fortune 500, uma classificação das 500 maiores corporações do mundo. Em suma, SWOT divide todos os fatores que afetam um negócio em 4 categorias:

Strengths (Forças): tudo aquilo em que a empresa é boa ou qualquer qualidade que possa ser descrita como um diferencial;

Weaknesses (Fraquezas): aqueles pontos nos quais o negócio atualmente enfrenta dificuldades;

Opportunities (Oportunidades): as oportunidades existentes atualmente no mercado em que a empresa está inserida e que podem ser aproveitadas ou transformadas em recursos e competências;

Threats (Ameaças): forças de mercado, concorrentes ou até mesmo fatores externos, como as leis locais, que possam ameaçar o negócio.

Dos 4 fatores acima, forças e fraquezas são os aspectos internos de uma organização. Já as oportunidades e ameaças são fatores externos.

Além disso, em uma análise SWOT, as forças e oportunidades costumam ser classificadas como benefícios (fatores positivos), enquanto as fraquezas e ameaças são consideradas prejudiciais (fatores negativos).

Com base nas informações acima, é possível produzir a matriz SWOT, um quadrante como este:

Independentemente do segmento ou tamanho de uma empresa, sempre é possível analisar seus fatores de sucesso com base nessas categorias.

Digamos que você tenha um e-commerce de moda feminina, com um amplo mix de produtos a preços acessíveis. Ao mesmo tempo, você tem como concorrente uma loja nacional que atua de maneira semelhante, porém, no contexto offline.

Sua análise SWOT poderia ficar assim:

Strengths (Forças): grande mix de produtos; preços acessíveis; entregas em até 7 dias úteis para as regiões Sudeste e Sul; iniciativa para construir parcerias;

Weaknesses (Fraquezas): pouca variedade de calçados; dificuldades para entregar com agilidade nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste;

Threats (Ameaças): varejistas offline (o cliente pesquisa no e-commerce e busca a mesma peça offline); outras lojas virtuais com foco em moda feminina;

Opportunities (Oportunidades): crescimento do hábito de comprar online; aumento da facilidade para realizar trocas; demanda latente por coleções próprias.

Conseguiu ter uma ideia de como a análise SWOT para e-commerces pode funcionar? Mas, tenha calma, porque ainda vamos nos aprofundar mais. A seguir, vamos compreender por que a SWOT é tão popular e quais são seus benefícios para as lojas virtuais.

Por que a SWOT é tão utilizada e quais são os seus benefícios para um e-commerce?

Já se passaram mais de 50 anos do desenvolvimento da análise SWOT e ela continua sendo uma das ferramentas mais populares para analisar negócios. Em parte, sua popularidade se deve a dois fatores: simplicidade e flexibilidade.

As categorias da SWOT são intuitivas o suficiente para que qualquer dono de negócio possa utilizá-la. Além disso, as divisões são flexíveis: podem ser aplicadas para grandes empresas, startups, ONGs, órgãos governamentais etc.

A verdade é que os benefícios da SWOT são vários, tanto para negócios offline quanto para os e-commerces, seja no curto, seja no longo prazo. Não por acaso, a metodologia permite:

  • entender melhor seu negócio;
  • traçar novos objetivos;
  • avaliar a situação de seus produtos e serviços;
  • conhecer seus concorrentes e consumidores;
  • identificar tendências, oportunidades e novos mercados;
  • ter clareza sobre as estratégias e táticas necessárias para superar as ameaças do mercado;
  • precaver-se de situações indesejadas que possam aparecer;
  • trabalhar pontos de melhoria;
  • potencializar suas qualidades, competências e diferenciais.

Então, ficou convencido de que é uma boa ideia aplicar a análise SWOT? Então, veja a seguir como estruturá-la com foco em um e-commerce.

Parte 1: preparação

A esta altura, você deve estar com vontade de colocar a mão na massa, certo? Antes de preencher a matriz SWOT, vale a pena fazer uma preparação, reunindo informações objetivas e subjetivas.

Reúna informações internas

Aqui, você começará coletando dados objetivos do seu e-commerce, como estatísticas de vendas, tráfego, SEO (posicionamento de artigos no Google, total de backlinks, autoridade de domínio), estratégias digitais, entre outros.

Reúna informações sobre seu site, taxas de conversão, produtos individuais e categorias, além da loja como um todo. Também vale a pena levantar dados sobre:

  • fidelização de clientes;
  • Net Promoter Score (NPS);
  • números das redes sociais;
  • ticket médio;
  • tempo de entrega;
  • lifetime value;
  • e qualquer outra métrica ou indicador-chave de desempenho.

Além das informações objetivas, você pode observar aspectos mais subjetivos. É claro que dados e números são ótimos, mas também é importante avaliar o que os clientes, parceiros e funcionários sentem sobre a sua empresa, marca, loja e produtos. Para isso, faça entrevistas e pesquisas com consumidores, colaboradores e fornecedores.

Um dos objetivos de fazer essa análise subjetiva é identificar seus maiores diferenciais. Ou seja, aquilo que o seu e-commerce faz muito bem e que pode ser potencializado.

Reúna informações externas

Depois de reunir informações internas, é hora de olhar para fora. Tire um tempo para estudar a sua indústria ou segmento, os seus concorrentes e as tendências. Observe os movimentos do mercado, procure entender quais oportunidades eles trazem e entenda quais deles podem prejudicar sua marca.

Prepare a matriz

Com a ajuda de uma planilha, editor de texto ou, simplesmente, papel e caneta, elabore uma tabela com 3 colunas e 3 linhas. Nela, divida os campos em aspectos externos e aspectos internos, pontos positivos e pontos negativos.

Depois disso, organize as palavras Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças) na matriz. Para isso, você pode se basear na imagem já mostrada.

Parte 2: preenchimento da matriz

Chegou a hora de dar vida à sua matriz SWOT. Siga os passos abaixo para elencar os aspectos internos e externos que influenciam a sua loja virtual.

Liste as Strengths (Forças) do seu e-commerce

Aqui, você deve listar os pontos positivos, mas atenção: somente aqueles que estão sob o controle da sua empresa. Quais são os pontos de destaque da sua loja virtual? Alguns exemplos de Strengths (Forças) em uma análise SWOT de e-commerce são:

  • bom mix de produtos;
  • preços competitivos;
  • entregas rápidas;
  • produtos entregues em boas condições;
  • mercadorias de qualidade;
  • condições de pagamento;
  • domínio técnico dos produtos;
  • reconhecimento de marca;
  • atendimento ao cliente acima da média;
  • inovação;
  • presença de tecnologias de gestão.

Liste as Weaknesses (Fraquezas) do seu e-commerce

Agora, é a vez de outro ponto interno: as fraquezas. Aqui, você também listará questões que estão sob controle da empresa, isto é, pontos que a própria equipe tem condições de trabalhar e melhorar. Entre os exemplos estão:

  • pouca variedade de produtos;
  • preços pouco competitivos;
  • dificuldades nas entregas;
  • baixa qualidade das mercadorias;
  • falta de entendimento sobre o mercado;
  • atendimento ao cliente que deixa a desejar;
  • baixo reconhecimento de marca;
  • poucas opções de pagamento;
  • baixa inovação;
  • equipe pouco qualificada ou falta de pessoal.

Liste as Opportunities (Oportunidades) do seu e-commerce

Após listar tudo aquilo que vem de dentro da empresa, você deverá elencar as oportunidades existentes no mercado. Esses são aspectos que não estão no controle da sua loja, mas que podem ser aproveitados.
Aqui, entram aspectos macro (economia, política, meio ambiente, tecnologia, demografia, legislação) e micro (parceiros, fornecedores, consumidores). Veja alguns exemplos:

  • bom número de fornecedores de qualidade;
  • aumento de renda dos consumidores;
  • redução de impostos para as mercadorias ou matérias-primas compradas pelo e-commerce;
  • mudanças positivas na legislação;
  • diminuição de competição;
  • lançamento de novas tecnologias que podem ser aproveitadas pela empresa.

Liste as Threats (Ameaças) do seu e-commerce

Ainda nos aspectos externos, considere novamente os fatores macro e micro do mercado, mas, dessa vez, focando as ameaças. Alguns exemplos de pontos que podem afetar negativamente uma loja virtual são:

  • falta de fornecedores de qualidade;
  • queda na renda dos consumidores;
  • aumento da carga tributária;
  • crescimento da concorrência;
  • crises econômicas no país;
  • pirataria;
  • catástrofes ambientais que afetem o fornecimento de mercadorias;
  • falta de mão de obra;
  • mudanças nos hábitos de consumo.

Depois de concluir a análise de SWOT para e-commerce, você pode utilizá-la para traçar estratégias. Como você viu, esse processo exige pesquisa e reflexão, podendo render ótimos frutos.

Afinal, a metodologia permite identificar novos caminhos para expandir sua atuação. Agora, é hora de utilizar suas forças para aproveitar as oportunidades, minimizando os pontos fracos e se blindando contra as ameaças.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER