Como ter alta performance em vendas em marketplaces

por Sidney Zynger Quarta-feira, 25 de março de 2020   Tempo de leitura: 7 minutos

Quem pretende trabalhar com vendas em marketplaces, muitas vezes, pensa que existe uma fórmula mágica para escalonar vendas ou segredos especiais para vender de forma mais rápida. Mas, na verdade, o grande segredo está na tríade da permanência na plataforma, do trabalho sério e da boa entrega.

O primeiro passo é fazer a parte inicial de entrada no marketplace de forma profissional, mostrando todo o seu conteúdo e diferencial desde a apresentação da marca até a gestão de pedidos de forma consistente e facilitada para o consumidor.

Para começar bem, é fundamental o seller entender qual é o papel do marketplace e como este espaço se encaixa dentro da estratégia de negócio macro da empresa. Existem diversos perfis diferentes de lojistas: aquele que empreendeu online, o que tem loja física e migrou para o meio virtual e também o que permanece nos dois formatos.

O marketplace acaba sendo um caminho natural para o lojista virtual ter mais locais de venda online. Cada marketplace funciona como se fosse uma nova unidade do negócio, que exige atenção e estratégias específicas. Por exemplo, não se pode querer compensar a falta de vendas na loja física no marketplace, são negócios distintos.

No e-commerce, a dinâmica de venda, de estoque e pessoas é diferente em cada modalidade, mas é fundamental ter uma integração entre elas através de um sistema de gestão, a fim de ter processos integrados.

Novos mercados, novas conquistas

Ter visão de negócio, desde o ponto de partida, é importante para ajustar as expectativas do lojista e o fazer entender o que ele pode esperar daquele canal de vendas.

Isso é básico, mas muitos lojistas não atentam e acabam se frustrando por trabalharem, muitas vezes, com canais de venda não adequados para o seu negócio. Ou seja, é fundamental ver se o marketplace tem a ver com o produto, não vale estar em um grande marketplaces sem ter conversão na sua área.

Existem marketplaces generalistas e outros nichados, e vale fazer um estudo de quais espaços o seu negócio quer adentrar.  Mas neste ponto você pode estar se perguntando se todas as lojas virtuais devem estar em marketplaces? É um mundo muito grande e, mesmo atualmente, estar ativo em marketplaces ser um ponto positivo, cada negócio é um negócio e precisa de estudo de caso.

Estar presente em marketplace é um formato importante para atingir novos mercados, expandindo seu campo de atuação. De forma geral, o marketplace é um meio prático de venda, pois o processo estrutural já está pronto, o lojista só precisa continuar vendendo o produto, pensando em estratégias de venda e focado em vender mais e melhor.

Para tudo se encaixar com facilidade, utilizar um sistema de gestão integrado é muito importante quando se fala em vendas em múltiplos canais. Muitas lojas acabam não levando em conta, mas é uma dinâmica que precisa estar em dia com a demanda gerada e para atender o cliente da forma mais eficiente.

É sobre economizar tempo

A tecnologia está disponível para auxiliar o lojista a otimizar tempo. Depois que o lojista já está no marketplace, ele precisa ser competitivo para ter bom desempenho em vendas. A vitrine eletrônica precisa estar bem feita: o anúncio, as informações do produto e o posicionamento no catálogo são fatores cruciais.

  • Confira algumas dicas:
    O consumidor de e-commerce não toca o produto, então precisa ter todos os detalhes do produto, fotos de vários ângulos e muita informação extra.
  • Título e descrição são fundamentais para que o consumidor busque na pesquisa e encontre o seu anúncio.
  • Informações na descrição, com ficha técnica, de forma clara e objetiva irão diferenciar o seu anúncios dos demais.

O desafio é grande, mas pequenos detalhes aumentam a visibilidade do produto no marketplace. Palavras-chave são importantes e lembre-se que as pessoas começam a intenção de compra delas pelo Google.

Descrição comercial

Cada marketplace tem algumas regras. Informe-se como funciona o canal antes de descrever seu anúncio, mas alguns itens são comuns:

  • Segurança: ter informação de garantia (gera confiança)
  • Escassez: utilizar termos como “últimas unidades”e “edição limitada”
  • Apresentar os diferenciais do produto de forma clara e objetiva;
  • Bom atendimento e atenção para que o cliente volte a comprar em outra oportunidade. Aqui vale até quem sabe deixar um desconto para a próxima compra, afim de ter recorrência na venda para o mesmo cliente.

Resumidamente, os canais de venda fortalecem as estruturas que já existem da loja virtual, do perfil do vendedor e amplia a força da reputação do seller. Para 2020, com o crescimento do e-commerce nos últimos anos, a expectativa é de o mercado continuar crescendo.

O marketplace se estrutura como um instrumento importante e necessário para vender: para aumentar as vendas, para liberar o estoque e conquistar novos mercados. Aproveitar o potencial dessas ferramentas faz a diferença.

Leia também: Nos EUA, vendedores do marketplace da Amazon lutam para manter estoque de produtos


Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.