Acesso rápido

Algoritmos de varejo: como eles estão mudando as lojas de comércio eletrônico

por Burc Tanir Sexta-feira, 29 de novembro de 2019   Tempo de leitura: 12 minutos

Antes de existir o mundo do comércio eletrônico, os varejistas tinham de confiar nos métodos tradicionais de obtenção de informações sobre os clientes. Da mesma maneira, os clientes tinham de navegar manualmente em suas pesquisas para achar o melhor negócio. Agora, as coisas mudaram.

Com o rápido avanço da tecnologia, tanto os varejistas quanto os consumidores têm as informações disponíveis para fazer escolhas mais bem informadas. Sabemos com certeza de que o monitoramento de preços está crescendo nesse campo, enquanto outras estratégias estão declinando.

Esse conhecimento abre um novo caminho para o varejo digital e é mais proeminente no uso de grandes dados e de algoritmos. Na presenta postagem, vamos analisar dois aspectos: a forma como os varejistas usam algoritmos para oferecer experiências de compra online personalizada a seus clientes e a forma como os clientes usam algoritmos para apoiar a forma como descobrem e adquirem artigos. Vamos lá!

Uso de grande dados

O uso de grandes dados não é próprio dos gurus da tecnologia. Os grandes dados também podem ser usados no domínio do comércio digital. Os grandes dados podem ser agora aplicados em todo o processo de varejo — tanto para o cliente quanto para o varejista.

Os varejistas usam software sofisticado de coleta de grandes quantidades de dados. Eles usam esses dados para determinar quais produtos têm maior probabilidade de se tornar populares, ver onde há uma demanda por produtos futuros e otimizar a tarifação de maneira ao varejista ter uma vantagem competitiva.

Na perspetiva do consumidor, os compradores usam seu próprio conjunto de ferramentas para coletar e organizar uma grande quantidade de dados, informando mais sobre a classificação dos produtos que esperam comprar, bem como sobre o preço adequado que devem pagar pelos produtos.

Isso é eficaz para a maioria dos compradores, pois, nos últimos tempos, houve uma necessidade crescente de os consumidores realizarem várias comparações, em vez de tomar decisões de julgamento absoluto sobre um determinado produto.

Se você não está familiarizada com esse conceito, recorde a última compra que você efetuou.

Digamos, por exemplo, que você duas garrafas de uísque à venda: uma por $ 150 e outra por $ 50. Provavelmente irá optar pela garrafa de $ 50. Mas vamos supor que você encontra outras duas, desta vez uma custa $ 150 e outra $ 1999. Nesse caso, a garrafa de $ 150 já não parece estar fora dos limites.

Os clientes tomam decisões de compra há muito tempo. O aumento da IA, da análise preditiva e de grandes dados facilita todo o processo.

Leia também: Organizações exponenciais: o que podemos aplicar no e-commerce?

Comentários

Você já está familiarizado com o conceito dos comentários. Mesmo antes do aumento exponencial das lojas de comércio digital, as pessoas falavam abertamente e com prazer sobre os produtos que gostavam (e desgostavam).

Um conceito mais recente, contudo, é a forma como os gigantes do varejo, como a Amazon, usa os comentários para adaptar os produtos a futuros clientes.

Quando você realiza uma qualquer pesquisa na Amazon, os primeiros resultados são geralmente aqueles com o maior número de comentários.

Se analisarmos a última página dos resultados de pesquisa (para onde ninguém olha), os artigos desta página terão menos comentários (se tiverem algum).

Provavelmente, no futuro do varejo veremos websites de comentários, como o TripAdvisor para viagens, analisando de maneira imparcial um conjunto de comentários de várias fontes.

Talvez você não tenha comentários diretamente em seu perfil da Amazon, mas talvez tenha tido vários influenciadores falando sobre o seu produto. Também deve levar em conta os comentários dessas pessoas.

Os grandes dados poderão criar um algoritmo que atenda à consulta de pesquisa de um cliente e lhe mostrar vários comentários (de diferentes fontes) de toda a Web e além. No entanto, isso não está isento de limitações.

Quando pensamos em reservar um voo, existe um conjunto de ferramentas que comparam diferentes opções. É relativamente fácil fazer isso para companhias aéreas, devido à natureza padronizada dos voos.

  • Você escolhe a hora em que deseja viajar
  • Você escolhe o destino do voo
  • Você escolhe a origem do voo
  • Você escolhe o preço que está disposto a pagar
  • Você escolhe os serviços adicionais que deseja

Isso é mais difícil no varejo devido à natureza diversa das especificações. Não há uma maneira certa de apresentar ou descrever seu produto e, desse jeito, o algoritmo precisa desenvolver um entendimento de quais produtos são iguais ou semelhantes, mesmo quando descritos de maneiras diferentes e não padronizadas.

Isso não quer dizer que essa mudança não ocorra no varejo. Algumas indústrias são mais propensas que outras — tecnologia, por exemplo. É muito mais fácil comparar dois tipos de laptop ou auriculares diferentes do que dois tipos de camisa diferentes.

Previsão da demanda

Se você quiser marcar posição na dianteira, você terá de saber onde está a dianteira. Claro, você pode adivinhar o que seus clientes podem querer a seguir.

Você pode ter mesmo falado com eles para descobrir quais produtos faltam em sua linha de produtos. Mas uma das maneiras mais eficazes de ter um entendimento sólido não apenas do que seus clientes desejam no futuro, porém, da quantidade que eles desejam, é usar um software que os ajude a prever tendências.

Os algoritmos analisam dados do passado e conversas na Web para descobrir quais serão os artigos essenciais deste ano, do próximo ano e dos anos seguintes.

Você mesmo pode realizar essa pesquisa usando simplesmente a ferramenta Google Trend.

Você irá notar que, ao longos dos passados cinco anos, se verificou um aumento significativo no número de pessoas falando da bebida saudável: Kombucha. Se você está no setor dos alimentos e bebidas, é essencial saber quais artigos as pessoas desejam conhecer.

Juntamente com a pesquisa de tendências, os varejistas também usam análises de sentimentos que usam algoritmos inteligentes para entender melhor o contexto de quando um produto é debatido.

É muito bom saber que a bebida Kombucha ficou mais popular ao longo dos anos, mas e se isso acontecer porque houve uma epidemia em que as pessoas morreram por causa desse produto?

O que isso nos diz é que essas tecnologias não podem ser usadas sozinhas.

Você terá de combinar um conjunto de softwares e ferramentas inteligentes diferentes para escolher a melhor solução possível para prever o que os clientes podem desejar a seguir.

Depois de saber o que os clientes vão comprar, o trabalho não acaba aqui. Você terá de entender a quem eles vão comprar o produto.

Você terá de coletar um número grande de dados demográficos e econômicos que ajudam você a obter uma ideia mais clara de como as pessoas gastam seu dinheiro em sua indústria.

Otimização de preços

Se você usar o Google para efetuar a compra, irá notar que são apresentadas várias opções diferentes em diferentes pontos de preço. O mesmo se aplica ao mercado, à Amazon.

Isso é útil para os consumidores, pois você vê uma variedade de produtos diferentes com diferentes gamas de preço.
O Google irá então direcionar o comprador para a melhor loja relativamente à sua consulta.

O que você precisa lembrar é que os compradores estão sempre buscando a melhor ferramenta. E, à medida que as ferramentas se tornam disponíveis para os ajudar a encontrar o melhor preço com o melhor varejista, você precisa ser mais inteligente a atribuir preços a seus produtos.

Se você definir seus preços uma vez e nunca mais olhar para eles, corre o risco de a concorrência alterar os preços e ficar com uma porção maior do bolo.

Usando software de tarifação, poderá ser mais fácil identificar ,não só o seu próprio histórico como os pontos de preço atuais e os da concorrência.

Você pode usar esse software para ajudar você a navegar pelo mundo complexo da tarifação e encontrar a melhor solução.

Esse tipo de software analisa os pontos de preço de produtos específicos em um conjunto de diferentes concorrentes e alerta você quando o preço aumentar ou diminuir.

Conclusões sobre algoritmos de varejo

O uso de algoritmos sofisticados muda a forma como vivemos nossas vidas, especialmente no mundo do comércio eletrônico.

A boa notícia é que eles ficarão mais inteligentes e, como resultado, os varejistas e os clientes terão acesso a dados que os ajudarão a tomar decisões mais informadas.

Com os algoritmos disponíveis, você recorrer primeiro a uma estratégia de dados para entender melhor seus clientes e corresponder essa estratégia aos produtos que eles realmente desejam adquirir.

Se você ainda não está implementando ferramentas ou software em sua empresa para se adequar a essas tendências tecnológicas, então acabará por ficar para trás.

Se coloque na melhor posição possível e use grandes dados, algoritmos e análises preditivas para obter vantagem.

Leia também: Aplicando machine learning em precificação dinâmica e predição de demanda


Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica? Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.