Acesso rápido

Ações para engajar clientes no marketplace durante o Dia dos Pais

por Lucas Melman Sexta-feira, 15 de julho de 2016

Moda e acessórios foi a categoria líder de volume de vendas no e-commerce brasileiro em 2015, agrupando 14% do total de pedidos feitos online. Os dados são da pesquisa Ebit/ Buscapé, de 2015. A mesma pesquisa também apontou como o consumidor masculino está interessado na compra pela web, representando 50% das vendas do e-commerce. É um número relevante se pensarmos que se trata de um público cujo imaginário popular tende a associar a uma rejeição ao consumo, compras e shoppings centers. Ou seja, algo muito longe da realidade digital.

Nos EUA, o e-commerce confirma a tendência, sendo que se identificou um crescimento de 17,4% das compras feitas especialmente nos segmentos de Moda masculina entre os anos de 2010 e 2015, conforme dados da IBISWorld. Este foi, afinal, o segmento que mais cresceu por lá, superando todos os demais, inclusive o alimentício.

De fato, ter noção dessas tendências para o segmento de Moda, acessórios e inclusive cosméticos masculinos é um passo estratégico para quem pretende se destacar nas vendas pelo e-commerce durante o Dia dos Pais.

É por isso que neste texto destacaremos estratégias para quem pretende alavancar vendas no Dia dos Pais principalmente nos seguintes setores:

– Moda masculina
– Acessórios
– Cosméticos

Vale destacar aqui que além destas categorias, as vendas para o Dia dos Pais também são bastante significativas nos segmentos de bebidas e eletrônicos. E, no fim, com uma boa estratégia aliada ao marketplace, lojistas de diferentes ramos poderão encontrar seu lugar ao sol.

Perfil do consumidor de moda masculina e suas preferências de compra: o que isso indica em tendência para o Dia dos Pais?
Quando compram para si mesmos, segundo pesquisa do Sebrae, de 2015, os homens preferem o estilo básico. Eles compram em média uma nova peça de roupa a cada três meses, o que indica uma periodicidade de compra destes produtos. Homens buscam produtos com bom custo-benefício, sendo que a qualidade conta muito.

O público masculino tende a ser fiel às marcas de sua confiança, se aventurando pouco a explorar “novidades”. Busca itens funcionais, que tenham identidade e artigos com tecnologia que remetam a algum tipo de conexão e “status”.

Design, acabamento, qualidade do tecido, combinados ao despojado “dressing up” (estilo esportivo, informal) também contam pontos para o público. Mas, acessórios como relógios, piercings e prendedores de gravata também têm muita saída.

No formal impera o estilo clássico, com corte e tecidos modernos;
No casual o jeans se sobressai, junto às camisetas, blazers e bermudas;

Mas, lembre-se: quem compra o presente do pai é a mulher
Claro, é importante entender como o homem compra para saber quais produtos funcionam melhor na hora de presenteá-lo, mas o seller deve ter em mente que durante a data quem comprará o presente para o pai é outra pessoa, geralmente a mulher (esposa ou filha(o)).

Aliás, no guarda-roupas masculino ainda há mesmo um número relevante de peças de roupas que foram ganhadas de mulheres próximas a eles, conforme indicou a pesquisa do Sebrae de 2015.

Sendo assim, durante a data, lojistas devem estabelecer uma comunicação com elas e apontar os produtos corretos que poderão agradar o presentado segundo seus hábitos de compra.

Como engajar vendas no marketplace?
Aqui vale juntar os dois pontos: os presentes que melhor funcionam para o público masculino com uma percepção de dialogar com o público que irá comprar o presente, ou seja, com a mulher.

O marketplace pode ser uma bela estratégia de expor seus produtos, visto que apenas na B2W (que detém as lojas Americanas.com, Submarino e Shoptime) os números chegam a 450 milhões de page views por mês e 21 milhões de visitantes únicos.

Com esse número, é essencial os lojistas aproveitarem a oportunidade de ganhar esse mercado nos marketplaces e contar com as vantagens que alguns deles oferecem como banners em destaque na home do site, destaque na buy box e envio de e-mail marketing.

Para isso, os sellers – lojistas do e-commerce – devem manter, entre outros critérios, uma boa reputação em sites de avaliação de empresas como o Reclame Aqui, ter preços competitivos e estoque dos produtos mais vendidos.

Daí, claro, apostar na venda de produtos estratégicos como os das categorias que citamos ao longo do texto, e aproveitar todo o potencial de vendas dessa data que movimentou R$1,51 bi no ano passado e um ticket médio de R$424 – melhor até que o do dia das mães naquele ano (R$401).

E aí? Já sabe como alavancar seus resultados em vendas nesse período?

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.