A importância da diferença entre frete CIF e frete FOB no e-commerce

por Livia Antunes Terça-feira, 26 de janeiro de 2021   Tempo de leitura: 7 minutos

Embora, em um primeiro momento, a diferença entre frete CIF e frete FOB pareça algo importante apenas para e-commerces de grande porte ou empresas de importação, negócios menores também podem se beneficiar ao saber a melhor escolha em diferentes situações.

Para contornar os desafios do transporte de encomendas no e-commerce, é imprescindível que todos os envolvidos na cadeia do comércio eletrônico conheçam os principais conceitos de gestão logística.

As variantes que entram no cálculo do frete, como taxas e impostos extras, modalidades de transporte e tipos de entrega estão entre as lições básicas, essenciais desde os primeiros passos no e-commerce.

Contudo, quando há uma expectativa de escalabilidade, é necessário conhecer alguns conceitos mais específicos. Afinal, para ir mais longe é preciso ir além desse básico.

As diferenças entre frete CIF e frete FOB e suas principais aplicações fazem parte deste segundo conjunto.

Os termos — que surgiram na década de 30 como parte das Intercoms (International Commercial Terms, ou Termos Internacionais de Comércio) — indicam qual parte assume a responsabilidade sobre os transportes da mercadoria: vendedor ou consumidor.

Frete CIF: a entrega é de responsabilidade do vendedor

CIF quer dizer Cost, Insurance and Freight — Custo, Seguro e Frete. No frete CIF, o vendedor assume os trâmites de entrega da mercadoria, e pode ou não passar os gastos para o cliente.

Com o frete CIF, a empresa fornecedora fica responsável por todas as etapas da entrega. Isso inclui separação e empacotamento do produto, contratação e acerto financeiro com as transportadoras e até mesmo o acompanhamento da encomenda e tratativas com a empresa responsável pelo transporte, garantindo que a mercadoria chegue até o consumidor final em perfeitas condições.

Quando o frete CIF é utilizado?

Esse é o tipo de frete mais comum no e-commerce varejista, nas demais relações B2C — Business to Consumer, ou “da empresa para o consumidor final” — e em empresas com alto volume de remessas para diferentes destinatários.

Para o cliente, fica a vantagem de não se preocupar com os trâmites relativos ao transporte e entrega do produto. Essa praticidade, tão valorizada pelos consumidores do varejo online, compensa o custo final mais alto do produto, mesmo quando o valor do frete é cobrado pelo vendedor.

Cuidados do fornecedor com o frete CIF

Como é responsável por garantir a entrega eficiente das mercadorias, o vendedor precisa ter alguns cuidados no uso do frete CIF.

O primeiro é a contratação da transportadora, incluindo a negociação de valores que mantenham o lucro e a competitividade do negócio.

Em seguida, é preciso lembrar que o custo do frete CIF deve ser considerado na nota fiscal da mercadoria vendida. O fornecedor pode incluir o custo do frete separadamente, em campo específico da nota fiscal com detalhamento do tipo de frete utilizado.

Finalmente, cabe ao vendedor acompanhar a movimentação da entrega e cuidar de possíveis tratativas com a transportadora contratada, garantindo que o produto chegue ao consumidor de acordo com as condições e prazos negociados.

Controle do cliente no frete FOB

FOB é a sigla para Free on Board, ou Livre a Bordo em tradução livre para o português. Ou seja, no frete FOB a responsabilidade pelo transporte e entrega da mercadoria é do comprador.

Nesse caso, o fornecedor precisa apenas preparar a documentação de venda e os produtos para envio. Uma vez que a mercadoria deixa o armazém ou estoque, sua função está cumprida.

Já a negociação com as transportadoras, contratação de serviço e seguro, o acompanhamento e uma possível resolução de demais tratativas que possam surgir no processo de entrega ficam a cargo do destinatário das encomendas, ou seja, o comprador.

Quando o frete FOB é utilizado?

O frete FOB é mais aplicado em transações B2B — Business to Business, ou “de empresa para empresa” —, principalmente quando a carga tem alto valor agregado ou quando o comprador quer ter mais controle sobre o transporte.

Afinal, muitos negócios já têm contratos firmados com transportadoras, o que pode deixar esse frete mais barato.

Empresas que compram produtos de diferentes fornecedores também tendem a preferir o frete FOB, já que dessa forma podem escolher uma única transportadora para cuidar de todas as entregas.

Então o frete FOB não deve ser usado no e-commerce?

Depende da natureza da transação. Nas vendas do comércio eletrônico varejista, o frete CIF é padrão. Afinal, os consumidores buscam a conveniência de fechar a compra e apenas esperar pela entrega dos artigos, sem se preocupar ou ter que resolver problemas com as transportadoras. É imprescindível que os lojistas virtuais garantam essa praticidade e conforto.

Contudo, o frete FOB pode surgir como opção na negociação, por exemplo, de grandes remessas de produtos para um único cliente, principalmente se o comprador for uma outra empresa.

Nessas situações, é válido informar qual o frete utilizado pelo seu comércio, mas deixar que o cliente decida se prefere trabalhar com outra transportadora que já conheça ou tenha acordos. Apenas lembre-se de deixar claro que, nesse caso, a responsabilidade sobre as condições de entrega são do consumidor.

Outra situação em que o frete FOB pode se tornar vantajoso no e-commerce é na compra de matérias-primas de produtos manufaturados, caso os pedidos sejam feitos em grandes quantidades e os contratos firmados com transportadoras representem uma redução dos custos de aquisição.

Mas, aqui, o e-commerce vai estar na posição do consumidor, ou seja, assumindo toda responsabilidade de contratação, pagamento e acompanhamento do transporte.

Ao contrário do que muita gente lembra, a gestão de um e-commerce pode envolver bem mais do que a venda de artigos pela internet. Em alguns momentos, a loja virtual pode se ver no lugar de consumidor, como na compra de insumos, ou mesmo como fornecedor para negócios maiores, principalmente depois de passar por um processo de escalabilidade.

O conhecimento sobre as diferenças entre frete CIF e frete FOB garante que o empreendedor saiba identificar a melhor alternativa em diferentes momentos, garantindo sempre uma boa negociação.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.