A evolução dos meios de pagamento na China

por Vinícius Alves Marques Quarta-feira, 12 de maio de 2021   Tempo de leitura: 10 minutos

Os meios de pagamento na China evoluíram bastante nos últimos anos. Com o crescimento econômico e o aumento no uso da internet, o país se tornou pioneiro em muitos aspectos neste tema. E você sabe quais são os mais indicados meios de pagamentos na China para quem importa produtos do país?

De fato, há dificuldades em efetuar pagamentos do Brasil para os fornecedores na China, mas há também formas seguras de efetuá-los. Por isso, apontamos neste texto um breve histórico dos pagamentos na China, a diferença entre os pagamentos digitais e tradicionais, e finalizamos com o bônus do pagamento na hora de importar. Acompanhe!

1 – A evolução dos meios de pagamento na China

Há uma década, o cenário bancário na China era caótico. Burocracia, filas e ineficiência eram rotina. Até que o país, com o aumento no uso de internet e no PIB per capita, cresceu a ponto de obrigar os chineses a encontrarem novas soluções de pagamentos na China.

Junto com a internet, veio a oferta de smartphones a preços competitivos. Isso significou pensar em modelos que atendiam ao ambiente digital. E como veio, de fato, a virtualização do dinheiro na China?

Principalmente devido a duas empresas: Alibaba, a varejista online dona do serviço de pagamentos Alipay, e a Tencent, dona do aplicativo WeChat e do WeChat Pay.

Alipay e WeChat Pay

O Alibaba ganhou ainda mais projeção em 2009 ao lançar seu aplicativo de celular para fazer pagamentos no varejo tradicional. Já a Tencent lançou o WeChat Pay em 2013 para ser uma carteira virtual dentro do WeChat. Você sabia que o WeChat é o aplicativo nº 1 na China, com mais de 1 bilhão de usuários ativos mensais globalmente?

Com essa perspectiva, já é possível entender porque as duas empresas revolucionaram os meios de pagamento na China. Os usuários passaram a ter acesso simples a produtos financeiros. E, claro, com mais retorno do que os grandes bancos oferecem. Um simples autônomo pode aceitar pagamentos digitais sem grandes custos.

Kevin Shimota, que já foi gerente global do WeChat, disse durante o The Future of E-Commerce: Payments, que o crescimento dos meios digitais de pagamentos na China “mostrou que existe um vácuo com relação ao resto do mundo, pois esse tipo de tecnologia ajudou a economia deles e impulsionou negócios e o e-commerce”.

2 – Pagamentos digitais ou tradicionais: qual a melhor opção?

Responder à questão sobre qual a melhor opção de pagamentos na China ou em qualquer outro país é complicado. Porque há vantagens e desvantagens em cada modalidade.

Benefícios do pagamento digital:

  • Tendem a ter custos menores;
  • Muito práticos e rápidos.

Você sabia, por exemplo, que existe pagamento digital com a câmera do celular, a partir da leitura de QR Codes? Tanto o Alipay quanto o WeChat Pay possuem essa modalidade. Mas não é só na China que isso acontece. No Brasil, também temos aplicativos de pagamentos digitais com essa possibilidade.

Na China, inclusive, os pagamentos digitais também estão sendo utilizados para melhorar o acesso à saúde ao reduzir o tempo de espera nas clínicas, no projeto “finanças verdes” do governo chinês.

Por outro lado, existem pessoas que têm dificuldades em lidar com as inovações constantes advindas da transformação digital. Falta de conhecimento e insegurança são os principais motivos. Para elas, é melhor usar meios de pagamento tradicionais, como transferências bancárias e pagamentos com cartão.

Pontos positivos dos pagamentos tradicionais:

  • Mais amigáveis e mais conhecidos pelo público geral;
  • Adotados no mercado há muitos anos.

A escolha mais certa para um empresário

Perceba que há vantagens e desvantagens, e que a melhor opção é sempre aquela mais adequada ao seu perfil de consumidor ou de empresário. Ambos os métodos de pagamento são seguros, isso é certo. Então, você, enquanto empresa, pode oferecer ambos.

Se você for um varejista, recomendamos fortemente conhecer mais sobre os pagamentos digitais devido à possibilidade de pagar menos taxas. As projeções do Banco Mundial apontam que empresas e governos poderão reduzir em até 75% suas despesas com os pagamentos digitais.

Além disso, o comportamento do consumidor está mudando bastante. Vemos cada vez menos pessoas saindo com dinheiro ou cartão em mãos, até mesmo por segurança. Mas elas sempre estão com o smartphone. Se você não quer perder vendas, pense nisso.

3 – O Yuan Digital (a moeda digital do governo)

Além de inventar o papel-moeda há mais de 1000 anos, a China é a primeira grande nação a começar a descartá-lo. O país quase não usa dinheiro vivo nos principais centros urbanos, e os meios de pagamentos na China são majoritariamente digitais.

Com esse movimento para o ambiente digital, o próprio governo chinês entendeu que ter uma moeda corrente digital era natural. Foi então que criaram o e-yuan ou o Yuan Digital. Em análise desde 2014, a e-yuan foi lançada às vésperas das celebrações do ano-novo lunar, em fevereiro de 2021. O Banco Popular da China sorteou pacotes de 200 e-yuans (cerca de 170 reais) a dezenas de milhares de pessoas.

Diferente de uma criptomoeda, que independe do Estado e cuja flutuação ocorre devido à demanda descentralizada, o Yuan Digital é como uma cédula impressa pelo banco central: possui lastro na economia e flutua em compasso com ela. Ou seja, para cada e-yuan emitido, um yuan físico será cancelado.

A criação de moedas digitais governamentais é uma tendência, pois a ideia é substituir internamente o papel moeda.

Bônus: Quais as formas de pagamento na hora de fazer negócios na China

Falamos sobre pagamentos na China, mas e o pagamento importação? Você quer fazer negócios com o país asiático, mas não sabe quais os meios de pagamento na China? Basicamente, existem duas formas para pagar seus produtos importados diretamente para a conta bancária do seu fornecedor: corretoras de câmbio ou agências bancárias.

Nos dois casos, o pagamento de importação deve ser feito para a empresa da qual você está comprando ou para a empresa que enviará os produtos. E eles acontecem em dois momentos: quando fecha o preço com o fornecedor (pagamento inicial de 30%) e quando seus produtos ficam prontos (70% antes do embarque).

Em outras palavras, você faz o pagamento integral da importação para acessar seu Bill of Land e retirar a mercadoria no Brasil com essa documentação.

No pagamento por meio de agências bancárias, você precisa conversar com seu gerente para que ele autorize a transferência internacional. Você precisa ter a proforma invoice (fatura comercial) em mãos para enviar ao banco. Nela, contém a conta bancária do seu fornecedor.

Uma tendência global

Esse pagamento por meio da conta bancária da sua empresa é uma transferência chamada Transfer Telegraphic. É semelhante a um TED ou DOC, mas um pouco mais elaborado. O valor em reais é debitado na sua conta. O banco envia o valor na moeda negociada para o banco do fornecedor em até 48h. Em alguns bancos, a transferência é feita online, mas há bancos em que é preciso ligar para a mesa de câmbio (gerente).

Com base no câmbio oficial do dia, é gerado o contrato de câmbio e o Swift de pagamento (comprovante que o dinheiro chegou no banco na China. Já o pagamento por meio de corretoras de câmbio costuma ser mais rápido, mas você precisará negociar a taxa. Procure uma corretora oficial, cadastrada no Banco Central.

A evolução dos meios de pagamento na China se deu com o aumento do uso na internet. Os smartphones ocupam o bolso dos consumidores e são utilizados para pagamentos digitais. É uma tendência global.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER