Projeto mantido por:

7 tecnologias que já estão mudando o varejo

por Fabio Avellar Quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019   Tempo de leitura: 7 minutos

Omnichannel, RFID, big data, QR Code, inteligência artificial… Quantas vezes o varejo já se deparou com tendências e tecnologias para facilitar as vendas, melhorar a experiência do consumidor ou ainda trazer mais eficiência de dados para o negócio? Quem acredita que tudo isso pode estar distante da realidade do varejo nacional, se engana.

A loja pode configurar o espelho interativo para que o pagamento da compra seja feito por QR Code

Não é preciso viajar para os EUA e acompanhar a CES (Consumer Electronics Show), maior feira de tecnologia do setor, para entender que o varejo brasileiro já vive experiências muito favoráveis. Em 2019, este evento, por exemplo, só reforçou que os próximos capítulos serão ainda mais favoráveis a inteligência artificial e a necessidade de investir em experiências de compra mais motivadoras, para que o ciclo de vendas seja um caminho ainda mais simples.

Em 2018, trouxemos para o Brasil o primeiro espelho interativo do país com as principais tecnologias que o mundo viu durante a CES. Totalmente customizável, a tecnologia pode ser adaptada da pequena loja as grandes redes do varejo e, proporcionar, a influência direta no aumento da conversão de vendas, na melhoria da gestão de custos relacionados aos processos de vendas e na maior satisfação do cliente.

Eu separei sete vantagens competitivas que esta tecnologia traz para o varejo nacional e demonstro abaixo:

1. Integração da loja física com o on-line

O omnichannel integra os canais de vendas on-line e a loja física, gerando informações direcionadas ao cliente e check-out diretamente no espelho. Todas as informações coletadas de sensores, perfis de usuários, seleção de peças, entre outras, servem como base para a criação de um dashboard com informações relevantes para o negócio. Outro exemplo para aplicar esta tecnologia pode ser incorporada no controle logístico através de sistemas RFID.

2. Gestão eficiente

O varejo pode trabalhar com gestão eficiente, ferramentas para controle em sua logística, gestão estratégica utilizando informações de big data, engajamento com a equipe e trabalhar a proposição de valor da marca. O aumento do big data deu aos varejistas mais poder do que nunca para adequar a experiência do cliente — eles gostam de ver produtos e ofertas pessoalmente relevantes para eles e gostam de ter sua experiência de compra acelerada. São ações que permitem reduzir os custos da operação e, consequentemente, reduzir os preços ao consumidor.

3. Melhoria na experiência do consumidor

O varejo que opera com produtos de alto valor agregado pode buscar diferenciação tornando a jornada de compra uma experiência encantadora ao consumidor. Agregar pontos de acesso a e-commerce em lojas físicas, permitir logística cruzada com retirada de produtos comprados online diretamente nas lojas, utilizar tecnologias com realidade aumentada, fidelização e personalização no atendimento são exemplos. Tudo isso possibilita demonstrar a proposição da marca e aumentar as vendas.

4. Diminua a fila do pagamento

Diferentes alternativas de finalizar uma compra são vantagens claras para o varejista. A loja pode configurar o espelho interativo para que o pagamento da compra também possa ser feito pelo espelho, através de um smartphone utilizando o QR Code, diminuindo filas e tempo de espera no estabelecimento.

5. Aumente as vendas com inteligência artificial

A inteligência artificial (IA) desempenhará um papel cada vez maior no mundo do varejo, desde a fabricação e distribuição até a entrega. Incorporando a tecnologia na sua loja haverá melhora da experiência do usuário na hora da compra na loja física e aumentará a conversão de vendas com diferentes alternativas.

6. Análise de dados

Machine learning utiliza a inteligência artificial para analisar dados e automatizá-los, de modo que padrões e comportamentos humanos gerem modelos analíticos que muito podem ajudar na gestão de informação do seu varejo. O que o machine learning faz é criar um modelo para resolver essas questões com base nos dados capturados do dia-a-dia. Desta forma, podemos definir o sortimento de uma loja específica já prevendo o que seus clientes têm mais chance de buscar em cada data específica.

7. Compare com a concorrência

Melhore suas práticas com o benchmarketing, ele entregará comparações de desempenho entre lojas ou concorrência em função de indicadores.

As razões citadas são preciosas para quem quer saber exatamente o que acontece dentro da loja. Hoje, um espelho interativo entrega muito mais para um lojista, que pode ter dados relevantes para o seu negócio, como número de interações diárias, interesse por peças e por faixa etária, número de novos clientes, distribuição de atividades por hora e por dia, quais peças estão sendo compradas ou não, entre outros indicadores.

Para implementar estratégias tecnológicas é importante ao varejo trabalhar o conceito de inovação dentro da sua estrutura, de forma que cada processo operacional ou estratégico esteja alinhado aos produtos e serviços oferecidos, ou seja, a cultura da empresa deve considerar a inovação não somente com um produto tecnológico, mas também como melhoria de eficácia nos processos internos.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER