Acesso rápido

7 principais erros de um e-commerce

por Vinicius Amoroso Sexta-feira, 19 de setembro de 2014   Tempo de leitura: 8 minutos

O crescimento do e-commerce no brasil avança de forma acelerada, o consumidor brasileiro está comprando cada vez mais pela internet, assim como todos os dias surgem novas lojas virtuais a fim de vender novos produtos.

Porém a maioria destas lojas tem o tempo de vida curto, de acordo com estudos, mais de 60% das lojas virtuais abertas no Brasil fecham em seu primeiro ano de existência.

Mas qual é o motivo do fechamento? Será que as empresas no Brasil não estão preparadas para começar a vender pela internet?

O fato é que no Brasil o e-commerce cresce a cada dia, porém a maioria das lojas virtuais que fecham é por falta de conhecimento, falta de estudo e preparação.

Considerando estes dados, listamos os 7 principais erros de um e-commerce, como o porquê as lojas virtuais acabam encerrando suas atividades, tendo em vista que o mercado está cada dia mais competitivo e que aqueles que não seguirem as normas e tendências ficarão para trás.

1. Falta de planejamento – O principal motivo para que novos empreendimentos online venham a encerrar suas atividades no primeiro ano de existência é a falta de planejamento. Muitas vezes os responsáveis pela loja virtual iniciam suas atividades em um impulso e não realizam um estudo de como o seu mercado está, quem é seu público alvo, como atingir este público, e o mais importante, quais serão os custos deste empreendimento e suas expectativas a longo prazo. Quando inicia um e-commerce, o empreendedor deve ter em mente diversos fatores: desde a plataforma que será utilizada, se ela atende ou não às suas expectativas, as necessidades do mercado, até a maneira de como sua loja será conhecida.

2. Falta de foco no mercado – Um dos maiores erros que os iniciantes em e-commerce cometem é não ter foco. Geralmente eles querem vender de tudo, sem nem ao menos saber quem é seu público-alvo, onde ele está e o mais importante: sem atender os requisitos que este público busca. A tendência do mercado é que cada vez mais surjam lojas para públicos e produtos específicos, classificadas em nichos de mercado. Desta maneira, estarão mais próximas de conseguir excelência em seus segmentos. Na internet existem diversas possibilidades e oportunidades de negócios, depende de você realizar um estudo sobre seu mercado e planejar suas ações.

3. Divulgação ineficiente – Se você fez o planejamento de sua campanha, realizou um estudo de mercado e contratou uma plataforma adequada para seu negócio, é o momento de as pessoas começarem a ver sua loja e seus produtos. E é nesta etapa em que muitas empresas falham, pois não sabem de que maneira efetuar a divulgação, em que tipo de mídia ela é mais eficaz, que tipo de comunicação é adequada para seu público e diversos outros fatores.

Não adianta uma empresa que tem como público-alvo usuários assíduos no Facebook anunciar no Google Adwords, ela pode ter resultados, porém a maior parcela de seu público se encontra na rede social e não na rede de pesquisa ou display do Google. É importantíssimo analisar qual a forma de comunicação será usada, se serão usados anúncios no google adwords ou postagens em redes sociais.

Este é mais um estudo que deve ser analisado na etapa de planejamento, para que quando se inicie a divulgação, sua campanha tenha bons resultados. Erros vão acontecer, porém você deve estar atento para corrigí-los antes que gere gastos desnecessários.

4. Inércia digital – Sua loja virtual já está no ar, sua campanha está gerando ótimos resultados, tudo está fluindo como o planejado, chegou a hora de descansar? Não, pelo contrário, você deve estipular metas para seu empreendimento, e caso consiga alcançá-las, é hora de rever suas metas.

Se sua campanha está indo muito bem, não é o momento de deixá-la rodar, pois tanto nos mecanismos de busca quanto nas redes sociais, sempre ocorrem mudanças quanto a lances, valores e maneiras de se atingir o público alvo, não deixe sua empresa cair na chamada inércia digital.

Não é por que você teve bons resultados no primeiro semestre, que estes vão se repetir no segundo, você deve estar atento a diversos dados como sazonalidade, tendências de mercado, entre outros itens de controle.

5. Fraudes nos pagamentos online – Esta é uma das mais tristes realidades para quem está iniciando um e-commerce. As fraudes nos pagamentos online existem, e são um dos principais fatores para o fechamento de lojas virtuais. Atualmente, existem diversas maneiras para que o lojista se proteja deste risco, com facilitadores de pagamento como, o PagSeguro, Gerencianet, Moip, PayPal ou então gateways de pagamento.

Para quem está começando seu e-commerce, é altamente recomendável que se utilize um facilitador de pagamento, pois além do custo reduzido, ele deixa o lojista protegido do tão temido chargeback que assombra o comércio eletrônico.

6. Falta de monitoramento – Se todos os detalhes anteriores estão ok chegou a hora de verificar de onde o seu público está vindo, por quê a taxa de abandono do carrinho está alta entre diversos outros fatores.

Para que você faça este estudo é necessário mensurar os dados de seu e-commerce, e para isso existem mil ferramentas, porém as mais utilizadas são as ferramentas oferecidas pelo próprio Google, e são elas o Google Analytics, que vai mensurar os dados de acesso do seu e-commerce, taxa de rejeição, tempo de visita e o Google Adwords que mostra os dados de suas campanhas de marketing. Utilizar estas ferramentas, é necessário e é neste momento que chegamos ao 7º motivo para fracasso de um e-commerce.

7. Falta de Mão de Obra Qualificada – Criar e gerenciar um e-commerce não é uma tarefa simples. É necessário tempo, estudo, ações emergenciais, e monitoramento constante de sua loja virtual.

Você pode até pensar ”eu tenho tempo e consigo gerenciar minha loja virtual”, essa filosofia funciona, mas até certo ponto. Haverá um momento em que você terá demanda de serviço que fugirá de seu alcance, como a parte gráfica das ações de marketing ou até mesmo o monitoramento de dados para elaboração de estratégias para o crescimento de sua loja virtual.

Se você chegou a este momento e não está encontrando uma solução, é recomendável que você crie um departamento de gerenciamento de e-commerce interno ou terceirize o serviço.

 

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

3 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  1. Parabéns pelo artigo, apenas acredito que o ecommerce é uma forma “virtual” de oferecer um produto também “virtual” a um cliente que é real e precisa ser bem atendido. O cliente tem o direito e a loja a obrigação de oferecer um bom canal de comunicação, afim de garantir um pós venda, um retorno do cliente, passar credibilidade e acima de tudo não permitir a propaganda negativa, que pode destruir todo um investimento, e fazer seu comercio morrer como num simples “delete”.

    Responder
    1. A internet já passou da fase virtual, ela ,hoje, é real e física em TI, Servidores de conteúdo e hospedagem, inclusive a nível da chamada nuvem. Na verdade a internet é mais um meio de comunicação e um canal de se posicionar (localizar). Ela está disponível para todos os campos do conhecimento humano; todos os interessados de empresas, instituições, profissionais liberais, indústria, comércio, serviços, pessoas e governos, em compartilhar seus conhecimentos, opiniões, posições, negócios, etc..

      Responder

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.