Acesso rápido

7 estratégias de logística para e-commerce de pequeno e médio porte

por Wellington Cid Quinta-feira, 14 de março de 2019   Tempo de leitura: 12 minutos

Sabia que você pode estar perdendo dinheiro por não ter uma estratégia de logística eficaz? Pare para imaginar a seguinte situação:

Você e sua equipe investiram um bom orçamento em marketing e outras ações para levar os consumidores ao seu e-commerce. Agora eles estão na sua loja. Encontraram algo que adoraram. Adicionam ao carrinho. Que maravilha! Clicaram em “Prosseguir” e… Pronto! Abandonaram o carrinho. Desconectaram da sua loja. Você perdeu mais algumas vendas. O que pode estar acontecendo? O que há de errado?

A principal razão para abandonarem seu carrinho: logística e entrega

Provavelmente você investe o máximo para projetar uma loja virtual com a melhor experiência de compra para seus consumidores, com uma boa campanha de marketing, analise de ações e resultados. A má notícia é: isso não resolve o problema. E a boa notícia é: tenho sete ações para você incorporar à sua estratégia de logística para ajudar a gerar uma economia significativa para sua empresa e aos seus clientes. Tudo isso sem sacrificar a qualidade da sua logística.

1 – Calcular o peso cubado

Antes de analisar as diferentes estratégias para melhorar seus custos de logística, você precisa saber o peso cubado do seus produtos e da embalagem que será utilizada. A maioria das transportadoras usa o peso cubado para calcular os preços de entrega. Além de ser uma boa prática, é essencial calcular o espaço a ser usado para armazenar seus produtos. Você também precisará saber o peso cubado antes de expedir os pedidos, a fim de garantir que esteja pagando o preço correto.

O peso cubado serve para medir a densidade da carga. Ele compara o tamanho com o peso real do pacote. Depois de comparar o peso cubado com o peso real, a taxa será calculada pelo maior desses dois valores. Esse será o peso considerado.

Por que o peso cubado é importante? Há muitas décadas, as transportadoras tinham um problema para cobrar o preço corretamente. Principalmente porque os diversos tipos de mercadorias eram transportados nos caminhões, navios ou nos aviões. Por vezes as mercadorias eram mais pesadas, mas não ocupavam o compartimento inteiro ou então eram bem leves. Ou seja, ela não faziam nem cócegas para o motor trabalhar, mas ocupavam o baú inteiro. Para ilustrar melhor, lá vai uma charada: o que pesa mais? Uma tonelada de chumbo ou uma tonelada de algodão?

Cada modal calcula o peso cubado de formas diferentes, utilizando-se o fator de cubagem. Frequentemente, no modal rodoviário é comum 300 kg por metro cúbico; no aéreo 167 kg por metro cúbico (também utilizado por couriers); e no marítimo 1.000 kg por metro cúbico.

2 – Negociar com as transportadoras

A negociação de preços é relativamente simples: quanto mais envios você tem, menos você paga. Se você não está enviando quantidade suficiente para ter uma taxa mais competitiva, sua melhor opção é fazer uma boa previsão do volume de entregas com base na projeção das suas vendas. Muitas transportadoras estão dispostas a conceder um certo desconto se acreditarem que serão consideradas como seu parceiro de longa data quando o seu volume aumentar.

É como negociar com os tubarões: você também precisa saber vender seu peixe. Sua empresa não é a única nem a primeira de pequeno ou médio porte com a qual eles trabalham. Então eles darão um tempo, possivelmente algo em torno de três meses, para você trabalhar bastante e aumentar a quantidade de entregas, antes de exigir que você tenha um volume mínimo de entregas por mês.

Portanto, atenção: aproveite os preços reduzidos de entrega nesse meio tempo e invista o dinheiro que você vai economizar no marketing da sua loja. Tudo para aumentar as vendas e manter os preços oferecidos a você no longo prazo. Do contrário, esqueça: os preços vão subir.

3 – Escale sua loja por meio de um operador de fulfillment

Você negociou com as transportadoras na melhor das expectativas. Ainda assim, não foi bom o suficiente para atrair a atenção dos seus clientes. O que fazer? Desapega de ficar olhando para seu estoque com seus produtos todo santo dia na sua sala, garagem, salão ou qualquer seja o espaço que você utiliza. Avalie usar os serviços de um operador de fulfillment. É um tipo de empresa especialista em logística. Basicamente ela faz o seguinte: recebe as mercadorias dos seus fornecedores; armazena; faz a gestão de estoque; importa os seus pedidos; separa os produtos; embala os pacotes dos seus clientes; faz a expedição, a gestão das entregas e dos fretes.

Isso pode ser extremamente vantajoso. Afinal, o operador de fulfillment tem tarifas de frete melhores, por conta do maior volume movimentado com todos os seus clientes. Como especialista em logística e transportes, ele poderá te orientar sobre as melhores práticas e estratégias de logística para economizar em diversos aspectos. Ao invés de investir em um salão ou galpão, segurança, vigilância, mão de obra, insumos, suprimentos, equipamentos, entre outras muitas coisas, você pagará apenas uma taxa fixa por espaço utilizado e por pedido expedido. E ainda terá acesso à uma tabela de frete mais competitiva.

Você ganha mais tempo e liberdade para se concentrar na gestão da sua loja e na venda dos seus produtos, pois eles farão a gestão de estoque e das entregas. Com o dinheiro que gastaria nessas atividades operacionais, você pode reverter para investir em marketing e focar no que você faz de melhor. Assumirá um papel mais estratégico no seu negócio, enquanto eles cuidam do restante, sem prejudicar a qualidade do atendimento aos seus clientes.

4 – Oferecer frete grátis com um valor mínimo de pedido

Onde há dificuldade sempre existe uma oportunidade. Depois de visitar e adicionar produtos ao carrinho, e ainda assim ter clientes abandonando o seu site apenas porque o frete é alto, por que não eliminar completamente esse problema e atrair novos clientes oferecendo frete grátis?

O primeiro passo para isso é estabelecer um valor mínimo. Embora você esteja absorvendo parte do custo da entrega, o ticket médio de seus pedidos vai aumentar e irá compensar a diferença no frete. No entanto, antes de sair oferecendo frete grátis por aí, analise as margens dos seus produtos e faça o mapeamento para as regiões viáveis à oferta da gratuidade do transporte. Talvez você ajuste o mínimo somente para entregas na sua região ou então para produtos específicos de maior valor agregado.

Algumas outras coisas devem ser consideradas antes de oferecer frete grátis. Você pode oferecê-lo em períodos específicos como um apelo às campanhas sazonais — para gerar mais vendas. Além disso, considere a possibilidade de oferecer frete grátis a membros do seu programa de fidelidade. Se ainda não tiver, avalie criar um, e faça o possível para coletar informações úteis para ofertar novas promoções. Há ferramentas para ajudar você nessa prática.

Antes de dar frete grátis, faça com que eles se inscrevam ou participem de campanhas de e-mail, redes sociais ou indicação de amigos. Dessa forma, você pode segmentar os clientes com as próximas promoções, campanhas e lançamentos. Frete grátis aliado a essas dicas pode ser uma tática de marketing altamente poderosa e lucrativa ao seu negócio.

5 – Cobrar o valor da entrega dos seus clientes

Você fez as contas mas não vai dar para absorver os custos para ofertar frete grátis. Não perca a esperança. Ainda pode oferecer as melhores ofertas, cobrando exatamente o quanto você pagaria para enviar os seus produtos. Da forma correta, essa abordagem é benéfica para ambas as partes e pode criar um nível de transparência para a sua marca.

Permita que seus clientes saibam que os fretes são os melhores possíveis e que você não está ganhando nada em cima da logística e da entrega. Transforme esse ponto negativo sobre os valores de frete em uma relação de confiança com a sua marca, que pode ser construída durante a jornada de compra. Lembre-se: as pessoas compram de empresas que elas gostam e a melhor maneira de transformar seus clientes em fãs é conquistá-los sendo honestos com eles.

Dica bônus: se possível, disponibilize no checkout um menu de fretes para seus clientes. Apresente as taxas de entrega dos métodos disponíveis. Dessa forma eles verão em primeira mão que os preços são justos, sem custos adicionais.

6. Promover o frete fixo

Dependendo do tamanho e do peso dos seus produtos, o frete fixo pode ser uma boa opção. Você pode oferecer frete fixo aos clientes com base no tamanho, no peso ou na quantidade total de itens. Antes de fixar o frete em sua loja, faça a lição de casa: calcule o custo exato de quanto é essa taxa e qual transportadora funciona melhor para sua empresa.

Por exemplo, se você vende itens pequenos e pesados, aproveite as taxas de transportadoras do modal rodoviário. Muitas transportadoras oferecem diferentes métodos de envio para simplificar a cobrança de seus clientes. Há muitas oportunidades e muita flexibilidade quando se trata de frete fixo. Portanto, você precisará pesquisar e testar diferentes transportadoras e métodos para aproveitar ao máximo todas as opções.

7 – Analisar a rentabilidade dos produtos sem contar com o custo de frete

É bom pesquisar a opção de entrega mais econômica com base no tamanho, peso e valor dos seus produtos, muitas vezes esquecidos por pequenas empresas. Geralmente eles não fazem essa análise da rentabilidade com adição correta dos custos de logística e frete antes de comprá-los. Isso porque se sentem sobrecarregados quando precisam comparar entre as tabelas das diversas opções de operadores, transportadoras e os vários métodos e preços que elas oferecem.

Aqui estão algumas perguntas que você pode fazer antes de comprar novos itens para sua loja:

O item é caro? Se você está vendendo um produto de baixo custo, é provável que seu cliente não queira pagar a mais pelo frete.

  • Qual é o tamanho do item já embalado?
  • Qual é o peso do item com a embalagem?
  • Seu produto cabe em uma embalagem padrão?
  • É pesado ou leve em relação ao seu tamanho? Lembra do peso cubado…
  • Em média, quantos pedidos você faz por mês?
  • Qual é o percentual de entregas locais, regionais e interestaduais?
  • Por quanto tempo o seu cliente está disposto a esperar pelo pedido?
  • Seu cliente estaria disposto a pagar mais pela entrega expressa?

Isso dá muito trabalho, não é mesmo? Não existe atalho para fazer essas pesquisas e elas servem somente para o seu negócio. Não vale colar, pois a pesquisa do amigo do lado pode ser bem diferente e distorcer sua estratégia — podendo gerar resultados dos quais você não deseja. Ter as respostas a essas perguntas é a melhor maneira de decidir por quais operadores logísticos, transportadoras e métodos de entrega são adequados para o seu negócio.

Boas vendas!

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.