Acesso rápido

6 Tendências em ERP no e-commerce que superam qualquer pessimismo

por Larissa Lotufo Quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019   Tempo de leitura: 13 minutos

No mundo contemporâneo, os acontecimentos são bastante mutáveis e, para quem trabalha com negócios, estar por dentro das tendências e inovações faz parte da regra do jogo. E quando o assunto é gestão empresarial, a situação não é diferente.

Para que a sua empresa acompanhe todas as mudanças que estão por vir – ou já estão acontecendo – é bastante relevante que o sistema de gestão adotado esteja de olho nas novidades e já tenha projetos internos que estejam prontos para a inserção das novas ideias.

 

O ERP é uma das melhores soluções para quem busca controlar o processo de vendas

E, como sempre acontece na história da humanidade, nem todo mundo acompanha a vanguarda e vê problemas aonde existem soluções. Neste contexto, é interessante pontuar que as principais trends do mercado de ERP são diretamente influenciadas pelas tendências mercadológicas, já que esse tipo de solução é centralmente focada na melhoria dos processos empresariais.

Por conta desse enfoque da ferramenta, o ERP vem se adaptando às modificações de mercado e, hoje, é uma das melhores soluções para quem busca controlar o processo de vendas de maneira ajustada, simples e ágil.

Para quem ainda duvida na capacidade do ERP se tornar um parceiro na gestão empresarial de empresas – independentemente de seu negócio é uma loja física, virtual ou mesmo uma indústria que busca se tornar também um e-commerce – confira a lista com as 6 top tendências em ERP até 2020:

1º) ERP como solução: do micro ao macronegócio

Trabalhar com vendas têm se tornado um processo cada dia mais complexo e que exige o controle e gestão de diversos processos ao mesmo tempo. E, se antes a complexidade do negócio era visualizada de acordo com o tamanho de sua empresa, com o mercado digital a sua empresa já entra no mercado tendo que lidar com muitos aspectos processuais diferentes e trabalhosos.

As empresas de ERP têm notado essa questão e, por isso, buscam investir cada vez mais no desenvolvimento de soluções mais acessíveis e que possam ajudar o micro e pequeno empreendedor a lidar com a complexidade do mercado já no início de suas operações. Tal investimento é focado na criação de soluções que consigam abranger todas as etapas do processo de venda virtual de modo a aumentar o controle dos/as empresários/as sob as operações.

Por isso, mesmo que seja possível encontrar um grande leque de soluções do tipo ERP no mercado contemporâneo, já que, em tempos de big data, quem tem organização e controle garante o seu caminho para o sucesso.

2º) Negócios nas nuvens: a era do cloud

O armazenamento de informações sempre foi um desafio aos gestores, mas, na era do big data, esse desafio tornou-se um problema. As soluções de ERP têm percebido essa questão e trouxeram a migração do sistema de gestão para a nuvem como uma resposta a este problema.

Ao trazer o seu ERP para o cloud, é possível tornar o seu processo gerencial mais flexível, aumentar a produtividade do negócio, já que os limites físicos são quebrados, e tornar o crescimento com escalabilidade uma realidade muito mais palpável e passível de planejamento sólido.

Como se pode notar, a soma da gestão de TI com a adoção do cloud é uma estratégia de negócio que garante mais liberdade e flexibilidade às empresas, tornando a sua capacidade de inovar e ser criativo na gestão dos processos uma forma de aproveitamento das oportunidades de mercado.

Da mesma maneira que essa flexibilidade deve ser priorizada, a agilidade deve acompanhar essa tendência. Por este motivo que as empresas de ERP têm investido na criação de opções de gestão via mobile e possibilidade de contratação de planos que incluem dashboard, tornando o trabalho do gestor muito mais estratégico e rápido.

3º) Os dados são ativos de negócio, mas também são diretos: a regulação da proteção dos dados pessoas como tendência global

2018 foi o ano da criação – ou início da vigência no caso europeu – de regras voltadas à proteção dos dados pessoais. E esse movimento global acontece como uma maneira dos países atualizarem a abrangência dos direitos humanos, incluindo também a esfera virtual de forma clara e bem apontada.

Neste contexto, destaca-se o início da vigência do GDPR – General Data Protection Regulation – europeu em maio de 2018, que deu uma sacudida no mercado e passou a obrigar as empresas em todo o mundo a ter responsabilidade na gestão dos dados de seus clientes.

Essa sacudida europeia impactou o legislativo brasileiro, que correu com a aprovação dos projetos de lei existentes sobre o tema e resultou na sanção da Lei 13.709 ou LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados – em agosto de 2018.

Essa nova lei, atualizada em dezembro de 2018 através da Medida Provisória 869, obriga os/as empresários/as brasileiros – ou que atuam no mercado brasileiro – a atualizarem suas políticas e processos internos de gestão de dados de maneira a garantir a segurança e privacidade das informações desde a concepção de seus projetos e como padrão normativo de trabalho.

Embora as empresas tenham até agosto de 2020 para se adequar, é muito importante já adaptar sua maneira de fazer negócios às novas regras, já que os ajustes não são tão simples e exigem uma mudança de cultura interna bastante significativa.

E, neste sentido, os sistemas ERP podem se tornar parceiros estratégicos na adaptação às mudanças, pois com as modificações implementadas pelos sistemas para adaptar a gestão de dados do seu negócio, automaticamente a sua empresa pode se proteger de forma regulamentada. Por isso, também que é importante ter um parceiro dotado de cultura ética e proativa.

4º ERP mais inteligente: a junção do business intelligence ao desenvolvimento da inteligência artificial no mercado

O antigo sonho humano de melhorar o seu cotidiano através da ajuda de robôs inteligentes tem se tornado uma realidade a cada dia mais palpável nos últimos tempos. Isso ocorre porque os projetos de inteligência artificial deram um salto de desenvolvimento e inovação prática nos últimos dois anos e tem alcançado o mercado empresarial.

Nessa perspectiva, é impossível descartar o uso da inteligência artificial em sua gestão empresarial e tal situação também é resultado da era do big data. Isso porque o grande volume de dados acumulados passou a tornar, no mínimo difícil, o processamento das informações para as equipes: aí que a ajuda robótica fez todo o sentido.

Através do desenvolvimento e aplicação do machine learning – aprendizado de máquina – é possível aumentar a performance dos processos internos de sua empresa e o ERP não fica de fora desta equação.

Para que o business intelligence seja possível é essencial que o seu sistema de gestão esteja pronto para receber e aplicar as automatizações inteligentes, por isso que os sistemas de ERP têm investido tanto no cloud computing.

5º) A descentralização como regra de mercado: blockchain como solução

A tecnologia de blockchain tem se tornado cada dia mais popular, principalmente depois do boom do desenvolvimento das criptomoedas. E o que se notou é que a aplicação de tal inovação vai muito além do mercado de moedas virtuais, podendo alterar o funcionamento processual das mais variadas atividades.

No caso da realidade dos ERPs, observa-se a aplicação do blockchain como uma ferramenta de verificação de autenticidade e validação de acesso de dados descentralizada e eficiente. Neste sentido, espera-se que o blockchain seja um aliado dos ERP na garantia da proteção de dados, além de tornar procedimentos internos – como verificação da integridade de banco de informações ou a concessão de acesso aos dados por diferentes usuários – mais ágeis e eficientes.

6º) Tudo conectado: a integração com a IoT como realidade mais presente

A utilização de dispositivos inteligentes e interconectados faz parte da aplicação do business intelligence a partir do desenvolvimento da inteligência artificial. E, no mundo gerencial, tal interconexão de dispositivos torna mais eficiente o monitoramento e a produtividade da gestão de processos.

Essa tendência já é uma realidade mais palpável no mercado industrial e tem, rapidamente, se expandido para o mercado como um todo. Por conta disso, é importante que o ERP acompanhe a integração com a IoT e fique atento ao salto na capacidade gerencial que essa inovação tem trazido ao mercado para que possa continuar a oferecer soluções estratégicas.

E é pensando nessa nova realidade que alguns ERP já adotam a tecnologia do blockchain na lógica do desenvolvimento de suas soluções, para que todos os acessos e processos garantam confidencialidade e integridade dos dados. Desse modo, é possível tornar a realidade aumentada e a interconexão da IoT para o mundo gerencial.

Como se pode notar, os ERPs não são apenas uma ferramenta de gestão da década de 1970. Esses sistemas se adaptaram às evoluções tecnológicas da humanidade e continuam se reconstruindo de forma criativa e inovadora para tornar a gestão e o controle processual a cada dia mais seguro e ágil.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.