Projeto mantido por:

6 Lições de Vida que você pode aprender com o Lobo de Wall Street

por Ricardo Jordão Sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

o-lobo-de-wall-street

Fazia tempo que o cinema não produzia uma filme tão fodástico sobre o capitalismo como O Lobo de Wall Street.

O Lobo de Wall Street é baseado na história real de Jordan Belfort – um corretor de ações muito maluco que quebrou a banca nos anos 80 yuppies.

90% do que você vai ver no filme REALMENTE aconteceu do jeito que você vai ver – por mais maluco que pareça.

O Lobo de Wall Street é agressivo, provocativo, arrojado, simplesmente SENSACIONAL! Martin Scorsese, o diretor, desafia as barreiras do celibato em dezenas de cenas do filme. Prepare-se para ficar chocado!

O Lobo de Wall Street é cheio de cenas de sexo, drogas and rock and roll! Mas tirando todo o excesso do filme que deixaria as Senhores de Santana com os cabelos em pé, a história de Jordan Belfort tem muitas coisas para ensinar a você sobre Vida, Trabalho, Dinheiro, Capitalismo e muito mais.

O Lobo de Wall Street não é para vagabundo que trabalha apenas quando o chefe está olhando.

O Lobo de Wall Street não é para funcionário que está esperando o dia da aposentadoria ou o próximo feriadão para ir para a praia com uma caixa de cerveja para encher a pança.

O Lobo de Wall Street é para quem quer viver com a FACA NO DENTE!

TODO CIDADÃO que sonha em chegar em algum lugar na vida TEM QUE assistir esse filme!

TODO VENDEDOR que se preza TEM QUE assistir O Lobo de Wall Street!

TODO EMPREENDEDOR que se preza TEM QUE assistir O Lobo de Wall Street!

TODO LÍDER que se preza TEM QUE assistir O Lobo de Wall Street!

O filme tem incríveis três horas de duração e eu já assisti duas vezes em pré-estréias!

E vou assistir outras DUAS MIL VEZES quando o filme estiver disponível para compra.

Eu não vejo a hora de baixar o filme no meu notebook para rever todos os dias os incríveis discursos inflamados de Jordan Belfort para levantar a moral da equipe, ou os tiradas picantes sobre a vida e muito mais.

O Lobo de Wall Street estréia oficialmente nessa sexta-feira dia 24 de Janeiro.Você tem que assistir!

O Lobo de Wall Street é INCRIVELMENTE MARAVILHOSO!

Martin Scorcese é um ANIMAL!

Leonardo DiCaprio como Jordan Belfort supera qualquer expectativa! A cena em que Leonardo DiCaprio se rasteja pelo chão é provavelmente a melhor cena de cinema já feita nos últimos anos.

O Lobo de Wall Street é uma comédia épica que mostra o lado bom e ruim do setor financeiro e seus capitalistas selvagens movidos a dinheiro e ganância.

Aqui vão algumas lições de vida que O Lobo de Wall Street pode ensinar a você:

1. A Vida não é sobre casar, mandar os filhos para escola, e se aposentar na frente da televisão; a Vida é sobre ficar rico em todos os sentidos. “A única coisa que separa você dos seus objetivos são as desculpas que você dá a você para evitar o sucesso”. Jordan Belfort veio do nada. Completamente obcecado por mudar de vida, aos 26 anos de idade já ganhava 49 milhões de dólares por ano. As vezes, é claro, de maneira não muito ortodoxa, digamos assim. Mas se você colocar de lado o fato de que Belfort nem sempre usava os melhores métodos para conseguir os clientes, você tem que admitir que ele simplesmente não ficava parado esperando pelas oportunidades caírem no seu colo. A sua mente sempre focada em ser bem sucedido o impedia de aceitar o NÃO como resposta – coisa que muitos de nós fazemos no nosso dia-a-dia. Ele simplesmente atacava tudo que tinha que ser feito de frente e não descansava enquanto a coisa não estivesse resolvida. Jordan, por exemplo, não ficou esperando uma chance para ser funcionário do Lehman Brothers ou Merrill Lynch – dois dos maiores bancos de investimentos dos EUA. Ele fundou a própria empresa – Stratton Oakmont – em um galpão abandonado de uma antiga mecânica de carros. Como sinal de rebeldia, Belfort manteve a empresa em Long Island longe dos narizes empinados dos grandes nomes de Wall Street. “Eu já fui pobre, e eu já fui rico, e eu escolho ser absurdamente rico”.

2. A sua equipe é a coisa mais importante que você tem. Existe uma série de cenas fantásticas ao longo do filme onde Belfort se coloca a frente dos seus funcionários para motivá-los com o seu discurso matador. Diferente da maneira boçal que a grande maioria dos executivos usam por ai para motivar as suas equipes – quando se prestam a fazer alguma coisa a respeito – a grande maioria prefere chamar uns palestrantes motivacionais ainda mais boçais para fazer esse trabalho, Jordan fala com o coração em cima da mesa. A sua autenticidade é arrebatadora. A sua emoção é contagiante. Não existe enrolação no seu discurso. Belfort é tudo menos político. O cara é QUEBRA TUDO! Ele promove festas e concursos para manter os funcionários inflamados, ele contrata animadoras de torcida para mexer com o brio da galera, ele arremessa anões em alvos de vendas; Belfort conhece os funcionários como ninguém. Ele cria apelidos para as pessoas de acordo com suas fraquezas, e conversa com elas de acordo. Jordan consegue um feito que todo líder gostaria de conquistar: ele transforma pessoas totalmente desqualificadas e sem rumo na vida em pessoas tão sedentas de sucesso quanto ele. O fato é: o grande propósito de um líder é produzir outros líderes. Se você não está atingindo esse objetivo, você não é líder de nada. Com seus métodos não-ortodoxos, ele construiu uma equipe de leais seguidores, que ele eventualmente, transformou em milionários.

3. O foco é o 1% das pessoas mais ricas do país, e eu vou ensinar a cada um de vocês a serem os melhores do mundo em conversar com esse tipo de gente. Ao concentrar o foco da sua equipe em um único e claro grupo de clientes, Jordan Belfort foi capaz de criar uma abordagem de vendas absurdamente vencedora. A cena onde Belfort ensina os seus vendedores a fechar negócios usando o script que ele mesmo criou é SENSACIONAL. Nos dias de hoje o líder que não souber vender está frito. Ele nunca vai entender de verdade o que o vendedor realmente precisa fazer para vender, e assim nunca conseguirá cobrar o que os vendedores tem que fazer, e consequentemente será enrolado por esse bando de vendedor pangaré que tem por ai. A abordagem de vendas é tudo. Dedique um tempo considerável para criar uma abordagem de vendas matadora que TODOS os seus vendedores concordam em usar para conquistar o mercado FOCADO que vocês decidiram conquistar.

Se você não tiver um foco absolutamente claro sobre o tipo de cliente que você quer conquistar, você nunca conseguirá criar uma comunicação que sensibiliza os clientes a fazê-los agir em sua direção. O problema do mundo é comunicação. Ninguém entende ninguém. Se você não dedicar tempo para entender o problema das pessoas, elas nunca vão entender as suas soluções.Leva tempo para entender a linguagem das pessoas. Foco é tudo para atingir esse objetivo.

4. Me venda essa caneta. Em uma das cenas que vai entrar para a história do cinema como um dos melhores diálogos sobre vendas já foi produzido, Belfort desafia as pessoas a venderem a ele uma caneta. Os primeiros não conseguem sair da mesmice. Todos concentram seus esforços em explicar os benefícios que a caneta oferece. Blá blá blá. A coisa muda de figura quando Brad, um dos malucos que Belfort quer contratar para a sua equipe, responde: “Jordan, escreva o seu nome nesse guardanapo”, Belfort responde, “Eu não posso, eu não tenho uma caneta”, “Exatamente, é a lei da oferta e da demanda”. Você provavelmente conhece uma série de pessoas incríveis que vivem na pobreza; e provavelmente conhece uma série de pessoas medianas que são milionárias.Por que isso acontece? Porque aqueles que vendem tudo são mais preocupados em adaptar o seu discurso de vendas aos problemas das pessoas do que necessariamente vomitar conversa fiada de vendedor em cima da galera.Enquanto as pessoas não acreditarem no que você está falando, você não consegue vender nada. Concentre-se na sua abordagem de vendas e não no produto que você vende. Ninguém liga a mínima para o produto que você vende.Portanto, lembre-se: você pode conseguir tudo na vida, contanto que ajude as pessoas a resolverem os seus problemas primeiro.

5. Quando o dinheiro acabar, a grande maioria dos seus amigos irá embora. É sempre bom lembrar que a grande maioria das pessoas que vive ao seu redor estão com você por causa da segurança que você proporciona a elas, e não porque você é um cara legal. As pessoas tem que gostar de você porque você é o diretor. As pessoas riem das suas piadas porque você é o diretor. Você não é engraçado, você é o chefe. Ponto. Não fique se achando o rei da cocada preta, você vai cair do cavalo. Quando a fortuna de Belfort começa a ir para o saco, a mulher maravilhosa que ele tinha vai embora, os amigos vão embora, todos vão embora. Eu conheço pessoalmente algumas histórias reais sobre esse tipo de situação. Profissionais que depois de demitidos nunca mais conseguiram falar com os ex-colegas de trabalho. Ninguém retorna as ligações. Ninguém ajuda o cara se recolocar. Essa é a dura realidade da vida: ninguém está exatamente contra você, mas todos estão dos seus próprios lados. Dinheiro não traz felicidade, mas dinheiro compra amigos, mulheres gostosas e puxa-sacos.

6. Se você é o líder, quem é o seu Número 2? Uma das tarefas mais importantes para um líder é desenvolver alguém para ficar no seu lugar. Donnie Azoff é o número 2 da empresa de Belfort. Donnie é uma figura. O ator é fantástico. Eu espero que ele fatura o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. Ele merece! Belfort descobre o cara no meio da rua. Ele fica surpreso com a pró-atividade de Donnie em conhecê-lo, e ainda mais surpreso com sua atitude depois de aprender como Belfort ganha dinheiro. A cena que Donnie pede demissão para trabalhar com Belfort é hilária, e a cena em que Donnie explica porque casou com a prima é ainda mais hilária, e a cena onde Donnie come o peixe dourado de um funcionário na frente de todos é ainda mais épica, e a cena onde Donnie se masturba na frente de todo mundo no meio de uma festa lotada só porque viu uma garota maravilhosa é ainda mais épica. O ator é incrível! Um legítimo número 2 completamente alinhado com as atitudes não-ortodoxas do número 1.

Se eu fosse você eu desliga o seu computador agora mesmo e corria para o cinema para assistir ao filme.

Eu tenho certeza que você vai aprender muitas outras lições de vida com O Lobo de Wall Street.

NADA MENOS QUE ISSO INTERESSA!

QUEBRA TUDO! Foi para isso que eu vim! E Você?

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

17 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Blablablá… todo mundo já sabe disso. Mesmo assim, isso é coisa de idiota que vive pro trabalho e morre sem aproveitar os verdadeiros prazeres da vida. Outra coisa… é possível ser rico ou ganhar uma quantia satisfatória de dinheiro sem ser um viciado em trabalho e dinheiro… Todo mundo gosta de ter dinheiro, mas viver a vida apenas em função dele e achar que ele é a coisa mais importante da sua vida… é de um vazio inexplicável… apenas tenho pena.

    Responder
    1. Depende da visão de vida de cada um, se a pessoa que gosta de viver para trabalhar, ela se sentirá realizada com aquilo e pronto! Você já parou para pensar qual é a sua missão aqui na terra? Nenhuma, você faz sua própria missão, você é livre para escolher e tem gente que se diverte trabalhando horas ao invés de “curtir a vida”, aliás conceito vago esse de curtir a vida né? Curtir a vida é todo mundo fazer exatamente o que?

      Responder
    2. O dia que você fizer o que gosta, o que ama, o trabalho e a vida pessoal se misturam, e você vai ser mais feliz e realizado, cada degrau, cada negócio fechado é uma conquista…, antes achava um cara pelego, hoje acho dedicado, e os caras que eu achava pelego são os Presidentes ou VPs das empresas, e conhecem o mundo, adquirem mais cultura, filhos em excelentes escolas e também com mais cultura e oportunidades, vivem bem, sítios, casa na praia, bons planos de saúde, etc. Enfim, quando se faz o que gosta e tem ambição saudável, o tempo passa como o som de uma flauta…, não tenho pena, estou chegando lá e é muito bom!!! Abs,

      Responder
  2. Rapaz,,, eu realmente gostaria que você encontrasse o Scorsese e fizesse essas suas “considerações”,,, e eu gostaria de estar lá só pra rir,,, Aliás, ele te encaixaria como inspiração para a última cena do filme,, onde um bando de deslumbradinho ainda endeusa o pulha, que representa, “na PARÓDIA”, claramente “SARCÁSTICA” e inchada, pra tentar passar a intenção do filme em tempo de cinema, sem precisar “DESENHAR”,,,
    ,,Mas ´desenhando´, o pulha do Belfort é posto no filme pra representar toda a corja que, de forma sim muito sedutora, rouba todo mundo e ´vende´ toda essa papagaiada (para um outro bando de piriquitos) que transforma o mundo nisto que está,,,
    Abaixo um link pra um Jordan da vida real (há lá também um link para o vídeo do youtube da entrevista real,,,)
    http://revistaforum.com.br/blog/2014/01/empresario-canadense-comemora-noticia-de-que-35-bilhoes-de-pessoas-vivem-na-pobreza/

    Responder
  3. Tirando algumas cenas de sexos e drogas que na minha opinião o diretor (que eu adoro diga-se de passagem) passou do limite, o filme é tudo que o autor dessa publicação disse. O filme deixa inúmeras razões e ensinamentos para você empreendedor e vendedores de plantão. Gostaria que as cenas de drogas e sexo fossem na linha do filme de 1995 “Cassino” de Robert De Niro, mas como disse anteriormente, foi um filmaçooooo. Eu daria nota 9,0 a esse filme. Vale cada centavo….

    Responder
  4. Cara, você entendeu esse filme absurdamente mal…
    O filme é justamente uma crítica IMENSA e uma ENORME ironia a todas essas “lições de vida”…
    É sobre como tudo isso que você escreveu é completa insanidade, uma ironia com a cara das pessoas que agem dessa maneira.
    Concordo que se o Scorsese lesse esse artigo ele iria rir até se acabar… E com certeza pensaria “é, eu estava certo”.

    Responder
  5. Galera,

    Vocês são da geração do politicamente correto. Eu não!

    Eu não estou falando que dinheiro e drogas é o bicho… , mas cacete, será que ninguém aqui tem senso de humor ou consegue ver coisas boas em coisas ruins???

    VIVA O LOBO DE WALL STREET!!!

    E FORA com a cultura do politicamente correto!!!

    Só se vive UMA VEZ! Divirta-se!! Dê risada!! ARREBENTA!

    Ricardo

    Responder
  6. Ver o filme foi bom.Eu quero que ninguém assista o filme.E um filme bastante educativo para as pessoas que trabalha com vendas.Tem as partes engraçadas,divertidas.Aprendi muito com esse filme deu para ver como ganha dinheiro.

    Responder
  7. A minha opinião sobre o filme é excelente, a direção, os atores, a cenografia, o toque exato de comédia em momentos trágicos, pois a história é uma tragédia e não comédia. Acho que vale a pena assistir, indico para todas as pessoas independente de nível social ou profissional. Mas a minha interpretação positiva sobre a vida de Jordan Belfort é o foco, me parece que pessoas de sucesso vivem disto e não de excesso de trabalho, todo mundo é feliz quando pode dizer que têm ou que teve o que sempre desejou. A parte negativa é muito maior, pois vender mentindo é fácil quero ver vender falando a verdade, a história da caneta é vender uma verdade, se você precisa daquilo não há motivo para não comprar, mas ali ele consegue lucrar com a ganância das pessoas que querem ser ricas sem esforços, “A ocasião faz o ladrão”. Sobre a mulher, friamente pode ter abandonado ele por falta de dinheiro, mas talvez seria um bom motivo para sair daquela vida, pois não deveria ser muito fácil conviver com ele. E ele perdeu tudo, porque é a lei da vida “O quê vêm fácil vai fácil”, não se controla. Pessoal, filme é entretenimento, pode nos fazer pensar em algo que está dentro de nós, mas isto é passageiro, somos o que acreditamos ser e não o que dizem que somos. Vivemos com livre arbítrio, absorver o bom e eliminar o ruim, sendo coisas muito distintas entre as pessoas.

    Responder
  8. ARREBENTE! QUEBRE TUDO!
    Muito bom e ótimas lições de vida. Se for politicamente correto, eu me declaro politicamente incorreto TOTAL !
    VIVA O LOBO DE WALL STREET !!!
    Porém ninguem fica RICO através de meios ortodoxos então tem que cair pra cima e literalmente QUEBRAR TUDO MESMO!
    Chama a polícia pra mim rsrs

    Att,
    Leonardo

    Responder
  9. Interessante a abordagem. Se conseguir adaptar isso a vida cotidiana, de tal forma que voçê não seja incriminado (como o personagem foi) tem grande chance de dar certo!

    Responder
  10. A única lição desse filme é como o modelo neoliberal destrói as pessoas mais vulneráveis. O “mercado” rege os que querem ser ricos, na ilusão de que uma vida digna é sobre a aquisição de bens de consumo. Trabalho sujo, sem perspectivas. Pessoas ficam ricas vendendo ilusões e ainda chamam isso de trabalho. Um bando de psicopatas vendendo o discurso meritocrático, onde a única finalidade é a verticalidade do capital. Isso nem deveria ser chamado de trabalho.

    Responder
CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER