Projeto mantido por:

2022 e os desafios para o e-commerce

por Sidney Zynger Quarta-feira, 29 de dezembro de 2021   Tempo de leitura: 7 minutos

Com a consolidação do e-commerce como um formato de compra seguro e eficiente, o ano de 2022 promete ser ainda mais ativo aos empreendedores online. À essa altura, o maior desafio é certamente manter a experiência de consumo do cliente e proporcionar experiências de compra cada vez mais integradas e orgânicas para o cliente.

Neste artigo, vou falar sobre o futuro breve do e-commerce e as tendências e os desafios esperados para o setor em 2022.

O que mudou no e-commerce nos últimos anos?

Essa é uma pergunta bastante ampla se pensarmos em cápsulas de tempo. Nos últimos anos, a transformação digital fez uma grande revolução e muitas pessoas passaram a fazer as suas primeiras compras online.

Com o passar do tempo e com a vinda da pandemia em 2020, o comportamento de consumo mais uma vez muda e o e-commerce passa a ser, por alguns períodos, a maneira mais segura de realizar uma compra.

As mudanças foram muitas, e a expansão dos lojistas, marketplaces, canais de venda e redes sociais criou um mundo completamente virtual de consumo, e que supre boa parte do desejo de compra dos clientes.

Os desafios e as oportunidades

Com tantas transformações, o ano de 2022 vem com grandes oportunidades para quem já está inserido no e-commerce. E o cliente passa a ter cada vez menos distinção da loja física e online e passa a ver o produto como uma experiência de compra única. A experiência passa da loja física à virtual sem alterar a experiência, sempre pensando qual o melhor formato para o cliente.

Conforme um estudo da Minsait, os brasileiros são os que mais usam cartão de crédito na América Latina, principalmente no e-commerce. Para o lojista, o desafio é também realizar a venda e receber o valor após o período do cartão.

As principais tendências de 2022

Você deve preparar os seus canais de venda para as tendências de mercado. Algumas das principais para 2022 são:

Apps

Conforme pesquisas, 90% do uso da internet é gasto em apps. Por conta da difusão dos smartphones e da popularização do mobile, boa parte do tráfego na web é gerada pelos apps. Por isso, é importante a loja ou canal de venda dispor de mecanismos que facilitem a jornada de compra — como chat, pagamentos, compras, serviço de delivery e jogos — em um mesmo canal.

Live Commerce

A pandemia também trouxe maior interação online, através de lives que aproximaram mais artistas e pessoas famosas do público. O comércio também aproveitou a onda para fazer as chamadas “live commerces”, que são apresentações online ao vivo que realizam vendas diretas.

O fenômeno veio pra ficar e a previsão é que até 2023 o formato persista e impulsione as compras online em tempo real. No Brasil, a Black Friday trouxe live commerces de grandes marcas, movimentando o comércio online de forma explosiva. Neste caso, mesclou entretenimento e consumo de maneira fluida, aumentando assim o engajamento do público com a marca.

Entrega imediata

A velocidade na entrega da mercadoria é um dos diferenciais mais disputados pelos lojistas virtuais. Isso porque a experiência de consumo está diretamente associada à agilidade da entrega. Grandes players como Mercado Livre e Amazon estão aumentando investimentos em fulfilment para tornar o processo cada vez mais rápido.

Isso ocorre porque os espaços de estoque, preparação dos pedidos, emissão de nota fiscal e entrega parte de pontos dissociados no país, a fim de estar mais próximo das regiões (e não centralizados). A entrega mais rápida aumenta e fideliza os consumidores.

Comando de voz

Essa é uma tendência que vem se falando bastante nos últimos anos e tem aumentado conforme a tecnologia vai evoluindo. O chamado voice commerce já representa 40% das transações de e-commerce, seja em uma parte de pesquisa ou finalização de compras. Trata-se de uma tecnologia que complementa a estratégia omnichannel.

Marketing de influência

Os influenciadores digitais se fortalecem a cada ano, com milhões de seguidores ou com públicos mais restritos, porém fidelizados. O marketing de influência continua sendo uma tendência importante para o ano de 2022. Isso porque promove engajamento, cliques nos produtos, interação com as marcas e, por consequência, aumento de vendas. A produção de conteúdo online aumenta os números de conversão da marca e transmite maior confiança ao público.

Sem dúvida, 2022 virá com mais tecnologia e experiências de consumo voltadas ao e-commerce. É preciso estar preparado para que as vendas ocorram em múltiplos canais. Para tanto, uma alternativa é conar com um sistema de gestão ERP online. Afinal, com uma única plataforma é possível cadastrar produtos, integrar aos canais de venda, emitir notas fiscais e boletos e promover uma logística de entrega integrada.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER