17 erros de e-commerce que você não pode cometer- Parte 7

Por Dyego Oviedo Segunda-feira, 13 de março de 2017

No artigo anterior falamos sobre o perigo de se cair na inércia digital quando está tudo dando certo e sobre a importância de tomar boas decisões no e-commerce através do acompanhamento de algumas métricas fundamentais.

Confira a sequência:

Leia o Primeiro Artigo da série aqui

Leia o Segundo Artigo da série aqui

Leia o Terceiro Artigo da série aqui

Leia o Quarto Artigo da série aqui

Leia o Quinto Artigo da série aqui

Leia o Sexto Artigo da série aqui

Agora vamos ao último Artigo desta série:

Erro 16: Falhas de Design

Vamos reconhecer que nem todas as pessoas que acessam a sua loja virtual são designers. Mas entenda uma coisa: o design bem elaborado é estratégico e inconsciente.

Um layout de e-commerce bem planejado pode aumentar sua taxa de conversão drasticamente, seja pela cor do botão comprar ou pela estrutura como são exibidos os produtos e suas informações.

Pense também que o fator Design caminha junto com Usabilidade, que já vimos neste e-book a importância e influência que tem em um e-commerce.

Eu sempre faço a seguinte pergunta para meus clientes:

Você gosta de frequentar lugares sujos?

Não?

O mesmo acontece na internet.

Você já viu aqueles sites com textos e gifs piscando para todo o lado?

Nunca mais voltou?

Pois bem, não tem como falar de design sem falar sobre arquitetura de informação.

Defina as informações mais importantes que precisam ser apresentadas aos seus clientes.

Depois disso organize de forma prioritária cada uma delas, de forma que fique um layout leve e objetivo.

As pessoas querem simplicidade e facilidade.

Basicamente, se o seu site faz o usuário pensar se isso é um botão ou não, tem algo errado!

Erro 17: Usar redes sociais para vender

Particularmente, eu tenho uma teoria sobre redes sociais.

Acredito que as redes sociais são feitas para relacionamento, e não para vender produtos.

É claro que as pessoas que usam redes sociais também compram produtos.

E é por isso que eu te aconselho a investir em redes sociais.

Mas pense no momento em que o seu cliente está navegando por uma rede social.

Normalmente, ele estará navegando por fotos de amigos, publicações de amigos, notícias ou mesmo jogando.

Agora eu te pergunto:

Este é o melhor momento de uma empresa, da qual você – provavelmente – nunca ouviu falar, chegar até você tentando vender um produto?

Por este motivo eu vejo que as empresas que investem em redes sociais para criar um relacionamento com seu cliente obtém melhores resultados do que as que tentam cegamente vender algo.

É muito mais fácil você lembrar de uma marca e comprar um produto dela quando existe um relacionamento do que uma abordagem artificial e oportunista.

Desta forma, eu te aconselho a investir em marketing de conteúdo e investir em redes sociais sim, mas a fim de criar um relacionamento com o seu cliente, e depois disso sim tentar vender algo.

O que você achou desta série de artigos? Deixe o seu comentário abaixo!

Baixe o E-book completo aqui: www.lengi.com.br/landing

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

O projeto E-Commerce Brasil é mantido pelas empresas:

Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars:

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.